JORNALISTAMINI

VEREADOR MAIS VOTADO DA HISTÓRIA DE ITU REVELA EM AUTOBIOGRAFIA QUE ‘JÁ SENTOU PORRADA’ EM MUITO ESTUPRADOR E ATÉ JÁ FOI ACUSADO DE JOGAR UM DELES NO RIO TIETÊ

Ex-engraxate  Reginaldo Carlota, que na infância passou fome e foi o menino mais pobre da escola,  também vendeu sorvetes, já foi entrevistado pelo Balanço Geral, CQC, Discovery Channel, AXN, Estadão e Folha de São Paulo, antes de ganhar estourado pra vereador com mais de 3 mil votos

d2010“Eu não espanquei ninguém, o cara provavelmente escorregou numa casca de banana e caiu”, relata o escritor, jornalista e atualmente vereador pela cidade de Itu, Reginaldo Carlota, de 42 anos,  em um trecho de seu livro autobiográfico “Faca na Caveira”, que está lançando agora.

A conversa em questão, é referente ao caso de um estuprador e assassino, capturado com a ajuda do vereador, que nos últimos 7 anos, se envolveu pessoalmente  em diversas caçadas a maníacos sexuais na cidade de Itu.

Em outro trecho do livro, ele revela em detalhes (muitos detalhes por sinal), como foi acusado de ter espancado um estuprador até quase a morte e depois jogado o criminoso ainda vivo, no Rio Tietê. E continua, contando que o maníaco em questão sobreviveu, mas acabou sendo assassinado em outra cidade, pouco tempo depois, por um outro crime. E é claro, explica que é inocente e foi acusado injustamente nesse caso. “Eu realmente já sentei porrada em muito estuprador vagabundo, mas no caso desse tarado que espancaram e jogaram no Tietê, foi coincidência, a pessoa que espancou o infeliz devia se parecer comigo, daí a confusão”, declara.

Extremamente polêmico, briguento e não por acaso com fama de “bad boy”, Carlota trabalhou 10 anos como repórter policial  e confessa que em nome da justiça, chegou sim a cometer “alguns excessos”, como estourar portões de casas, no pé, para resgatar cães que estavam presos, e até mesmo “sentar porrada em estuprador”.

No ano passado, ele decidiu concorrer pela primeira vez em uma eleição política e sem gastar praticamente nada, ganhou estourado, sendo eleito  vereador com 3168 votos, a maior votação que um vereador já fez na história da cidade de Itu.

O mais surpreendente, é que ele disputou com mais de 300 candidatos, muitos deles veteranos na política, com uma fortuna pra gastar, e venceu em primeiro lugar, com uma campanha de marketing simples e barata (custou exatos 5 mil reais) porém, tão ousada como ele próprio, focada quase que totalmente no Facebook. Ele não adesivou um único carro com seu nome e número, não realizou reuniões em casa alguma, não colocou uma única placa sequer em nenhum lugar, e surpreendentemente, também não jogou santinhos nas ruas. O máximo que fez na rua, e o fez com muita ousadia, foi contratar um grupo de meninas, que uniformizou com shorts e blusinhas pretas, com uma caveira branca no peito (símbolo do implacável vigilante “Justiceiro” da Marvel), para que o ajudassem a distribuir um jornalzinho de campanha, e seu santinho, nas ruas da cidade, nas manhãs de sábado.  Foi mais do que suficiente pra ganhar estourado.

SUPERAÇÃO E SUCESSO

Carlota é o único vereador de oposição em Itu, numa Câmara composta por 13 edis, e continua tão polêmico como era antes da eleição. “Se antes de ser eleito não pagava pau pra político safado e vagabundo, coisa que tem de sobra nesse país, imagine agora”, declara!

Seu livro “Faca na Caveira” (o título, inspirado no filme “Tropa de Elite”, foi seu slogan de campanha e tornou-se uma espécie de marca registrada sua), é repleto de revelações surpreendentes. Carlota perdeu a mãe com apenas 5 anos de idade, viveu na miséria absoluta na infância, chegando inclusive a passar fome e ir de chinelinho de dedo pra escola, em pleno inverno. Aos 10 anos de idade, começou a trabalhar como engraxate e vendedor de sorvetes,  e enquanto seus amigos se deslumbravam com a famosa cola de sapateiro, que era a droga do início dos anos 80, ele se dedicava à leitura de centenas de livros, que emprestava da biblioteca da escola.

Entre 1999 e 2000, viveu praticamente como um andarilho, pegando carona em rodovias e dormindo em albergues noturnos de diversas cidades do interior de São Paulo, enquanto seguia a trilha de um assassino serial, que em 1984, estuprou e matou duas meninas em Itu.  “Esse assassino era um andarilho que perambulava sem rumo por aí, e para identificá-lo, eu tive que viver exatamente como ele vivia, foi assim que entrei na mente dele”, revela em detalhes no livro.

A busca pelo assassino, mais tarde identificado como sendo o serial killer Laerte Patrocínio Orpinelli, vulgo “Monstro de Rio Claro”,  resultou no livro-reportagem “O Matador de Crianças”, escrito por Carlota em 2010. A obra, publicada pelo próprio autor, sem ajuda de nenhuma editora, vendeu mais de 10 mil exemplares e fez com que  Carlota  fosse convidado para participar dos programas policiais  “Instinto Assassino”, do Discovery Channel e do “Investigação Criminal”, do AXN, ambos exibidos no mundo inteiro e já reprisados diversas vezes.

O trabalho realizado como escritor e repórter policial também não passou despercebido entre a grande imprensa nacional, tanto que Carlota já foi destaque em jornais como Estadão, Folha de São Paulo, participou duas vezes do Balanço Geral da Record e uma do CQC da Band.

Considerado uma  espécie de celebridade local em Itu, sendo inclusive a única pessoa na região toda, a ter mais de 70 mil seguidores em suas duas páginas do Facebook, Carlota dificilmente consegue dar uma volta no shopping ou Centro da cidade, sem parar para tirar uma foto com alguns dos milhares de fãs que possui. Mas revela que anda quase todos os dias a pé pelo Centro da cidade e conversa numa boa com todo mundo. Todo mês ele doa uma parte do seu salário de vereador, que é de 10 mil reais, para um casalzinho de gêmeos, que perdeu a mãe algumas horas depois do parto, meses atrás.

Carlota é viciadíssimo em adrenalina, só dorme quatro horas por dia (passa as madrugadas lendo) e conta que pratica esportes radicais para não surtar. Ele costuma saltar de paraquedas, de um avião a 4 mil metros de altura e desce ladeiras de skate, a 60km por hora, sem nenhum equipamento de segurança. Já viajou por diversos países da Europa e da América do Sul, sendo que todo ano passa férias em Paris. E sempre que tem oportunidade, gosta de alugar uma Ferrari pra “dar uma voltinha”.

Nada mal, para quem ia de chinelinho de dedo pra escola, em pleno inverno, como revela no livro.

Lançado pelo selo editorial independente “Serial Books”, do próprio Carlota, “Faca na Caveira”  tem 112 páginas, capa dura com verniz localizado, e custa R$ 49,90. O livro pode ser adquirido diretamente com o autor, inclusive com autógrafo, através do WhatsApp (11) 97265-6655 ou do e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Reginaldo Carlota
Editor Chefe do Notícia Popular de Itu
CEL: (11)9- 9732- 4223
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
SEJA MEU SEGUIDOR NO FACEBOOK

Comentar

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web