jornalista1

Policial é afastado suspeito de implantar armas e drogas para incriminar investigado

np0205Um policial civil foi afastado das funções suspeito de usar armas e drogas para incriminar pessoas que ele investigava. Promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) dizem que ele usava um "kit flagrante".

Conforme o Gaeco, uma arma roubada em 20 de novembro do ano passado durante uma abordagem no bairro Campo de Santana, em Curitiba, apareceu duas semanas depois, em 3 de dezembro, plantada para incriminar outra pessoas no bairro Umbará, também na capital. 

Segundo os promotores, o investigador Fabrício Lopes Freire foi o responsável pelas duas ações. De acordo com a denúncia, ele e outro policial invadiram a casa de uma adolescente à procura do companheiro dela que era suspeito de tráfico.

Na casa, segundo os promotores, Freire roubou uma arma de fogo e dois celulares. Nada foi registrado na delegacia.

O Gaeco afirma que no dia 3 de dezembro o policial e outros investigadores entraram na casa de um rapaz alegando que o carro na garagem dele estava com alerta de furto.

Segundo os promotores, Freire exigiu R$ 10 mil para não autuar o rapaz por crime de receptação. O homem se recusou a pagar e recebeu voz de prisão.

De acordo com o Gaeco, o policial então atestou falsamente que havia encontrado na residência do rapaz certa quantidade de drogas e uma arma de fogo, além do veículo furtado.

A investigação aponta que a arma era a mesma que o policial tinha roubado duas semanas antes.

"Foi feito um laudo comparativo entre as armas com base em depoimentos prestados pela própria vítima, que confirmou que aquela arma era a que estava em sua residência e foi levada pelo investigador. Para nós, a arma que foi roubada na primeira residência foi plantada na segunda", diz o promotor Fernando Cubas.

Policiais do Gaeco fizeram buscas no carro usado por Fabrício e apreenderam armas falsas, drogas e dois celulares. Segundo os promotores, uma perícia confirmou que os aparelhos eram os mesmos que tinham sido roubados pelo policial.

Em depoimento, o policial negou todas as suspeitas. "Eu não tenho nada, não tenho nada de ilegal, trabalhava dentro da lei. Sempre fui. Por isso sempre tive sucesso nos trabalhos que eu fiz há anos, ou seja, porque trabalhava honesto", disse.. 

Freire era chefe de investigação no 13º Distrito Policial, no bairro Tatuquara. Ele foi indiciado, entre outros crimes, por roubo, tráfico de drogas e porte ilegal de arma.

O Gaeco chegou a pedir a prisão do policial porque na avaliação dos promotores ele manchou a imagem da corporação. Mas a Justiça não aceitou o pedido. O investigador está em casa usando tornozeleira eletrônica.

Os promotores dizem que a investigação continua para saber se o "kit flagrante" foi usado para incriminar outras pessoas.

"Temos alguns indícios que esse era o modo de atuar desse investigador em outros, porém ainda não há uma comprovação, então tá sendo averiguada essa situação", afirma o promotor.

O que dizem os citados

A defesa do policial disse que a denúncia foi baseada em informações falsas de pessoas investigadas pelo próprio policial e que tem interesse em prejudicá-lo.

O advogado também afirmou que não existem provas de que Freire tenha praticado qualquer crime e que a inocência será demonstrada no processo.

A Polícia Civil do Paraná informou que além do processo criminal há procedimentos administrativos para investigar a conduta do policial. A polícia ressaltou que atos irregulares cometidos por servidores serão apurados e punidos de acordo com a lei. 

Fonte: G1 Paraná

 

Agente penitenciário é preso por tráfico de drogas dentro do Ceresp Gameleira

Servidor da unidade prisional foi levado para a delegacia e teve a prisão confirmada pelo delegado de plantão depois que outros agentes encontraram celulares e drogas em cela

np2904Um agente penitenciário foi preso na manhã desta sexta-feira suspeito de tráfico de drogas dentro do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) Gameleira, na Região Oeste de Belo Horizonte. De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), agentes de segurança penitenciária da unidade encontraram quatro celulares, 45 buchas de substância parecida com maconha e um invólucro de outra substância semelhante a cocaína em uma das celas do Ceresp.

