WhatsApp Image 2021 12 08 at 13.52.38

Advogado alvo do Gaeco gerenciava dinheiro do tráfico de drogas do PCC

https://cdn6.campograndenews.com.br/uploads/noticias/2023/11/21/48739506e81d98b99171228656a425d78d18691d.jpeg Alvo do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), na manhã desta terça-feira (21), o advogado Alexssander Cardoso dos Santos gerenciava o dinheiro do tráfico de drogas para a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), segundo a investigação. Ele foi preso no escritório onde atuava, na cidade de Água Clara, a 198 km de Campo Grande.

Trata-se da segunda fase da operação "Expurgo", que cumpriu, além do mandado de prisão contra o advogado, dois mandados de busca e apreensão.

Segundo o Gaeco, o advogado extrapolou os limites da defesa jurídica. "Passou a integrar diretamente a organização criminosa, para a qual inicialmente prestava serviços, chegando a gerenciar o dinheiro oriundo do tráfico de drogas e até concordar em guardar uma determinada quantidade de cocaína em seu escritório".

A investigação que levou à prisão de hoje começou a partir de informações obtidas na primeira fase da Expurgo, deflagrada em outubro do ano passado contra o PCC e que contou até com helicóptero. Na época, foram cumpridos 26 mandados de prisão preventiva e 25 mandados de busca e apreensão.

De acordo com as investigações, o grupo comandava o tráfico de drogas na cidade, além de cometer crimes de lavagem de dinheiro e posse de armas de fogo. Um dos alvos, Matheus Santos Carvalho, de 23 anos, o "Chinfra", reagiu à prisão, foi baleado e morreu.

Na primeira fase da Expurgo, o valor aproximado do prejuízo gerado à organização criminosa foi de R$ 600 mil.

O Campo Grande News tentou encontrar a defesa do advogado preso, mas até a publicação da reportagem não obteve retorno.

Em nota, a OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso do Sul) informou que a Comissão de Defesa e Assistência está acompanhando as diligências e que adotará as "medidas cabíveis, inclusive de natureza disciplinar, respeitando o direito à ampla defesa e contraditório, bem assim as prerrogativas da advocacia".

Fonte: https://www.campograndenews.com.br/cidades/interior/advogado-alvo-do-gaeco-gerenciava-dinheiro-do-trafico-de-drogas-para-o-pcc

Comentar

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                  Saiba os benefícios de usar o LinkedIn para a sua vida profissional - IFS -  Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe 

blogimpakto  acervo       jornalismoinvestigativo      Capa do livro: Prova e o Ônus da Prova - No Direito Processual Constitucional Civil, no Direito do Consumidor, na Responsabilidade Médica, no Direito Empresarial e Direitos Reflexos, com apoio da Análise Econômica do Direito (AED) - 3ª Edição - Revista, Atualizada e Ampliada, João Carlos Adalberto Zolandeck   observadh

procurados

Desenvolvido por: ClauBarros Web