JORNALISTAMINI

PCC e CV travam guerra pelo domínio do tráfico nas fronteiras e em Estados

Relação pacífica entre as duas quadrilhas vinha se desgastando nos últimos meses também

presosmortosAs facções criminosas PCC (Primeiro Comando da Capital), de São Paulo, e CV (Comando Vermelho), do Rio, estão em guerra pelo domínio do tráfico de drogas na fronteira do Brasil com países como Paraguai, Bolívia e Colômbia. A relação entre as duas quadrilhas, até então pacífica, vinha se desgastando nos últimos meses também por causa da disputa pelo comando do tráfico em alguns Estados.

No último fim de semana, 18 presos foram mortos durante rebeliões em presídios de Boa Vista (Roraima) e Porto Velho (Rondônia) por causa da guerra. Por medida de segurança, integrantes do PCC presos no Rio foram transferidos para presídios ocupados por inimigos do Comando Vermelho.

Segundo o procurador de Justiça Márcio Sérgio Christino, a relação entre as quadrilhas se agravou depois do assassinato do empresário e narcotraficante Jorge Rafaat Toumani, de 56 anos, em junho. Ele era conhecido como "rei do tráfico" e sofreu uma emboscada na fronteira com o Paraguai. O seu carro, que tinha blindagem para suportar tiros de fuzil e metralhadora, foi perfurado com tiros de calibre .50, o mais potente usado em armas individuais.

— O PCC passou a comandar o tráfico nessa região da fronteira. O CV, então um aliado, imaginou que poderia lucrar com o tráfico, mas aconteceu o contrário. Quando eles perceberam a real situação, o PCC já tinha dominado tudo.

Triagem

O Serviço de Inteligência do Ministério Público de São Paulo apurou que, desde terça-feira (18), a cúpula do PCC pediu um levantamento sobre quem são os integrantes do Comando Vermelho que estão em presídios de São Paulo. Para o promotor Lincoln Gakiya, especialista em crime organizado, uma hipótese é que a facção paulista tenha em mãos essa triagem para determinar futuras represálias contra esses detentos.

Segundo o Ministério Público, a facção paulista já atua em todos os Estados do País. Em parte deles, disputa o domínio com facções locais.

— Todos os problemas que acontecem fora de São Paulo são trazidos para a cúpula do PCC avaliar e determinar o que será feito.

O serviço de inteligência apurou que o PCC enfrenta forte resistência nas regiões Norte e Nordeste, lideradas pelas facções Sindicato RN e Família do Norte, além de Estados do Sul, como Santa Catarina e Rio Grande do Sul, onde se destaca o Primeiro Grupo Catarinense.

— Foi detectado que o Comando Vermelho está se aliando a esses grupos locais para impedir o comando do tráfico pelo PCC.

O tradicional batismo de novos integrantes do PCC já está proibido em presídios desses Estados. "Começou a guerra", reagiu o secretário da Administração Penitenciária de São Paulo, Lourival Gomes. Segundo ele, até agora nenhum preso foi morto nos presídios paulistas.

Receita diz que cocaína apreendida em SC chega a 811 kg

Droga foi encontrada em terminal portuário de Navegantes.
Entorpecentes estavam escondidos em pedras que iriam para a Espanha.

811kgcocaA Receita Federal informou na noite desta sexta-feira (6) que a cocaína apreendida pela manhã no terminal portuário de Navegantes, no Litoral Norte de Santa Catarina, soma um total de 811 kg. A droga estava escondida em blocos de pedra que seriam levados de navio para a Espanha. No total, foram encontrados 751 tabletes.

A carga de pedra estava dentro de um contêiner, que foi selecionado pela Receita Federal e passado em escâner. Durante a inspeção, os fiscais localizaram a droga. "Descobrimos fundo falso e dentro de uma pedra havia 200 quilos de cocaína", explicou o inspetor da Receita Federal Luís Gustavo Robetti.

Havia oito contêineres, cada um com uma pedra. Foi encontrada droga em três desses oito contêineres.

No momento da abordagem, estavam apenas os motoristas dos caminhões que levavam os contêineres. Ninguém foi preso. A apreensão será encaminhada à Polícia Federal, que irá investigar o caso.

Conforme mostrou o RBS Notícias, esta já pode ser considerada a maior apreensão de cocaína da história do estado. Em 2008, cerca de 600 quilos haviam sido encontrados em Imbituba, no Sul catarinense.

Fonte: G1

PF destrói 36 mil pés de maconha que tinham até sistema de irrigação em PE

Vídeo mostra sistema de irrigação de 2 km montado em fazenda de Pedra, PE.
Pés colhidos e prensados resultariam em 12 toneladas de maconha, diz PF.

irrigacaoUm total de 36 mil pés de maconha foram destruídos em uma fazenda localizada em Pedra, no Agreste de Pernambuco. O caso ocorrido no dia 20 de setembro foi divulgado na manhã desta terça-feira (27) pela Polícia Federal. De acordo com a PF, dois homens foram detidos no local suspeitos de cultivar o plantio e montar uma tubulação de 2 km para irrigar os pés de maconha.
O sistema da irrigação funcionava por meio de bombas elétricas "que passavam por poços em sequência que retiravam água da Barragem do Riacho do Pau até chegar nas plantações", conforme detalhou a Polícia Federal.

Ainda segundo a PF, foi constatado que o plantio "foi implantado com eficientes técnicas de preparo do solo e de cultivo, com o uso de adubação química e de vários implementos agrícolas. Isto demandou um grande investimento financeiro, a maior parte bancado pelo proprietário da fazenda".

