JORNALISTAMINI

Servidor flagrado furtando celular é afastado pela Prefeitura de Porto Alegre

Segundo informou a assessoria de imprensa da prefeitura, o afastamento será por 30 dias, a partir desta quinta (25). Aplicação das penalidades pode culminar na exoneração.

n2901O servidor do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) de Porto Alegre flagrado em reportagem do Fantástico furtando um telefone celular será afastado para que o fato seja apurado em um processo disciplinar. Segundo informou nesta quarta-feira (24) a assessoria de imprensa da prefeitura, o afastamento será por 30 dias, a partir desta quinta (25). 

De acordo com a prefeitura, a aplicação das penalidades previstas na legislação municipal pode culminar na exoneração do servidor. 

Na reportagem do Fantástico exibida no último domingo (21), o repórter Giovani Grizotti revelou uma situação surpreendente no Centro da capital gaúcha, com o rastreamento de um furto de celular, praticado pelo servidor do DMLU junto com uma funcionária de uma prestadora de serviço da sede operacional do governo do estado do Rio Grande do Sul. 

A equipe da RBS TV instalou em um celular um aplicativo que mostra tudo o que acontece ao redor do aparelho, capturando remotamente áudios e vídeos, além de registrar localização, chamadas feitas e recebidas, e até a rede wifi na qual o telefone está conectado. O repórter colocou o celular à mostra em um compartimento externo de uma mochila e saiu para caminhar por ruas de Porto Alegre e também de São Paulo. 

Câmeras escondidas na própria mochila e no alto de um prédio registraram o momento em que um casal se aproxima do repórter e o homem, usando um jornal dobrado para disfarçar, furta o celular. Identificados como Nara Jaqueline Rodrigues e Paulo Vilnei Abadie, eles foram rastreados pelo aplicativo instalado no aparelho mostrando o deslocamento pelas ruas de Porto Alegre, inclusive quando a dupla instala um novo chip no aparelho roubado, fato que foi imediatamente informado pelo dispositivo espião. 

Procurados depois pela reportagem, Abadie negou, mesmo diante de informação de que o ataque havia sido filmado. Diante da insistência do repórter, ele decide confessar, admitindo que, no passado, cometia esse tipo de crime. 

"Nem sei por que fiz, senhor, na real, nem sei por que fiz. Eu sou honesto. Eu sou direito. Na realidade, estava caindo (o celular à vista na mochila), meu amigo. Eu vendo passando, foi um estalo que deu, nem vi nada", afirmou. 

 

Fonte: G1

 

Comentar

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web