jornalista1

Acusação diz que policial militar foi atacado por colega de farda e que morte é “intolerável”

  O advogado Claudio Dalledone, que representa a família do policial militar Lecio Tadeu dos Santos e deve atuar como assistente de acusação no caso, criticou o soldado Elias Postanovski pela morte ocorrida no início de fevereiro, em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba. Em entrevista à Banda B, Dalledone definiu o caso como “intolerável” e rebateu a alegação de legítima defesa no caso.

“É um fato intolerável. Nós não temos notícia de uma ocorrência desta natureza, onde em serviço um policial atira contra o outro. Eles [Santos e Postanovski] tinham a confiança da comunidade e da corporação para que um proteja o outro”, disse o advogado.

Lecio Tadeu dos Santos, de 42 anos, foi atingido por um tiro no rosto e morreu na hora. O policial que atirou, Elias Postanovski, de 31, foi preso em flagrante. Segundo informações da polícia, Elias e Tadeu começaram a discutir dentro de uma viatura da PM, resultando na morte. Tudo foi flagrado por uma câmera de segurança. Para a polícia, a versão oficial apontava que a briga começou quando Elias questionou a forma como Tadeu dirigia.

Durante a semana, a defesa de Postanovski chegou a levantar a possibilidade de legítima defesa, que é criticado por Dalledone. “O nosso ordenamento não faz nenhuma previsão de legitima defesa da legitima defesa. Quem desceu do carro atacando, por duas vezes, foi o soldado que atirou. Ele toma um revide e, então, responde com um disparo”, afirma.

Antecedentes Criminais

Outro ponto apontado pela família de Santos é a comparação de antecedentes criminais entre os policias. Segundo o advogado Claudio Dalledone, isso evidencia a diferença de conduta entre vítima e atirador. “Enquanto o que pereceu [Santos] tem uma ficha com menções elogiosas, o outro [Postanovski] tem uma condenação por agredir e apontar arma para um frentista em um posto de gasolina. Seguramente vamos postular por uma medida de justiça e o que se impõe é a condenação do soldado que ceifou uma vida de maneira despropositada”, concluiu.

Outro lado

A Banda B também procurou o advogado responsável pela defesa de Dival Carvalho Gomes. Segundo o defensor, ele ainda não teve acesso a ficha criminal do cliente e irá aguardar a conclusão do inquérito policial.

Polícia Militar

A PM também enviou nota sobre o caso. Confira na íntegra:

Diante dos questionamentos deste veículo, o 17º Batalhão da Polícia Militar esclarece que foi instaurado um Inquérito Policial Militar (IPM) para apuração das circunstâncias que envolvem o fato. Neste procedimento estão sendo ouvidas testemunhas e serão avaliadas as perícias. O policial militar preso no local dos fatos continua detido e à disposição da Justiça Militar Estadual.

Além do acima exposto, a unidade se reserva ao direito de não revelar outras informações e nem opinar sobre o fato para não influenciar a apuração, não criar hipóteses e também para que não haja algum juízo prévio da situação. O policial em questão, conforme prevê a lei, tem direito á ampla defesa e ao contraditório.

O Batalhão informa aindas que as famílias de ambos os policiais envolvidos estão recebendo atendimento psicológico e apoio das equipes de Assistência Social da Polícia Militar do Paraná.

Fonte: bandab.com.br

Mendigos em Manaus são presos por se alimentar de cachorros e gatos

Duas pessoas em situação de rua foram presas na noite da última quinta-feira (18), em Manaus por maus-tratos contra animais. Segundo as autoridades, a dupla que morava nas proximidades do Terminal1, no Centro da capital, mantinha gastos e cachorros presos e depois se alimentava deles, a noite.

De acordo com a Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente (DEMA), um Boletim de Ocorrência (BO) os dois indivíduos em situação de rua maltratavam animais domésticos e depois se alimentavam deles.

A prisão ocorreu no mesmo local, onde os dois viviam. Segundo relatos de testemunhas que moravam próximo, era possível ouvir os barulhos feitos pelo animais, por conta dos maus-tratos. Policiais militares da 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) que foram até o local, após denúncias, encontraram 3 cachorros e 2 gatos amarrados.

Os animais estavam em local insalubre e de péssimas condições. A suspeita é que os mendigos matavam os animais a pauladas, assavam em um fogueira e os comiam durante a noite. A dupla acabou presa e foi encaminhada para registrar o caso no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Conforme informações da escrivã Ieda da Costa Monteiro, os dois indivíduos foram detidos, interrogados e indiciados por maus tratos. Além disso, vão responder a um Inquérito Policial (IPL) em liberdade.

