JORNALISTAMINI

Esquema de propina de traficantes a PMs foi descoberto em delação premiada

extorsaoO governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), afirmou que a Operação Calabar, que levou à denúncia de 96 policiais militares, foi iniciada a partir de delação premiada de um criminoso. O homem atuava como espécie de gerente da propina do tráfico para os agentes e foi preso com três armas e dinheiro, no ano passado. De acordo com o governador, o esquema foi investigado ao longo de sete meses.

Milhão

Por volta do meio-dia, os agentes já haviam cumprido cerca da metade dos mandados de prisão contra os policiais. De acordo com as investigações, os acusados recebiam cerca de R$ 1 milhão por mês para proteger e deixar traficantes atuarem livremente nas comunidades. Eles ainda revendiam armas e drogas apreendidas para uma facção criminosa.

Todos os acusados são praças e foram lotados no Batalhão de São Gonçalo entre 2014 e 2016.

Fonte: MassaNews

CEARÁ-PARAÍBA: Quanto custa um quilo de cocaína, maconha e crack?

cocainapbAs polícias Civil e Militar do estado do Ceará já causaram um prejuízo de mais de R$ 12 milhões aos criminosos, neste ano de 2014, fruto das apreensões de drogas feitas pelos policiais.

Uma matéria publicada pelo jornal Diário do Nordeste informa quanto custa, em média, o quilo de maconha, crack e cocaína naquele estado. Os valores são os seguintes:

1 kg de cocaína   = R$ 21.000,00  

1 kg de crack       = R$ 10.000,00

1 kg de maconha = R$   1.200,00

 

PARAÍBA

Por sermos um estado vizinho ao do Ceará, é provável que a cotação das drogas acima esteja no mesmo patamar de valores. De janeiro a setembro deste ano, as polícias paraibanas apreenderam 2,5 toneladas de drogas.

O destaque foi a apreensão de 1.500 kg de maconha [foto], feita por policiais civis da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), na região de Mamanguape, no mês de setembro.

Tomando-se por base os valores mencionados, somente esta ação policial representou um prejuízo de R$ 1,8 milhão de reais para os traficantes. Foi a maior apreensão de maconha já realizada em uma só ação policial na Paraíba.

TRÊS TONELADAS

No ano de 2013, a Polícia Civil paraibana apreendeu três toneladas de maconha na região de Monteiro (PB), no mesmo local investigado, porém em abordagens diferentes.  

Bitrem é apreendido com maconha e skank à vácuo na linha internacional

O motorista da carreta foi preso em flagrante por tráfico de drogas. Não foi revelado o valor que receberia pelo transporte.

bitremUma carreta bitrem foi apreendida nesta noite de segunda-feira (19) em Ponta Porã, após uma grande quantidade de maconha e skank terem sido encontrados em meio a uma carga de farelo de soja, que estava com documentação totalmente regular.

O caso foi atendido pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), que fez a abordagem na linha internacional, na divisa com o Paraguai, mas por questão de segurança, levou a carreta até o posto Capey, onde terminou de realizar a checagem.

As placas do veículo são do Estado de São Paulo e o condutor, Jean Carlos da Silva, de 39 anos, mora em Bauru (SP) e confessou que o destino da carga seria o território paulista. Ainda não há estimativa da quantidade de maconha apreendida, já que apenas nesta terça-feira (20) ela será contada.

Porém, PRF adianta se tratar de uma grande quantidade em meio ao farelo de soja. Também havia grande volume da droga skank, embalada à vácuo, pratica recente no fronteira. A apreensão acontecer na linha internacional também é uma novidade.

O motorista da carreta foi preso em flagrante por tráfico de drogas. Não foi revelado o valor que receberia pelo transporte. A ocorrência será encaminhada à PF (Polícia Federal) de Ponte Porã.

Fonte:http://www.pontaporainforma.com.br/noticias/policia/bitrem-e-apreendido-com-maconha-e-skank-a-vacuo-na-linha-internacional

Reeducandos de Ponta Porã confeccionam troféus de evento esportivo

reeducandosOs reeducandos desenvolvem além do trabalho de marcenaria, trabalho de olaria, mecânica, serralheria, artesanato, costura, padaria e serviços administrativos na Unidade Penal.

Os reeducandos do Estabelecimento Penal Ricardo Brandão, Ponta Porã – MS, confeccionaram 270 (duzentos e setenta) troféus para a Corrida de Inverno que foi realizada no dia 18 de junho de 2017, organizada pelo Grupo Corredores da Fronteira.

A parceria foi firmada com o Diretor do Estabelecimento Penal Carlos Jardim e o Grupo Corredores da Fronteira que organiza o evento a fim de divulgar a prática esportiva e a integração da sociedade local.

Os reeducandos desenvolvem além do trabalho de marcenaria, o trabalho de olaria, mecânica, serralheria, artesanato, costura, padaria e serviços administrativos na Unidade Penal.

Com isso, afirma o Diretor Carlos Jardim que os reeducandos desenvolvem atividades que os capacitam para a reinclusão na sociedade após o cumprimento da pena e há diminuição da mesma com os dias trabalhados.

Fonte: http://www.pontaporainforma.com.br

Mãe acorrenta em casa filha viciada em crack

correnteDesesperada com as ameaças recebidas de traficantes, uma mulher de 43 anos decidiu manter a filha de 17 anos, dependente química, acorrentada a um guarda-roupas, em Sorocaba, interior de São Paulo. A mãe foi detida e a garota, libertada, na noite de terça-feira, 13, por integrantes da Guarda Civil Municipal (GCM) e do Conselho Tutelar.

De acordo com o comandante da GCM, Antonio Marco Mariano de Carvalho, a adolescente era usuária de cocaína e crack desde os 12 anos. Conforme o relato da mãe, ela devia dinheiro para vários traficantes e estava sendo ameaçada de morte. "Ela alegou que decidiu acorrentá-la por razões de segurança e por total desespero, por não ver outra saída", disse o agente.

A equipe da GCM e do Conselho Tutelar se dirigiu à residência, uma casa simples no bairro Nova Esperança, zona norte da cidade, após receber denúncia anônima. Dominada por traficantes, a região é uma das mais violentas do município.

A adolescente foi encontrada no quarto, com a corrente atada aos pés, o cadeado trancado e presa ao pé do móvel. Para libertar a adolescente, a GCM teve de quebrar o cadeado, pois a chave não foi encontrada. A jovem foi levada à Unidade de Pronto Atendimento da zona norte, onde recebeu atendimento médico, e encaminhada para um abrigo da prefeitura.

"A mãe ficou surpresa com a nossa chegada, mas permitiu a entrada e em nenhum momento escondeu a situação. Ela se disse aliviada por estarmos encaminhando a filha para atendimento médico e social. É como se tivéssemos tirado um peso dos ombros dela", disse Carvalho.

A mãe, que é auxiliar de cozinha e cria a filha sozinha, contou que tomara a medida havia cerca de 40 dias, porque a jovem saía de casa apenas para se drogar. Disse que precisava trabalhar e ela ficava sozinha.

Maus-tratos

A adolescente estava magra e desnutrida. Segundo a mãe, não aceitava comida e dizia que só se alimentaria após usar droga. A mulher foi levada para o plantão da Polícia Civil e indiciada em inquérito por maus-tratos. Como não há previsão de prisão em flagrante para o crime, ela vai responder em liberdade. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Massa  News

Mais artigos...

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web