JORNALISTAMINI

Facção de SP era responsável por transportar e estocar drogas no Porto de Santos, diz PF

De acordo com Polícia Federal, droga chegava na Europa valendo entre 25 mil e 30 mil euros o quilo. Operação nesta segunda prendeu 80 pessoas.

pf 0709Facções criminosas que atuam em presídios brasileiros estavam envolvidas no esquema de tráfico de drogas internacional que ocorria, principalmente, no Porto de Santos (SP), informou na tarde desta segunda-feira (4) a Polícia Federal (PF). Ao todo, 80 pessoas foram presas em operação nesta manhã, incluindo 28 funcionários do porto que facilitavam a entrada das drogas.

Segundo o delegado da PF Rodrigo de Campos Costa, a droga era produzida em países fronteiriços, como Colômbia, Peru e Bolívia. "Era trazida por caminhões, aviões ou helicópteros. Depois, a critério da organização criminosa, era remetida para o Porto de Santos", disse. Entre as facções envolvidas no caso está o Primeiro Comando da Capital (PCC), acrescentou o delegado.

Os grupos compravam e estocavam as drogas em São Paulo e as transportavam para Santos, de onde eram exportadas para diversos países da Europa. De acordo com a PF, a cocaína chegava à Europa com um valor que poderia variar de 25 mil a 30 mil euros o quilo.

As investigações apontam que, em um ano, o grupo traficou mais de seis toneladas de cocaína pura para a Europa.

Os criminosos atuavam de diversas formas. Uma delas era estocar as drogas dentro dos contêineres, dentro do próprio terminal. Isso facilitava o envio até o navio. Alguns criminosos ainda estocavam a droga no momento de içamento da carga no navio, quando a fiscalização era menos rigorosa.

Operação

Das prisões, 75 são preventivas (73 no estado de São Paulo, uma em Minas Gerais e outra em Brasília). Outras duas pessoas foram presas por outros crimes (por porte ilegal de arma e posse de drogas). Os presos detidos em São Paulo serão encaminhados ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pinheiros.

Mais dois suspeitos foram detidos com pequena quantidade de drogas. Por se tratar de infração de menor potencial ofensivo, eles só assinaram um termo circunstanciado na delegacia e foram liberados em seguida.

Cerca de 820 policiais federais participaram da operação. Eles cumpriram 190 mandados de busca e apreensão.

Segundo a PF, foram apreendidos cerca de 3 kg de cocaína, 23 veículos, dinheiro (R$ 425 mil, US$ 149.200 e 6.700 euros), cinco armas (pistolas e revólveres), além de joias e pedras preciosas que foram encaminhadas à perícia para a verificação de autenticidade.

Como funcionava o esquema

Imagens obtidas pelo Bom Dia Brasil mostram como funcionários do Porto de Santos participavam do esquema. Segundo a PF, seguranças deixavam que veículos com a droga entrassem tranquilamente no porto durante a noite. Os lacres de contêineres eram rompidos, e a droga era armazenada no interior.

Durante a operação, funcionários chegavam a apagar as luzes de trechos do porto e virar câmeras de segurança.

A PF realizou 14 apreensões de cocaína nos portos de Santos (SP), Salvador e Itajaí (SC), além de alertar autoridades para que interceptassem carregamentos que já haviam sido remetidos aos portos de Antuérpia (Bélgica), Shibori (Inglaterra), Gioia Tauro (Italia) e Valencia (Espanha). Essas apreensões totalizaram outras 5,9 toneladas de cocaína pura que deixaram de abastecer o tráfico europeu.

O nome da operação remete a um dos destinos da droga, o porto de Antuérpia (Bélgica). Brabo seria um soldado romano que teria libertado os habitantes da região do rio Escalda, onde se localiza Antuérpia, do jugo de um gigante e jogado sua mão no rio. A lenda deu origem ao nome da cidade.

Fonte: pontaporainform

Polícia de S.P. frustra roubo a residência e mata 10 em confronto com quadrilha no Morumbi

Grupo era especializado em roubos a residências. Nenhum policial se feriu. Criminosos portavam ao menos quatro fuzis e colete à prova de balas

trocatiroUma operação conjunta do Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) e do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), da Polícia Civil, evitou um plano de roubo a residência, neste domingo (3), no Jardim Guedala, região do Morumbi, na zona sul de São Paulo.

Houve uma intensa troca de tiros e 10 suspeitos foram mortos

Equipados com fuzis e coletes à prova de bala, os criminosos estavam em carros blindados. Os carros da polícia foram alvejados com vários disparos, mas nenhum agente se feriu na ação. A polícia informou que quatro fuzis foram apreendidos.

Uma viatura do Deic, que pertencia à 2ª Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio, ficou destruída devido à quantidade de tiros dos suspeitos contra os policiais.