Toda a plantação foi incinerada junto com 120 kg da droga - que estavam dentro de sacolas. De acordo com a Polícia Federal, caso os 36 mil pés fossem colhidos e prensados, daria para se fazer 12 toneladas de maconha.

Um agricultor de 26 anos foi encontrado trabalhando na plantação de maconha. Ele foi autuado em flagrante e levado para o Presídio Advogado Brito Alves, em Arcoverde.

O dono do plantio e da fazenda - um homem de 43 anos - chegou a ser levado para a unidade prisional, mas foi solto e responderá pelo processo em liberdade. Além da dupla, três pessoas que participavam do cultivo da droga foram identificadas e serão indiciadas por tráfico e associação para o tráfico, de acordo com a PF.

Caso sejam condenados, os envolvidos podem pegar uma pena que varia de cinco a 15 anos de reclusão. Os detidos foram levados para realizar exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML).

Fonte: http://g1.globo.com

PF apreende carga de maconha com logotipo de cartel mexicano no PR

Foram encontradas 1,5 tonelada de droga em fundo falso de caminhão.
Dois homens foram presos em Nova Esperança, neste sábado (17).

drogasapreendidasDois homens, de 35 e 38 anos, foram presos com 1,5 tonelada de maconha em Nova Esperança, no noroeste do Paraná, neste sábado (17). A droga estava escondida em um fundo falso da carroceria de um caminhão que transportava grãos de milho.

Conforme a Polícia Federal, alguns tabletes de maconha estavam envoltos por logotipos do cartel de drogas mexicano “Sinaloa”, conhecido internacionalmente por tráfico de drogas.

O caminhão com placas de Amambai, no Mato Grosso do Sul, foi localizado pela Polícia Federal e Polícia Militar às margens da rodovia BR-376. Uma denúncia anônima havia informado que o veículo estaria na região, e os agentes começaram a investigar onde ele estaria parado.

Como o caminhão estava carregado com grãos de milho, a equipe do canil da Polícia Militar foi chamada. Os cães farejadores acusaram a presença da droga, e após a carga ser descarregada em um cerealista se constatou a presença dos tabletes do entorpecente.

Os dois suspeitos foram levados à delegacia da Polícia Federal de Maringá e foram autuados pelo crime de tráfico internacional de entorpecentes.

Quer saber mais notícias da região? Acesse o G1 Norte e Noroeste.

Polícia Federal deflagra operação contra tráfico de drogas em sete estados, entre eles o Paraná

pfdeflagraA Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (31) a Operação Minotauro. A meta é desarticular organizações criminosas em Pernambuco, Paraná e Mato Grosso do Sul relacionadas a esquema de tráfico transnacional de maconha e cocaína, além de contrabando de armas de fogo de uso restrito.

Segundo nota divulgada pela PF, desde a madrugada de hoje, 130 policiais federais cumprem 12 mandados de prisão: cinco no Paraná, três em Pernambuco, um no Mato Grosso do Sul, um na Paraíba e dois na Bahia. Duas pessoas estão foragidas.

Outros 21 mandados de busca e apreensão são distribuídos em cinco estados: Pernambuco, Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Santa Catarina. Os mandados foram expedidos pela 13ª Vara Federal.

Sequestro de bens e bloqueio de contas bancárias também foram determinados pela 13ª Vara Federal, além de quatro conduções coercitivas destinadas a pessoas supostamente relacionadas a processo de lavagem de dinheiro, entre elas, titulares de contas bancárias de pessoas físicas e jurídicas com expressiva movimentação financeira.

Até o momento, nove mandados de prisão já foram cumpridos. Também foi realizada a apreensão de duas caminhonetes S-10, um Jeta, uma Land Rover, um Gol, uma Hilux, um Ônix e uma motocicleta Honda Hornet CB600.

Os presos, após os indiciamentos e interrogatórios, serão apresentados à Justiça Federal para audiência de custódia e, em seguida, serão submetidos a exame de corpo de delito e encaminhados para o Cotel (Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna).

Os investigados presos em outros estados serão interrogados na unidade da Polícia Federal e transferidos para Pernambuco.

Nomes dos presos

Dos quatro mandados de prisão em Pernambuco, três foram cumpridos. Os detidos são Cícero Thiago Cavalcanti,  conhecido como Touro, alagoano residente no Recife; Marcelon Luis da Silva, oGeneral, que mora em Igarassu (PE); e o soteropolitano Isac Lima Marques, vulgo Maguary, preso no Recife.

Na Paraíba, foi preso Carlos Genildo de Souza, o Capitão; no Paraná, também três dos quatro mandados foram cumpridos, resultando na prisão de Cristiano Moreira de Oliveira, conhecido como Cris; Gilmar da Silva Almeida, vulgo Boneco; e Claumir Heidmann, o Velho.

Em Mato Grosso do Sul, o suspeito levado pela PF foi Gerson Cosmo Nunes Coutinho; e no Paraná foram detidos Edson Gerald e José Aparecido. Os dois foragidos são Cristiano da Silva Araújo, o Playboy, de Pernambuco; e José Erni Nunes, o Cabelo, do Paraná.

Origem das investigações

As investigações começaram em 2015 com a identificação de 1.257 kg de maconha de origem paraguaia. A droga foi enviada a Pernambuco pela organização estabelecida no Paraná. Segundo a PF, o fornecimento de drogas e armas de fogo era promovido mediante pagamento em espécie, depósitos bancários e doação de automóveis.

Nas investigações, foram apreendidas aproximadamente quatro toneladas de drogas das organizações criminosas investigadas, conforme informou a Polícia Federal. As apreensões ocorreram em Minas Gerais, Alagoas, Pernambuco e no Paraná.

Fonte: http://www.portalnatelado190.com.br/

Mais artigos...

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web