Ainda segundo a pasta, há indícios de que o material tenha sido entregue por outro agente penitenciário, o que motivou o acionamento da Polícia Militar. O agente foi conduzido à Central de Flagrantes 3 da Polícia Civil. A direção do Ceresp Gameleira vai abrir investigação preliminar para apurar o fato na esfera administrativa.

A parte criminal ficará a cargo da Polícia Civil, que informou que o agente foi preso em flagrante por tráfico de drogas e também vai responder pelo crime previsto no artigo 349-A do Código Penal: "Ingressar, promover, intermediar, auxiliar ou facilitar a entrada de aparelho telefônico de comunicação móvel, de rádio ou similar, sem autorização legal, em estabelecimento prisional". 

Fonte: em

Oficial da PM de MS e filho são presos com 150 kg de cocaína em SP

oficialdapmUm primeiro tenente aposentado da Polícia Militar, de 65 anos, foi preso com mais de 150 quilos de cocaína na manhã desta quarta-feira (10) na SP-280 Km-74,600 região de Itú em São Paulo (SP).

O filho do policial, de 27 anos, que conduzia o veículo, uma Dodge – RAM também foi preso. No carro também havia uma criança de 5 anos, neto do policial.

De acordo com a Polícia Militar paulista, foi feita abordagem do veículo com placas de Douradina e em vistoria, verificou-se que os parafusos da capa plástica da caçamba estavam aparentemente alterados.

Em conversa com o motorista de 27 anos e com o policial, ambos apresentaram nervosismo e contradições em relação a viagem. Foi então feito uma vistoria minuciosa na caçamba e, por meio de um orifício na lataria, foi localizado a pasta base de cocaína em tabletes.

A ocorrência foi levada à sede da Polícia Federal de Sorocaba (SP), onde o veículo foi cortado para localização da droga por uma equipe do Corpo de Bombeiros. Os dois foram presos e a criança entregue ao Conselho Tutelar.

Fonte: https://www.midiamax.com.br/policia/2019/primeiro-tenente-ms-e-preso-com-o-filho-com-mais-de-150-kg-de-cocaina-em-sp/

Delegado é afastado por chamar petista de "rapariga" e "gostosa de transar"

np08041O delegado da Polícia Civil da Paraíba Francisco Azevedo, titular da 9ª delegacia distrital, localizada no bairro de Mangabeira, em João Pessoa, foi afastado do cargo hoje por ofender mulheres com insultos sexuais em um texto escrito por ele no Facebook. Na publicação, o delegado afirma que "mulher petista é mulher rapariga, safada, rodada, gostosa de transar e fácil de apaixonar."

O texto intitulado "As raparigas de Chico" foi compartilhado em modo público no dia 15 de fevereiro, mas somente hoje começou a ser repudiado nas redes sociais.

No texto, o delegado relata seu passado. Diz que na juventude se filiou ao PT, em 1996, e que os encontros eram "boêmios" e com sexo de todo tipo com mulheres. Além disso, ele enfatiza que só se destacava no partido quem "liderasse alguma coisa."

"Tinha até líder das bichas, mas surpreendentemente não havia líder das raparigas! Era estranho, pois nunca vi tanta rapariga junta num só lugar. Mulher petista é mulher rapariga, safada, rodada, gostosa de transar e fácil de se apaixonar", escreveu o delegado.

Em seguida, ele afirma no texto que nenhuma mulher petista aceita que o homem pague a conta e diz que "cada um paga o seu, mas no sexo não há matemática".

"Vale tudo! Com camisinha, sem camisinha, anal, oral, vaginal, de cabeça pra baixo, de cabeça pra cima, atravessado, torto, esquerdo e até endireitado", escreve.