A investigação da Polícia Civil começou há muitos meses, depois que várias residências da região foram alvo da quadrilha — ao menos 15 foram alvo do bando nos últimos meses. Os criminosos, que atuavam sempre na mesma região, estavam sendo monitorados pelo Deic.

Depois da operação, moradores do Morumbi sairam as ruas para cumprimentar os policiais. De acordo com os moradores, a quadrilha estava aterrorizando o bairro.

Fonte: R7

 

Policial militar é preso com grande quantidade de munição na Zona Norte do Rio

Soldado de UPP e outro homem foram detidos em um carro numa via que dá acesso a comunidades do Complexo do Alemão com mais de 3 mil munições.

pcrj1Um soldado da Polícia Militar e outro homem foram presos na noite desta quinta-feira (4), na Estrada Adhemar Bebiano, Zona Norte do Rio, com grande quantidade de munição. De acordo com a polícia, 3.495 balas de pistola foram encontradas com a dupla.

Os dois foram abordados por uma equipe da 39ª DP (Pavuna), que circulava pela via para levantar informações sobre a atividade do tráfico de drogas da região.

Por volta das 18h30, os policiais civis suspeitaram dos ocupantes de um Hyundai i30 prata e resolveram abordar o veículo. Quem dirigia o carro era Vinicius dos Santos Araújo, de 25 anos. No momento em que os policiais abordaram o motorista ele entregou a carteira funcional de policial militar. Vinicius trabalha na Unidade de Polícia Pacificadora da Vila Cruzeiro.

Junto com ele estava Paulo César Oliveira Santos. A polícia diz que ele é traficante do complexo de favelas de Senador Camará e estava foragido da justiça. Ele era procurado por homicídio qualificado e roubo. Os dois foram presos em flagrante e vão responder por porte ilegal de munição de uso restrito.

Agentes da 39ª DP suspeitam que a munição seria vendida a traficantes de várias comunidades - a via onde a dupla foi presa dá acesso ao complexo de favelas do Alemão.

Fonte: G1

Polícia prende principal fornecedor de armas e drogas do Comando Vermelho

fornecedorarmasA Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu hoje (25) Marcos José Carneiro, conhecido como Periquito, considerado o principal fornecedor de armas e drogas do Comando Vermelho.

Carneiro é apontado como o braço direito do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira Mar. Ele foi capturado em Mogi das Cruzes, região metropolitana de São Paulo, por policiais da delegacia da Pavuna (bairro da zona norte do Rio de Janeiro) com apoio de policiais civis de São Paulo, após trabalho de investigação e diligências, incluindo uma semana de monitoramento na cidade paulista.

O Portal de Procurados oferecia recompensa de R$2 mil por informações que levassem a Carneiro, que estava foragido da Justiça desde 2011. Contra ele havia quatro mandados de prisão pendentes, dois deles por tráfico internacional de drogas.

Responsável pela arrecadação do dinheiro da venda de drogas na Favela Beira Mar, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, Carneiro tornou-se o maior fornecedor de armamento e entorpecentes do estado e expandiu esse abastecimento para fora do Rio, segundo investigações da Polícia Civil.

Segundo a polícia, Beira Mar, que está preso há 11 anos, ainda é considerado um dos principais chefes do tráfico no Rio. Ele já passou por presídios federais como o de Catanduvas (PR), Campo Grande (MS) e Porto Velho (RO). Atualmente, está em uma unidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte, e mantém o comando da organização de dentro do presídio, considerado de segurança máxima.

Agência Brasil

Agente penitenciário é executado em Joinville com mais de 15 tiros

agentescO agente penitenciário Elton Davi de Oliveira Máximo foi assassinado no início da tarde desta sexta-feira (18) em Joinville. Policiais da Dic (Divisão de Investigações Criminais), auxiliados por agentes do Deap (Departamento Estadual de Administração penal) investigam o crime. Máximo foi executado com mais de 15 tiros, quatro acertaram a cabeça. 

A Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (SJC) e o Departamento de Administração Prisional (Deap) emitiram uma nota confirmando o assassinato do agente penitenciário. Segundo a nota, Elton estava em período de folga quando foi alvejado por dois suspeitos em uma motocicleta. A Corregedoria-Geral, a Diretoria de Inteligência e Informação da SJC e a Direção do Deap foram acionadas e já se deslocam para o município. De acordo com a nota emitida, os gestores das unidades prisionais da região também já se dirigiram ao local do homicídio a fim de prestar o apoio necessário. As motivações e circunstâncias da ocorrência serão investigadas e todas as medidas legais e periciais pertinentes já foram adotadas

Fonte:NDonline

Mais artigos...

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web