jornalista1

Operação da PF investiga falsificação de documentos da Abin para obtenção de porte de arma de fogo

Operação Araponga cumpriu, nesta segunda-feira (24), oito mandados de busca e apreensão nas cidades do Recife e de Escada. Dois veículos foram apreendidos.

11111 Quadrilha que falsificava documentos para obter porte de arma é desarticulada pela PF

Uma operação da Polícia Federal (PF) foi realizada, nesta segunda-feira (24), para desarticular uma quadrilha que falsificava documentos da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para obter porte de arma de fogo (veja vídeo acima).

Segundo a PF, as investigações da Operação Araponga apontaram que, em 2019 e 2020, a organização criminosa falsificou e vendeu documentos de identidade funcional da Abin. Com isso, pessoas se passavam por integrantes do órgão federal e conseguiam o porte de armas de fogo sem autorização.

Ao todo, oito mandados de busca e apreensão expedidos pela 36ª Vara Federal da Seção Judiciária de Pernambuco foram cumpridos. As buscas foram realizadas nas cidades do Recife e de Escada, na Zona da Mata do estado. Dois veículos, além de celulares e documentos, foram apreendidos pela PF.

Operação Araponga foi deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta segunda-feira (24) — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Ao todo, oito mandados de busca e apreensão foram expedidos e, ao menos, dois veículos foram apreendidos — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Informações sobre a quantidade de documentos que foram falsificados e de pessoas que obtiveram acesso a armas através da quadrilha não foram divulgadas pela PF. Ao todo, 38 policiais federais participaram da operação.

Ainda segundo a PF, os investigados podem responder pelos crimes de associação criminosa, falsificação de documentos públicos, uso de documentos falsos, falsa identidade, posse e porte ilegal de arma de fogo.

Resposta da Abin

Por meio de nota, a Abin informou "ter tomado ciência e denunciado o indício de ação criminosa à autoridade competente em fevereiro de 2019".

Ainda no texto, disse que "os documentos utilizados pelos falsários não condizem com a identidade funcional adotada pelo órgão e que a concessão de porte de arma de fogo a servidores da Agência segue estritamente a legislação vigente".

Também no comunicado, declarou que "exalta a desarticulação da organização criminosa e garante que continuará reportando à autoridade policial competente todo e qualquer caso de uso criminoso ou indevido de seu nome e de sua identidade visual".

Fonte: https://g1.globo.com/

Comentar

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                  Saiba os benefícios de usar o LinkedIn para a sua vida profissional - IFS -  Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe 

blogimpakto  acervo         jornalismoinvestigativo   fundobrasil   Monitor da Violência – NEV USP   Capa do livro: Prova e o Ônus da Prova - No Direito Processual Constitucional Civil, no Direito do Consumidor, na Responsabilidade Médica, no Direito Empresarial e Direitos Reflexos, com apoio da Análise Econômica do Direito (AED) - 3ª Edição - Revista, Atualizada e Ampliada, João Carlos Adalberto Zolandeck

procurados

Desenvolvido por: ClauBarros Web