JORNALISTAMINI

Novo secretário de Segurança Pública será interrogado como suspeito no caso dos grampos

d1610O novo secretário de Segurança Pública (Sesp), delegado Gustavo Garcia, será ouvido como suspeito no caso dos grampos ilegais em Mato Grosso. O delegado Flavio Stringueta, que auxilia a delegada Ana Cristina Feldner nas investigações, explicou que o interrogatório deverá acontecer no fim da próxima semana.

“Constou no depoimento da delegada Alana que o ex-secretário Rogers Jarbas colheu o depoimento, mas ele não estava presente na maior parte disto. Foi o Gustavo o verdadeiro inquisidor. O Rogers voltou apenas no final para corrigir alguma coisa ou acrescentar”, disse o delegado aoOlhar Direto.

Stringueta ainda acrescenta que isso teria sido parcialmente confirmado no depoimento do ex-secretário Rogers Jarbas. O atual comandante da Segurança Pública do Estado já foi notificado e deverá prestar depoimento na quinta-feira (19), na condição de suspeito. Porém, a data pode sofrer modificações.

O ex-secretário Rogers Jarbas foi denunciado pela delegada Alana Cardoso, por supostamente ter agido de maneira irregular ao interroga-la sobre o caso dos grampos praticados em Mato Grosso. No documento, Alana, que à época dos fatos respondia pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil, afirma que há diversas irregularidades além de “grave violação da legalidade” no ofício produzido por Rogers Jarbas, baseado no depoimento da delegada à Sesp.

“Houve violação grave a preceitos fundamentais como o devido processo legal, ampla defesa, presunção da inocência e principalmente à legalidade, já que a delegada foi ouvida sem qualquer procedimento formalmente instaurado perante superior hierárquico”, diz trecho do documento. A delegada disse ainda que não teve acesso ao documento produzido pela Sesp, salvo pelo que foi divulgado pela imprensa.

Em depoimento, tomado no dia 26 de maio, Alana Cardoso revelou que quando respondia pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil, recorria à interceptação telefônica, em parceria com promotores de Justiça do Gaeco, de modo a monitorar membros de organizações criminosas identificados nos presídios e para preservar a integridade do governador Pedro Taques (PSDB), à pedido do ex-secretário Paulo Zamar Taques, da Casa Civil.

Outro lado

A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) informou que não irá se pronunciar a respeito.

Grampos

Reportagem do programa "Fantástico", da Rede Globo, revelou na noite de 14 de maio que a Polícia Militar em Mato Grosso “grampeou” de maneira irregular uma lista de pessoas que não eram investigadas por crime.

A matéria destacou como vítimas a deputada estadual Janaína Riva (PMDB), o advogado José do Patrocínio e o jornalista José Marcondes, conhecido como Muvuca. Eles são apenas alguns dos “monitorados”.

O esquema de “arapongagem” já havia vazado na imprensa local após o início da apuração de Fantástico.

Barriga de aluguel

Os grampos foram conseguidos na modalidade “barriga de aluguel”, quando investigadores solicitam à Justiça acesso aos telefonemas de determinadas pessoas envolvidas em crimes e no meio dos nomes inserem contatos de não investigados.

Neste caso específico, as vítimas foram inseridas em uma apuração sobre tráfico de drogas.

Fonte: Olhardireto

Comentar

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web