jornalista1

Comandante de empresa aérea é preso com 56 celulares da Apple enrolados no corpo

comandanteNa tarde desta quinta-feira (6), Policiais Federais apreenderam 56 aparelhos celulares da Apple que estava enrolados no corpo do comandante de uma empresa aérea, a Latam, no momento em que embarcava na aeronave.

Tudo aconteceu no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Até o momento, o homem encontra-se detido.

Weslley Maia

Fonte: http://www.portalnatelado190.com.br/

Mais informações em breve

Agente Penitenciário do CDP de Jundiaí-SP assassinado em Santo Antonio da Platina-PR

Agente carcerário levou tiro fatal no rosto

agentecarce1André Marcelo Soffner foi assassinado em torno da 1h30m da madrugada deste sábado,dia 24, na lanchoneteO Porão, na avenida Frei Guilherme Maria, em Santo Antônio da Platina.

Ele estava sentado numa cadeira na frente da hamburgueria quando dois elementos com camisas enroladas tapando o rosto invadiram o local, ordenaram que os demais fregueses entrassem mais ao fundo e um dos marginais deu um tiro certeiro que atingiu o rosto do homem de 41 anos.Morreu na hora.

Em seguida, a dupla fugiu a pé.A vítima era agente carcerário no interior paulista e estava com uma motocicleta Susuki 650 cc, estacionada ao lado.

O dono do estabelecimento e testemunhas, ainda impactados, contaram para a reportagem que os dois indivíduos disseram “estão todos abordados”, mas não se ouviu voz de assalto.

André perdeu a vida com a pistola na cintura.

As polícias militar e civil trabalham com a possibilidade de possível reação a assalto ou vingança de bandidos.

O local foi isolado para investigação e o Instituto Médico Legal de Jacarezinho levou o corpo para ser entregue à família possivelmente na tarde deste sábado.

Fonte: http://www.npdiario.com

Suspeito de ingerir cápsulas com drogas é preso em terminal de Confins

Segundo a PF, ele iria embarcar com cocaína para Portugal.
O suspeito foi detido quando fazia o check-in.

capsulascomdrogasA Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira (16) no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte em Confins, na Região Metropolitana, um homem que tentava embarcar com cocaína para Lisboa.

Segundo as investigações, ele engoliu cerca de 40 cápsulas com a droga e ainda levava 600 gramas escondidos em roupas.

A droga foi encontrada por cães no momento em que o suspeito fazia o check-in. Ele foi levado para um pronto socorro e passou por procedimentos de desintoxicação.

O homem foi autuado por tráfico internacional de drogas e levado para a Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana.

Fonte: http://g1.globo.com/

Promotor humilha menor vítima de estupro no RS

'Vou me esforçar para te ferrar', disse Theodoro Alexandre da Silva Silveira

theodoro juizA Justiça do Rio Grande do Sul enviou um ofício ao Conselho Nacional do Ministério Público para que investigue a conduta do promotor de Justiça Theodoro Alexandre da Silva Silveira que humilhou uma vítima de estupro. Os desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado pediram à Corregedoria-Geral da Justiça que examine a responsabilidade da juíza que atuou no caso na 1ª instância.

Uma jovem menor de idade disse ter sido vítima de estupro do pai entre janeiro de 2011 e outubro de 2012. Ela ficou grávida. Em 27 de abril de 2015, o homem foi preso e, em maio deste ano, condenado a 27 anos de prisão.

Durante a fase de inquérito policial, a jovem, então com 13 anos "apresentou relatos coerentes, sempre apontando o réu (pai) como o autor fato, demonstrando apenas medo em contrariar ou magoar sua genitora", segundo a Justiça. 

Em juízo, "já decorrido mais de ano e tendo ocorrido o aborto, a vítima alterou a versão dos fatos, afirmando que não queria que seu pai fosse preso". Segundo o processo, a jovem "afirmou ter engravidado de um namorado de colégio, mas não quis fornecer o nome dele; alegou ter acusado o pai de estupro porque tinha muito medo que ele descobrisse a gravidez e a maltratasse". 

Um exame de DNA, porém, havia comprovado que o bebê era mesmo do pai da menina, e que a gravidez resultou de relações sexuais forçadas. A desembargadora do caso suspeita que a vítima foi pressionada pela família a alterar seu depoimento. 

‘Vou me esforçar para te ferrar’ 

Em audiência, após a jovem mudar a versão, o promotor perguntou: "tu tá mentindo agora ou estava mentindo antes"? "Mentindo antes, não agora", respondeu a jovem.

"Tu fez eu e a juíza autorizar um aborto e agora tu te arrependeu assim? Para abrir as pernas e dá o rabo para um cara tu tens maturidade, tu és autossuficiente, e para assumir uma criança tu não tens? Sabe que tu és uma pessoa de muita sorte, porque tu és menor de 18, se tu fosse maior de 18 eu ia pedir a tua preventiva agora, para tu ir lá na FASE [Fundação de Atendimento Sócio-Educativo], para te estuprarem lá e fazer tudo o que fazem com um menor de idade lá", disse o promotor.