Fonte: manausalerta.com.br

Vídeo mostra discussão entre PMs que terminou com soldado morto a tiro, em Campo Largo

Caso aconteceu na madrugada desta sexta-feira (5), na Região Metropolitana de Curitiba. Policial de 42 anos foi atingido no rosto pelo colega e morreu no local. Caso está sendo investigado.

Vídeo mostra momento de desentendimento entre PMs, em Campo Largo 2 min Vídeo mostra momento de desentendimento entre PMs, em Campo Largo

Vídeo mostra momento de desentendimento entre PMs, em Campo Largo

Policial militar matou o colega durante o atendimento de uma ocorrência.

Um vídeo mostrou o momento em que dois policiais militares discutiram enquanto estavam voltando de uma ocorrência de roubo em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba, na madrugada desta sexta-feira (5). Um deles foi morto pelo colega de corporação, após esse desentendimento.

Nas imagens é possível ver o soldado Elias Postanovski, de 31anos, e o soldado Lécio Tadeu dos Santos, de 42 anos. Assista acima.

O vídeo não mostra o momento em que Postanovski saca a pistola que usa em serviço e dispara contra o rosto do colega Lécio dos Santos.

Vídeo mostra discussão entre PMs que terminou com soldado morto a tiro, em Campo Largo — Foto: Reprodução/RPC

Vídeo mostra discussão entre PMs que terminou com soldado morto a tiro, em Campo Largo — Foto: Reprodução/RPC

O boletim de ocorrência foi feito com base no relato de um terceiro PM, que testemunhou a situação.

À polícia, ele disse que os três estavam se deslocando para uma ocorrência de roubo, e que Lécio dos Santos era quem conduzia o carro.

Segundo o depoimento do terceiro PM, Lécio estava dirigindo rapidamente, colocando os demais companheiros em risco.

Ainda conforme o relato do PM, no momento em que desceram do carro, o soldado Lécio começou um desentendimento com o soldado Postanovski.

A testemunha disse que tentou conter a discussão, mas que o soldado Lécio estava mais alterado e, em determinado momento, agrediu Elias Postanovski com um tapa no rosto.

Neste momento, de acordo com a testemunha, Postanovski sacou a arma e deu um tiro no rosto do colega, que morreu no local.

Lécio dos Santos atuava na PM há 14 anos. Já Postanovski faz parte da corporação desde 2012 e foi preso em flagrante pelo terceiro integrante da equipe, que prestou depoimento.

O policial foi levado ao 17° batalhão, em Piraquara, e deve responder pelo crime de homicídio.

"Ele não teve condições ainda de falar exatamente o que aconteceu, visto que depois da prisão dele ficou totalmente emocionado, totalmente sem condições. Tem que canalizar o todo para ver que linha de defesa a gente vai tomar", disse o advogado que defende Postanovski, Dival Carvalho Gomes.

Lécio Tadeu dos Santos será enterrado no sábado (6), na Colônia Witmarsum, na região dos Campos Gerais do Paraná.

Policial foi morto pelo colega depois de um desentendimento, segundo a PM  — Foto: Anderson Grossl/RPC

Policial foi morto pelo colega depois de um desentendimento, segundo a PM — Foto: Anderson Grossl/RPC

Em nota, a PM disse que classifica como gravíssima a situação e que, acima de tudo, lamenta profundamente a tragédia.

"O policial militar responsável pelo disparo encontra-se preso em flagrante pelo crime militar de homicídio, e permanecerá sob custódia, à disposição da autoridade judiciária competente. O Comando-Geral da Polícia Militar do Paraná ressalta que a atitude afronta todos os valores fundamentais da instituição e do Estado Democrático de Direito e que neste momento de profunda infelicidade e comiseração, concentra seus maiores esforços no apoio aos familiares de ambos os militares estaduais envolvidos na tragédia", diz a nota.

A corregedoria da PM informou ainda que está investigando o caso. A Justiça Militar é que decide se o autor do disparo permanece ou será expulso da PM.

Fonte: G1.globo.com

Bombeiro do DF é preso após filmar colega tomando banho em alojamento

Militar foi detido e levado para a cela do 19º Batalhão da Polícia Militar, conhecido como Papudinha, no Complexo da Papuda

Violência contra mulher Um militar do Corpo de Bombeiros do DF foi detido após ser flagrado filmando uma colega corporação tomando banho em um alojamento do quartel. O episódio, tratado como assédio, ocorreu nesta quarta-feira (3/2).

