WhatsApp Image 2021 12 08 at 13.52.38

PF recupera monitoramentos da Abin de adversários de Bolsonaro

Jair Bolsonaro A PF (Polícia Federal) recuperou cerca de 30.000 monitoramentos feitos por funcionários da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) de adversários do governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Os registros haviam sido apagados pela agência. A informação foi divulgada neste sábado (4.nov.2023) pelo jornal O Globo e confirmada pelo Poder360.

Investigadores ligados à operação realizada em outubro para apurar o esquema de rastreamento ilegal de celulares pela Abin afirmaram que a agência monitorou ilegalmente jornalistas, políticos e ministros do STF (Superior Tribunal Federal), durante o governo Bolsonaro.

De 2019 a 2021, a agência rastreou centenas de celulares de quem frequentava o STF, como funcionários do tribunal, advogados e policiais. A PF identificou 33.000 acessos de localização telefônica.

De acordo com o jornal, o próximo passo da investigação agora é identificar os proprietários dos números de telefone monitorados com base nos materiais “resgatados”. A estimativa da PF para terminar de organizar os dados é um prazo de 30 dias.

Apesar de os rastreamentos terem sido feitos durante o governo Bolsonaro, o ex-chefe do Executivo negou ter conhecimento do esquema.

PF INVESTIGA ABIN

A PF realizou em 20 de outubro uma operação para investigar se funcionários da Abin teriam usado sistemas de GPS da instituição para rastrear celulares sem autorização judicial.

A corporação cumpriu 2 mandados de prisão preventiva, 5 de afastamento e 25 de busca e apreensão em São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Goiás e no Distrito Federal. A ação foi autorizada pelo Supremo.

A ferramenta utilizada no esquema foi o software “First Mile”, um sistema que, com um número de telefone, possibilita a localização registrada a partir da conexão de rede do aparelho.

O programa também foi comprado e utilizado pelo Exército, via o gabinete de Intervenção Federal no Rio de Janeiro –à época, chefiado pelo general Walter Braga Netto (PL), ex-ministro e ex-candidato à vice-Presidência pela chapa de Bolsonaro.

Por esse motivo, a PF investiga o uso irregular do “First Mile” no Distrito Federal, e as irregularidades na compra do mesmo com o dinheiro da Intervenção Federal no Rio de Janeiro. A corporação também pretende averiguar se as Forças Armadas fizeram o uso irregular da ferramenta, assim como a Abin.

Na 2ª feira (30.out), o ministro Alexandre de Moraes, do STF, determinou que a empresa israelense Cognyte informe os órgãos brasileiros que utilizaram o software.

Fonte: https://www.poder360.com.br/justica/pf-recupera-monitoramentos-da-abin-de-adversarios-de-bolsonaro/

Comentar

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                  Saiba os benefícios de usar o LinkedIn para a sua vida profissional - IFS -  Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe 

blogimpakto  acervo       jornalismoinvestigativo      Capa do livro: Prova e o Ônus da Prova - No Direito Processual Constitucional Civil, no Direito do Consumidor, na Responsabilidade Médica, no Direito Empresarial e Direitos Reflexos, com apoio da Análise Econômica do Direito (AED) - 3ª Edição - Revista, Atualizada e Ampliada, João Carlos Adalberto Zolandeck   observadh

procurados

Desenvolvido por: ClauBarros Web