juarezjornalista

Após mortes em prisão do Pará, filho de agente penitenciário é assassinado

np1904Daniel Teixeira de Oliveira, 27, filho de um agente penitenciário do Pará, foi assassinado a tiros na noite desta quinta-feira (12), na capital do estado, Belém, segundo a Susipe (Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado).

Procurada, a Segup (Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social) não se posicionou sobre o assunto até a publicação desta reportagem. Segundo a Polícia Civil local, o jovem chegou a ser levado a um pronto-socorro, mas não resistiu aos ferimentos.

A PM (Polícia Militar) informou que Oliveira foi assassinado dentro de casa. Ele estava com um amigo, que ficou ferido, quando quatro criminosos invadiram o local e dispararam várias vezes. Os criminosos não haviam sido localizados até o início da tarde desta sexta-feira (13).

O crime ocorreu depois dias depois que 22 homens, sendo um deles um agente prisional, foram mortos após uma tentativa de fuga em massa de presos do CRP III (Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III), no Complexo Prisional de Santa Izabel, na região metropolitana da capital paraense, na última terça-feira (11).

De acordo com a secretaria, as mortes no presídio ocorreram após uma tentativa de resgate de detentos por um grupo externo "fortemente armado", que utilizou explosivos contra um dos muros da penitenciária. A ação ocorreu por volta das 13h. Houve troca de tiros entre o grupo que efetuava a tentativa de resgate, parte dos detentos e a equipe do batalhão penitenciário.

Na tarde de segunda (9), 11 pessoas já haviam sido assassinadas na região metropolitana de Belém. A Segup, no entanto, não confirma relação entre os eventos.

10.abr.2018 - Nesta terça-feira (10), ao menos 21 pessoas morreram e outras cinco ficaram feridas após uma tentativa de fuga em massa de presos do CRP III (Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III), no Complexo Prisional de Santa Izabel, localizado na região metropolitana da capital paraense. Foram apreendidos dois fuzis, três pistolas e dois revólveres com um grupo que tentou invadir a prisão. Segundo a Segup (Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social), os presos também tinham armas dentro da penitenciária

 

 

Fonte: Uol

Laudo confirma que corpos encontrados em Altônia são de miss e empresário

Para teste de DNA foram coletadas amostra das mães das vítimas que apresentaram 99,1% de compatibilidade 

np1204Os exames realizados pela Polícia Civil nos corpos encontrados carbonizados comprovaram que são mesmo da Miss Altônia, a estudante Bruna Zuco de 21 anos e do empresário Valdir Feitosa, que estavam desaparecidos. 

Os exames coletaram amostradas das mães das duas vítimas e foram confirmados após apresentação do laudo, na tarde desta segunda-feira (9).

Os corpos carbonizados foram encontrados na caçamba de uma caminhonete na área rural de Altônia, em março.

Desde que foram encontrados, a polícia abriu um inquérito policial para investigar o crime. Buscas e apreensões foram realizadas e aparelhos celulares foram apreendidos e encaminhados ao Instituto de Criminalística de Curitiba e os laudos periciais serão anexados a investigação.

A desconfiança da polícia, no início em não ser a jovem, pelo fato de ela utilizar prótese de silicone e a família não confirmar, foi descartada após o exame de DNA apresentar 99,1% de compatibilidade.

A Polícia recebeu imagens de câmeras de segurança da jovem entrando no carro queimado, na madrugada do desaparecimento.

Os corpos serão agora liberados pelo IML (Instituto Médico-Legal) para que a família possa realizar o sepultamento das vítimas. 

Fonte: catve

Soldados da PM são flagrados dormindo em serviço e presos por crime militar

Eles dormiam dentro da viatura no estacionamento de um shopping no Bairro Alto da Glória 

np0405Dois soldados da Polícia Militar foram flagrados dormindo dentro da viatura no estacionamento de um shopping no Bairro Alto da Glória, em Curitiba, na madrugada de segunda-feira (2).

Ambos foram detidos por crime militar e encaminhados ao 20º BPM (Batalhão de Polícia Militar) para o registro da ocorrência.

Segundo a PM, um tenente que estava em patrulhamento recebeu a informação de que havia uma viatura parada há horas dentro do estacionamento de um shopping. Ao perceber que não havia nenhum acesso aberto, ele questionou o vigilante do local, que liberou a entrada.

O tenente, então, foi até a viatura, que estava estacionada e desligada, no escuro, com os bancos reclinados. Os dois soldados foram flagrados dormindo no veículo.

De acordo com 20º BPM, os militares foram autuados em flagrante por dormir em serviço e o auto de prisão deve ser encaminhado para a Vara da Justiça Militar. A Polícia Militar afirmou que não compactua com esse tipo de conduta e que adotará as medidas necessárias

Fonte: catve

Major da PM é preso por cobrar propina em contratos de hospital

João Alexandre Assad é acusado de receber mais de R$ 500 mil da empresa Vide Bula

np2603RIO - O major da Polícia Militar e cardiologista do Hospital Central da Polícia Militar (HCPM) João Alexandre Assad foi preso na manhã desta sexta-feira após ser denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por cobrança de propina de empresários para direcionar contratos do fornecimento de stents para a unidade de saúde. A prisão foi efetuada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e pela Subsecretaria de Inteligência.