De acordo com informações apuradas pelo Metrópoles, o homem usou o telefone para gravar a mulher. Ela teria percebido a ação e o repreendido. Para confirmar a denúncia, pediu para olhar as câmeras de segurança voltadas para a entrada da porta do alojamento.

A imagens comprovaram as suspeitas e o militar recebeu voz de prisão e acabou conduzido à cela do 19º Batalhão da Polícia Militar, conhecido como Papudinha, no Complexo da Papuda, em São Sebastião. É para essa unidade onde ficam encarceirados policiais e bombeiros que cometem crimes.

O aparelho do bombeiro foi apreendido para perícia. Há suspeita de que ele tenha filmado outras colegas.

O que diz o Corpo de Bombeiros

Em nota, o Corpo de Bombeiros disse defender a “a lei, a integridade e a dignidade humana e que todas as medidas cabíveis serão tomadas”. O comando finalizou dizendo prestar todo suporte à bombeira assediada. ” À vítima será prestado todo o apoio e assistência necessários”.

O comandante-geral do CBMDF, coronel Willian Bomfim, ao Metrópoles, reforçou que a investigação interna “será conduzida com rigor pela Corregedoria”.

Fonte: metropoles.com

Inspetor é preso em flagrante ao tentar entrar com 28 quilos de maconha, um de cocaína e outros materiais ilícitos em unidade prisional

Material foi apreendido e Marcos, preso em flagrante Um inspetor penitenciário foi preso em flagrante, na madrugada deste domingo, tentando entrar com 28,3 quilos de maconha, cocaína, tesouras, além de outros materiais, no Instituto Penal Vicente Piragibe, no Complexo de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste.

O agente Marcos Soares de Lima foi identificado por câmeras da Central de Monitoramento da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). Segundo a secretaria, as imagens mostraram um homem arremessando duas mochilas para dentro da unidade.

Por volta de 1h30, duas mochilas fora jogadas dentro da unidade, através da guarita externa. O chefe de plantão foi até o local e viu que, dentro das mochilas, havia 25 tabletes de maconha, um de cocaína, quatro aparelhos de telefone celular, dois chips, 30 molas e quatro tesouras. O inspetor e o material apreendido foram encaminhados à 35ª DP (Campo Grande).

Mochilas tinham drogas, aparelhos de telefone celular, além de outros materiais ilícitos

Mochilas tinham drogas, aparelhos de telefone celular, além de outros materiais ilícitos Foto: Reprodução Segundo a Seap, câmeras identificaram o inspetor como responsável por jogar as mochilas com material ilícito dentro da unidade

Segundo a Seap, câmeras identificaram o inspetor como responsável por jogar as mochilas com material ilícito dentro da unidade Foto: Reprodução

Nota da Seap

As câmeras de vídeo da Central de Monitoramento da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária flagraram, na madrugada deste domingo (31/01), um homem arremessando duas mochilas para dentro do Instituto Penal Vicente Piragibe, no Complexo de Gericinó, em Bangu. Na mochila que ele carregava foram encontrados 28,3 quilos de maconha, 1kg de cocaína, 4 tesouras, 30 molas, um aparelho celular e dois chips.

Verificadas as imagens, foi identificado que se tratava de um policial penal que trabalhava no Grupamento de Muralha. Ele foi preso em flagrante e levado junto com os materiais, que foram rapidamente periciados, para a 35ª DP.

A Central de Monitoramento da Seap foi inaugurada em 2019, e é considerado o mais moderno centro de monitoramento do sistema prisional do País. A unidade conta com 1.800 câmeras de última geração, entre elas modelos de longo alcance (“speed dome). O sistema adotado também inclui reconhecimento facial, identificadores de placas veiculares e gerenciador de imagens com 

Fonte: extra.globo.com

Mais artigos...

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                  Saiba os benefícios de usar o LinkedIn para a sua vida profissional - IFS -  Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe 

blogimpakto  acervo         jornalismoinvestigativo   fundobrasil   Monitor da Violência – NEV USP   Capa do livro: Prova e o Ônus da Prova - No Direito Processual Constitucional Civil, no Direito do Consumidor, na Responsabilidade Médica, no Direito Empresarial e Direitos Reflexos, com apoio da Análise Econômica do Direito (AED) - 3ª Edição - Revista, Atualizada e Ampliada, João Carlos Adalberto Zolandeck

procurados

Desenvolvido por: ClauBarros Web