WhatsApp Image 2021 12 08 at 13.52.38

PF desarticula grupo criminoso voltado para a prática de crimes de corrupção em Juiz de Fora e em outras cidades de MG

https://s2.glbimg.com/l3tWNoUsumA520RJ-jKYEtZolNQ=/0x0:768x576/984x0/smart/filters:strip_icc()/i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2022/H/C/ZyGYyURp62CgSJBvq7vw/83393327-f41f-4d99-9dfd-03d1e6085e74.jpeg Operação 'Forseti' foi deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira (28) no município e em outras 6 localidades do estado.

 A Polícia Federal e a Corregedoria de Polícia Civil deflagraram nesta terça-feira (28) a Operação "Forseti", com o objetivo de desarticular um grupo criminoso voltado para a prática de crimes de corrupção, tráfico de drogas e outros crimes. A ação ocorreu em Juiz de Fora e em outras 6 cidades de Minas Gerais. No município da Zona da Mata mineira, um suspeito de ser um dos maiores traficantes da região foi preso.

De acordo com investigações, o grupo era composto por policiais civis da Delegacia de Repressão ao Furto, Roubo e Desvio de Cargas (Depatri) e foram encontrados indícios de que eles receberam dinheiro para "esvaziar o procedimento investigativo" sobre um homem preso em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Minas Gerais.

O suspeito estava com 36 quilos de cocaína em uma casa usada como “laboratório” para o armazenamento, preparo e corte de drogas.

A reportagem entrou em contato com a assessoria da Polícia Civil, que informou que os servidores presos em Belo Horizonte, Nova Lima, Betim e Contagem foram recolhidos na Casa de Custódia da Polícia Civil, onde estão à disposição da Justiça. (Veja a nota na íntegra abaixo).

Apreensões

Foram cumpridos 9 mandados de prisão, 23 de busca e apreensão e 6 de afastamentos da função pública de policiais, bloqueio de valores em 23 contas bancárias de investigados e envolvidos, além do sequestro de 33 imóveis e de diversos veículos.

Os presos ficarão à disposição da Justiça e responderão pelos crimes de tráfico de drogas, corrupção ativa e lavagem de dinheiro. Se condenados, poderão cumprir até 37 anos de reclusão além de multa.

Operação 'Terceiro'

Uma força-tarefa coordenada pela Polícia Federal e composta também pelas Polícias Militar, Civil e Penal realizou ainda, na manhã desta terça-feira, uma operação que visou desmantelar a organização criminosa especializada em tráfico de drogas e lavagem de dinheiro suspeita de subornar os policiais.

Nota da Polícia Civil

"A Polícia Civil informa que a Corregedoria-Geral da Polícia Civil de Minas Gerais realizou, nesta manhã (28/6), operação conjunta com a Polícia Federal e com o Ministério Público de Minas Gerais, e cumpriu 9 mandados de prisão preventiva e 22 de busca e apreensão na capital e na região metropolitana. A ação é resultado de investigações relacionadas à prática de crimes contra a Administração Pública, entre outros. Os mandados, expedidos pela Vara de Tóxicos, Organizações Criminosas e Lavagem de Dinheiro, foram cumpridos em Belo Horizonte, Nova Lima, Betim e Contagem. Os servidores presos foram recolhidos na Casa de Custódia da Polícia Civil, onde estão à disposição da Justiça".

Comentar

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                  Saiba os benefícios de usar o LinkedIn para a sua vida profissional - IFS -  Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe 

blogimpakto  acervo       jornalismoinvestigativo   blinsul   mma1 2   TVSENADO   Monitor da Violência – NEV USP   Capa do livro: Prova e o Ônus da Prova - No Direito Processual Constitucional Civil, no Direito do Consumidor, na Responsabilidade Médica, no Direito Empresarial e Direitos Reflexos, com apoio da Análise Econômica do Direito (AED) - 3ª Edição - Revista, Atualizada e Ampliada, João Carlos Adalberto Zolandeck      

procurados

Desenvolvido por: ClauBarros Web