De acordo com a denúncia, em 2013, Assad cobrou R$ 2 mil por cada stent fornecido pela empresa Vide Bula para o HCPM, por meio de uma licitação com valor total de R$ 1,1 milhão. Por esse contrato, a empresa forneceu 127 unidades de stents farmacológicos e 90 stents convencionais e pagou ao major R$ 434 mil em propina. Em troca, Assad ofereceu assinar um laudo atestando que o produto da Vide Bula era superior aos concorrentes, o que possivelmente direcionaria futuras licitações.

Cerca de um ano depois, em meados de 2014, a empresa foi novamente contratada para fornecimento de stents para o HCPM, desta vez por intermédio de uma adesão a uma ata de registro de preços, para o fornecimento de 297 stentsfarmacológicos pelo valor total de R$ 2,1 milhões. Nesse contrato, o major assinou um parecer favorável à compra, alegando que o produto era superior aos demais disponíveis no mercado. Novamente, ele cobrou R$ 2 mil de propina por cada stent fornecido.

Em 2013, João Alexandre Assad recebeu da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) a medalha Tirandentes, honraria concedida pelo governo estadual a pessoas que prestaram serviços relevantes à causa pública. A condecoração foi iniciativa do deputado Coronel Jairo, que em setembro de 2017 também virou alvo de denúncia do MP por envolvimento em um esquema de venda irregular de serviços em postos do Detran-RJ.

EMPRESA JÁ FOI INVESTIGADA PELO MP

Segundo apurou o MP, a Vide Bula negociou o parcelamento do pagamento da propina do contrato feito em 2014 com Assad e já havia pagado três prestações de R$ 40 mil, totalizando mais de R$ 500 mil em propina recebida pelo major. A última parcela foi paga no dia 13 de março de 2018. Por sua conduta, o major foi denunciado por duas vezes pelo crime de corrupção passiva, de acordo com o artigo 308, parágrafo 1º, do Código Penal Militar.

A Vide Bula também já havia sido investigada pelo GAECO/MPRJ, por participar de um esquema de fraudes em contratos do Fundo de Saúde da Polícia Militar (Fuspom) para fornecimento de insumos hospitalares por intermédio de procedimentos de adesão a atas de registros de preços, sem a realização de procedimentos licitatórios adequados, para hospitais da Polícia Militar do Estado do Rio.

Entre 2015 e 2017, o MPRJ ofereceu ao todo 13 denúncias à Justiça comum e à Auditoria de Justiça Militar contra uma organização criminosa instalada no Estado Maior da PM e nas unidades médico-hospitalares da corporação para fraudar licitações, inclusive com participação de diversos oficiais.

Fonte: o globo




Mais um coronel é preso envolvido na máfia do contrabando no Maranhão

Foi preso agora à tarde numa cidade do Pará e está sendo deslocado para São Luís pelo helicóptero do CTA , o tenente coronel Antônio Erivelton por suposta participação na máfia que contrabandeava mercadorias do exterior pra o Maranhão. Ele já foi comandante do 21º BPM.

 

np0803Com a prisão de Erivelton, sobe para nove o número de militares presos envolvidos na organização criminosa, que foi desbaratada dia 22 de fevereiro passado e que resultou na prisão de 19 pessoas, entre civis e militares, além de fartas mercadorias como uísques, cigarros, armas e outras drogas.

Os policiais, incluindo o delegado Thiago Bardal, ex-superintendente da Seic, davam cobertura na proteção da circulação das mercadorias, que eram atracadas em um porto clandestino no bairro Arraial, no Quebra Pote, Zona Rural de São Luís.

Na medida em que foram presos mais civis e militares, novas mercadorias e depósitos eram estourados pela polícia. Estima-se que o contrabando era avaliado em R$ 100 milhões.

Confira abaixo a relação dos militares presos:

Luciano Fábio Farias Rangel (Major)

Fernando Paiva Moraes Júnior (Soldado)

Joaquim Pereira de Carvalho Filho (Sargento)

Patrick Sérgio Moraes Martins (Soldado)

Paulo Ricardo Carneiro Nascimento (Soldado)

Gleydson da Silva Alves (Soldado)

Reinaldo Elias Francalanci (Coronel)

Aroud João Padilha Martins (Tenente)

Antonio Erivelton (tentente coronel)

O sargento Jonilson Amorim encontra-se foragido e estão presos ainda o delegado Thiago Bardal (ex-superintendente da Seic) e o advogado Ricardo Jefferson Muniz Belo.

Fonte: luiscardoso

Mais artigos...

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web