"Porque tu és criminosa… tu é. (silêncio)…. Bah se tu fosse minha filha, não vou nem dizer o que eu faria…. não tem fundamento. Péssima educação teus pais deram pra ti. Péssima educação. Tu não aprendeu nada nessa vida, nada mesmo. Vai ser feito exame de DNA no feto. Não vai dar positivo nesse exame né?….. ou vai?… Tu teve coragem de fazer o pior, matou uma criança, agora fica com essa carinha de anjo, de ah… não vou falar nada. Não vai dar positivo esse exame de DNA, vai dar negativo né!? Vai dá o quê nesse exame?”

"Negativo", respondeu a menor. O promotor perguntou o nome do pai da criança e a menor disse que "isso não vinha ao caso". "Como não vem ao caso? Tu fizeste a gente matar uma pessoa e agora diz que não vem ao caso, quem tu pensa que tu és… quem é esse cara?"

A menor disse que não vai envolver a pessoa. "Tu não tem querer, tu fez a gente matar uma pessoa. Tu vai dizer o nome desse cara. Quem é esse cara?" "Eu não quero responder", insistiu a menina. "Tu vai responder em outro processo. Eu vou me esforçar o máximo pra te por na cadeia", retrucou Silveira. "Agora assim ó, vou me esforçar pra te 'ferrá', pode ter certeza disso, eu não sou teu amigo", completou.

Arrogante, grosseiro e ofensivo 

Para a desembargadora Jucelana Lurdes Pereira dos Santos, o Promotor de Justiça ‘que atuou na solenidade a tratou como se ela fosse uma criminosa, esquecendo-se que só tinha 14 anos de idade, era vítima de estupro e vivia um drama familiar intenso e estava sozinha em uma audiência’. 

"A menina necessitava de apoio de quem conhece estes tristes fatos da vida e não de um acusador, pois a função do Promotor de Justiça é de proteção da vítima e, no caso, ao que tudo indica, ele se sentiu ludibriado pela menina, por ter opinado favoravelmente ao aborto e, posteriormente, ela não confirmar a denúncia. O pior de tudo isso é que contou com a anuência da Magistrada, a qual permitiu que ele fosse arrogante, grosseiro e ofensivo com uma adolescente. Um verdadeiro absurdo que necessita providências!", afirmou taxativamente a desembargadora.

O desembargador José Antônio Daltoé Cezar registrou que o promotor, "além de não ter lido atentamente o processo, embora se disponha a participar de feito em que se investiga a prática de violência sexual contra crianças e adolescentes, não tem conhecimento algum da dinâmica do abuso sexual, bem como confunde os institutos de direito penal, além de desconsiderar toda normativa internacional e nacional, que disciplina a proteção de crianças e adolescentes".

"Quem conhece o mínimo necessário sobre a dinâmica do abuso sexual, sabe que situações como aquelas apresentadas neste processo, quando a vítima, por razões das mais diversas, muda versão para inocentar o abusador, são comuns e até mesmo previsíveis, não tendo nada a ver com seu caráter, coragem ou mesmo sinceridade", anotou.

"Equivocou-se também o Dr. Promotor de Justiça, gravemente, quando referiu à vítima que ela seria uma criminosa, teria matado uma pessoa, como se ela tivesse praticado um homicídio. O feto humano, embora seja protegido, por institutos de direito civil e penal, ainda não é uma pessoa, o que somente ocorrerá quando vier a nascer, com vida."

Fonte: http://noticias.band.uol.com.br/

Usando tornozeleira eletrônica, ‘Japonês da Federal’ volta a escoltar presos da Lava Jato

Newton Ishii retomou as atividades após ser condenado a 4 anos e 2 meses por facilitar a entrada de contrabando no país

japonesApós ser condenado a 4 anos e 2 meses por facilitar a entrada de contrabando no país, o policial Newton Ishii, conhecido como ‘Japonês da Federal’, foi visto recentemente fazendo a escolta de presos da Operação Lava Jato. Ele voltou a realizar atividades externas da Polícia Federal (PF) usando tornozeleira eletrônica.

Ishii cumpre a pena no regime semiaberto harmonizado, ou seja, deve ficar em casa entre 23h e 5h durante a semana e está proibido de sair nos fins de semana. A decisão da Justiça também impede que o ‘Japonês da Federal’ saia de Curitiba sem autorização.

Ele ganhou fama em todo o Brasil por aparecer ao lado de empreiteiros, operadores financeiros, políticos e funcionários públicos que eram presos na Lava Jato.

O agente, no entanto, já havia sido citado em uma conversa gravada entre o ex-senador Delcídio Amaral, o advogado Edson Ribeiro e Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Segundo o grupo, Ishii era responsável por vazar informações sigilosas das investigações para a imprensa.

* Com informações do portal G1

Fonte: http://www.revistaforum.com.br/

Mais artigos...

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                   

www.impactocarcerario.com.br

 

blogimpakto  acervo         jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web