Azevedo ainda relembra, em sua publicação, o consumo de bebidas alcoólicas e drogas e lamenta que o PT deixou a sua essência. "Enquanto a burguesia fazia sexo papai e mamãe e seus filhos cheiravam pó na orla, uma revolução se desenhava bem no centro, sob olhares dos edifícios que materializam o Poder do Estado. Pena que o PT deixou de ser raiz."

O UOL tentou localizar o delegado, na tarde de hoje, mas não conseguiu. Em um texto publicado nas redes sociais, restrito aos amigos, Azevedo se retrata pedido desculpas às companheiras que se sentiram ofendidos pela "linguagem rasa."

Azevedo justifica que redigiu uma crônica "sob licença poética, o que não tem compromisso com a gente, apesar de me basear na minha história de luta no movimento estudantil e no PT nos anos 90", diz o delegado, finalizando que "o que ainda nos une é a liberdade."

Afastamento

A Delegacia-Geral de Polícia Civil da Paraíba encaminhou hoje à Corregedoria da Polícia Civil denúncia sobre a conduta do delegado. A investigação deverá durar 20 dias e o procedimento poderá ser revertido em sindicância, processo administrativo ou ser arquivado caso os corregedores concluam que não há irregularidade. Enquanto isso, o delegado seguirá afastado.

O secretário da Segurança e da Defesa Social da Paraíba, Jean Francisco Nunes, reprovou a conduta do delegado e afirmou que tanto a Secretaria, quanto a Polícia Civil não apoiam a atitude dele.

"Assim que tomei conhecimento dessa publicação, imediatamente determinei que o conteúdo fosse encaminhado para ser apurado pela corregedoria para que seja apurado, todos os fatos e todas as circunstâncias", destacou o secretário de Segurança da Paraíba.

Críticas

Na sessão de ontem, na Câmara de Vereadores de João Pessoa, os parlamentares Marcos Henriques (PT) e Sandra Marrocos (PSB) criticaram o texto. A vereadora afirmou que não é filiada ao PT, mas que se sentiu ofendida como mulher.

O Partido dos Trabalhadores na Paraíba informou que ingressará com denúncia coletiva contra o delegado no Ministério Público Estadual, além de uma ação judicial para que sejam tomadas as providências cabíveis.

Por meio de nota, assinada pela secretária Estadual de Mulheres do PT-PB, Zezé Béchade, e pelo presidente Estadual do PT-PB, Jackson Macedo, o partido também afirmou que pediu o afastamento imediato do delegado de suas funções "por falta de ética e decoro."

"Nós, mulheres e homens petistas da Paraíba, indignadas (os) pela forma como fomos atacadas (os) em nossa dignidade e moral, repudiamos a conduta do delegado de Polícia Civil, Francisco Azevedo, que de forma grosseira tenta desqualificar, desvalorizar e humilhar as mulheres petistas com palavras de baixo calão, assim como, acusando homens e mulheres petistas com o intuito de atacar a honra e a moral", diz trecho da nota do PT. "São posturas como essas que naturalizam o ataque gratuito, o desrespeito e o ódio contra seres humanos, contra quem pensa contraditoriamente a outra pessoa", completa o texto.

Fonte: UOL

Esposas de presos bloqueiam o trânsito em frente à Ufac durante novo protesto

np0804Um grupo formado por familiares de presos do complexo Francisco de Oliveira Conde fecharam a BR-364, na rotatíria que dá acesso à Universidade Federal do Acre (Ufac), em Rio Branco, no início da tarde desta quarta-feira (3).

As esposas dos presos voltam a protestar pela terceira vez em menos de 10 dias contra as novas normas estabelecidades pela Instituro de Administração Penitenciária do Acre (Iapen) que diminuiu o tempo de visitas íntimas no presídios acreanos.

 

Fonte: FOLHADOACRE

Mais artigos...

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto     safestore1      CONTASABERTAS  universidadedotransito   acervo        kennya6      alexandrejose    codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web