juarezjornalista

Policial Civil e filho de quatro anos são encontrados mortos em Cambé

             Uma Policial Civil e o filho de quatro anos de idade foram encontrados mortos no residencial Vista Alegre em Cambé na noite desta sexta-feira (6). 

d0807Segundo informações do Portal Cambé, a mulher teria perdido a guarda do menino para o ex-marido e estava desaparecida desde quinta-feira (5). A suspeita é que ela tenha matado a criança e, em seguida, cometido o suicídio.

Na casa onde foram encontrados os corpos havia uma carta que segundo informações teria sido escrita pela policial onde ela justificava o ato.

A "gota d água" teria sido uma liminar expedida que daria ao pai o direito de ver o filho.

Na carta ela acusa o pai de ter cometido violência sexual contro o filho.

O copro da criança e da policial foram encaminhados para o IML (Instituto Médico Legal) de Londrina. A Polícia Civil investiga o caso.

Leia a carta na íntegra:

"A psicóloga Joana monta um verdadeiro parque de diversões, meu filho diz que não quer o pai dele. A psicóloga Joana pede que entre para acalmar meu filho. Eu entrei. Logo após o pai dele entrou e foi só brincadeiras e maravilhas. Meu filho em fevereiro de 2017 me relatou que foi abusado pelo pai e hoje 04/07/18 a visita assistida??? Justiça que dá oportunidade para pai estuprador. Meu filho não vai ser estuprado!!! Meu filho é um anjo! Justiça?? Para que? Mileide "Eu amo meu filho".                        

  Segundo informações do Portal Cambé, a mulher teria perdido a guarda do menino para o ex-marido e estava desaparecida desde quinta-feira (5). A suspeita é que ela tenha matado a criança e, em seguida, cometido o suicídio.

Na casa onde foram encontrados os corpos havia uma carta que segundo informações teria sido escrita pela policial onde ela justificava o ato.

A "gota d água" teria sido uma liminar expedida que daria ao pai o direito de ver o filho.

Na carta ela acusa o pai de ter cometido violência sexual contro o filho.

O copro da criança e da policial foram encaminhados para o IML (Instituto Médico Legal) de Londrina. A Polícia Civil investiga o caso.

Leia a carta na íntegra:

"A psicóloga Joana monta um verdadeiro parque de diversões, meu filho diz que não quer o pai dele. A psicóloga Joana pede que entre para acalmar meu filho. Eu entrei. Logo após o pai dele entrou e foi só brincadeiras e maravilhas. Meu filho em fevereiro de 2017 me relatou que foi abusado pelo pai e hoje 04/07/18 a visita assistida??? Justiça que dá oportunidade para pai estuprador. Meu filho não vai ser estuprado!!! Meu filho é um anjo! Justiça?? Para que? Mileide "Eu amo meu filho".                        

Fonte: catve

Comentar

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web