jornalista1

'El Chapo' Guzmán drogava e estuprava menores de idade, segundo testemunha

Um dos ex-secretários do narcotraficante afirmou que uma mulher enviava ao criminoso fotos de meninas com a partir de 13 anos.

 

elchapo1Uma testemunha no julgamento de El Chapo Guzmán contou ao governo americano que o lendário narcotraficante mexicano drogava e estuprava meninas, que ele considerava suas "vitaminas" para se manter jovem, de acordo com documentos divulgados neste sábado (2).

Alex Cifuentes, um dos ex-secretários de El Chapo e durante anos o seu fornecedor de cocaína, disse que uma mulher enviava ao criminoso fotos de meninas com a partir de 13 anos. Ele, então, escolhia com qual queria ter relações sexuais, por meio de pagamento de US$ 5 mil por cada uma.

O próprio Cifuentes utilizou este serviço em três ou quatro ocasiões para ter relações sexuais com adolescentes que, por vezes, tinham apenas 15 anos, aponta o governo americano em documentos arquivados ante a corte. A testemunha relata ainda "que viu o réu fazer o mesmo em várias ocasiões com meninas que, às vezes, tinham apenas 13 anos". 

O ex-chefe do cartel de Sinaloa Joaquín "Chapo" Guzmán, de 61 anos, às vezes as drogava com uma "substância em pó" antes de estuprá-las, com a ajuda de Cifuentes, contou a testemunha, um adepto da bruxaria que acredita em OVNIs e que estava convencido de que o apocalipse aconteceria em 2012, de acordo com os documentos da acusação. 

No entanto, Cifuentes, que viveu em 2007 e 2008 com El Chapo nas montanhas de Sinaloa, não mencionou nada disso durante seus quatro dias de testemunhos no julgamento de El Chapo, encerrado na quinta-feira após três meses de audiências. 

O júri, que não tem permissão de ler qualquer coisa relacionada ao julgamento na imprensa ou redes sociais, não poderá considerar esta informação quando começar a discutir, a partir de segunda-feira (4), se o narcotraficante é culpado ou não de traficar centenas de toneladas de drogas para os Estados Unidos. 

"Joaquín nega as acusações, que não foram comprovadas e foram consideradas não confiáveis para serem admitidas no julgamento", declarou o advogado do réu, Eduardo Balarezo, em um comunicado enviado por e-mail.

 

 

 
 

Receita Federal realiza nova apreensão de cocaína no Porto de Paranaguá

vd3001A Alfândega da Receita Federal no Porto de Paranaguá realizou nesta manhã (28) mais uma grande apreensão de cloridrato de cocaína. Dessa vez foram 1.097 quilos.

A droga também teria como destino o porto de Rotterdam, na Holanda. Dois containers suspeitos, da mesma empresa que havia sido fiscalizada na sexta-feira (25), ficaram agendados para fiscalização nesta segunda-feira. A suspeita se confirmou, sendo que a droga estava escondida em meio à carga de madeira em pallets.

 

Fonte: bemparana

Drogas escondidas em balões de festa são encontrados em carro na Grande BH

A apreensão de 50 quilos de pasta base de cocaína aconteceu na BR262, em Betim. 

vd2401  Cerca de 50 quilos de pasta base de cocaína foram encontrados escondidos em balões de festa na BR 262 em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, nesta terça-feira (22).

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a droga estava atrás do painel de um carro com placa de Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, abordado durante fiscalização.

O veículo saiu de Ituiutuba, no Triângulo Mineiro, com destino a Belo Horizonte. O motorista foi preso em flagrante. O valor da droga era estimada em R$ 8 milhões.

 Fonte: G1

Tio de Jarvis Pavão, ex-candidato a prefeito é morto a tiros de fuzil em Ponta Porã

Chico Gimenez foi ex-vereador e estava em prisão domiciliar 

drogas2019 01 21O ex-candidato a prefeito de Ponta Porã e tio do narcotraficante Jarvis Pavão, Francisco Novaes Gimenez, o Chico Gimenez, foi morto por pistoleiros na madrugada desta quinta-feira (17) no município brasileiro que faz fronteira com o Paraguai.

De acordo com o site do jornal ABC Color, com informações da polícia local, homens armados com fuzis entraram na casa de Chico Gimenez e efetuaram cerca de 190 disparos, por volta das 3 horas desta quinta, enquanto o tio de Pavão dormia.

Quatro caminhonetes utilizadas no crime foram encontradas incineradas cerca de uma hora após o ataque, a 15 km de Ponta Porã.

 

Chico Gimenez foi candidato a prefeito em Ponta Porã nas eleições de 2016 e 2008, mas não foi eleito. Antes, o empresário exerceu mandato de vereador no município e também disputou o cardo de deputado estadual.

Gimenez estava em prisão domiciliar após ter sido preso pela Polícia Federal no dia 7 de dezembro do ano passado em sua casa, enquanto ocorria uma reunião de integrantes do grupo de Jarvis Pavão para planejar a resposta ao ataque contra o sobrinho do narcotraficante que ocorreu dias antes no centro de Pedro Juan Caballero. Pedro Gimenez, 24 anos, escapou ileso do ataque.

Com a morte de Chico Gimenez, a clã de Jarvis Pavão é considerado praticamente desarticulado na fronteira com o Paraguai. Em seu lugar, Sergio de Arruda Quintiliano Netto, conhecido como Minotauro, é apontado como futura liderança do tráfico local.

Quatro caminhonetes foram encontradas incineradas após o ataque.

Fonte: midiamax

Paraguaia é presa em aeroporto do Paraná com cocaína no estômago.

Passageira seguiria para Valência, na Espanha

vd1301Uma jovem paraguaia, de 23 anos, foi presa na manhã desta sexta-feira (11) no Aeroporto de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. De acordo com a Polícia Federal (PF), ela estava com 300 gramas de cocaína introduzidas na vagina e outras 87 cápsulas engolidas.

A paraguaia tentava embarcar para Valência, na Espanha, mas uma conexão seria feita antes em São Paulo.

À PF, ela afirmou ser formada em Direito e que receberia 4 mil euros pelo transporte. Presa, ela foi encaminhada ao Hospital Municipal de Foz do Iguaçu para procedimentos de retirada da droga.

Em seguida, ela será levada à Delegacia de Polícia Federal de Foz do Iguaçu.

Fonte: bandaB

Mais artigos...

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS  universidadedotransito   acervo        kennya6      alexandrejose    codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web