jornalista1

Membros do PCC fazem chefe de segurança refém e fogem em BMW de presídio

 Um motim no presídio de Cambyretá, a 524 quilômetros de Mundo Novo, acabou na fuga de três membros da facção criminosa do PCC (Primeiro Comando da Capital), entre eles um brasileiro identificado como Jackson da Silva. Eles fizeram o chefe da segurança do estabelecimento penal de refém.

O plano de fuga teve início às 16 horas desta quinta-feira (5), quando os membros do PCC iniciaram um motim e com armas atacaram o setor administrativo da prisão, onde estava o chefe de segurança que foi feito refém. O vice-chefe dos guardas, Juan Chaparro, foi ferido a tiros durante a rebelião.

Os membros do PCC fugiram em uma BMW levando o chefe da segurança como refém, mas o carro quebrou e eles se esconderam em uma área de mata sendo encurralados pela polícia, segundo o site ABC Color.

Depois de serem encurralados, os três fugitivos concordaram em se entregar com a presença do Ministério Público e da imprensa para que tivessem a segurança resguardada. Eles libertaram o chefe da segurança quando chegaram à frente do estabelecimento penal.

Foi entregue a espingarda que retiraram de um guarda e as outras duas armas usadas para o motim e na fuga. Os membros da facção foram levados para uma cela de isolamento. Não há informações sobre a saúde do guarda ferido durante a rebelião.

PCC

Em maio deste ano, interceptações telefônicas feitas pela polícia paraguaia revelaram que membros do PCC planejavam resgatar dois líderes da facção presos por tráfico de drogas que estão detidos na penitenciária que seria o alvo da operação.

Segundo as autoridades do Paraguai, seriam resgatados Carlos Henrique Silva Candido Tavares e Oziel Riso de Sá. As conversas de René Hofstetter, também preso que foi ‘batizado no PCC’ pelos brasileiros ainda teria revelado um plano de execução do ex-deputado Luis Felipe Villamayor, que já teve o filho assassinado em 2015. Integrantes da facção criminosa brasileira estariam se organizando para executarem o plano de assassinato do ex-deputado. René está cumprindo pena de 12 anos pelo assassinato do filho de Villamayor.

Fonte: midiamax

Agente penitenciário federal é encontrado morto em Mossoró, RN

Rogério Baicere foi achado dentro de apartamento no bairro Bom Jardim.
Polícia Civil já iniciou as investigações sobre a morte do agente

Corpo de agente foi encontrado em apartamento, em Mossoró (Foto: Marcelino Neto/G1)  O agente penitenciário federal Rogério Arruda Baicere, de 37 anos, foi encontrado morto com um tiro no peito no apartamento dele na manhã desta sexta-feira (14). O crime foi cometido na rua Campos sales, no bairro Bom Jardim, em Mossoró, região Oeste do Rio Grande do Norte. A Polícia Civil já iniciou as investigações para apurar como se deu a morte.

Vizinhos de Rogério Arruda Baicere relataram à polícia que ouviram o barulho de um tiro por volta das 8h30. A Polícia Militar e o Samu foram acionados. A equipe do Samu socorreu o agente ainda com vida, mas ele morreu a caminho do hospital.

Segundo a PM, Rogério Arruda Baicere estava trancado sozinho no quarto dele. A mulher e o filho do agente estavam em outros cômodos. Como uma pistola calibre 380 foi encontrada na mão de Rogério, a hipótese de suicídio não está descartada.

Fonte: G1

OAB denuncia corredor polonês para agredir presos em Minas Gerais

 O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil – seção Minas Gerais (OAB/MG), Willian dos Santos, denunciou às autoridades dos Poderes Executivo e Judiciário que servidores das unidades prisionais estariam praticando “corredores poloneses” com os detentos. Essa é uma forma de castigo físico que consiste na passagem de um indivíduo entre duas fileiras de pessoas que o agridem. A prática teria ocorrido nas unidades prisionais de Bicas 1 e Bicas 2, na cidade de São Joaquim de Bicas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

No documento, Willian afirma que “tais práticas, segundo as reiteradas denúncias, constituem-se de um corredor ladeado por servidores mascarados, o que lhes garante o anonimato, que obrigam presos e detentos a passarem no meio central, onde são espancados com socos, chutes, tapas e são utilizados, entre outras coisas, o famoso ‘spray de pimenta'”.

Segundo a denúncia, tais práticas acontecem à noite, “sem alguma motivação e ao arrepio da lei”, contrárias e sem conhecimento das diretorias das unidades. Os presos são acordados com baldes de água fria e bombas de efeito moral, e em alguns casos são obrigados a dormir nus.

O advogado afirma que o “corredor polonês” caracteriza-se como “crime de tortura e crime este contra a vida, de gravidade relevante, cruel, imprescritível e inafiançável.” Assim, requer a abertura de investigação para identificar vítimas e autores.

O documento foi destinado ao Secretário Adjunto da Secretaria de Estado de Administração Prisional, Washington Clarck dos Santos, ao Ouvidor da Polícia Civil, Militar e Corpo de Bombeiros, Paulo Vaz Alckimin, ao Ouvidor do Sistema Prisional do Estado de Minas Gerais, Rodrigo Xavier, além de uma juíza (Bárbara Isadora Santos Sebe Nardy) e um promotor (Marcelo Drumond Pires) da Comarca de Igarapé.

Fonte: conselhodacomunidadecwb

Policial civil é preso suspeito de receber propina em jogo do bicho em Pouso Alegre, MG

Segundo o Gaeco, ele e um homem suspeito de realizar o pagamento foram presos por corrupção e associação criminosa.

Policial civil é preso suspeito de receber propina em jogo do bicho em Pouso Alegre, MG
Um policial civil foi preso em Pouso Alegre (MG) em uma investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Segundo o órgão, ele é suspeito de receber propina do jogo do bicho.
A operação chamada “Deu Zebra” também prendeu o homem apontado como responsável por realizar os pagamentos ao policial. Conforme o Gaeco, eles foram presos por corrupção e associação criminosa.
Na operação, também foram apreendidos materiais em vários pontos da cidade, como máquinas de cartão usadas no jogo do bicho. A assessoria da Polícia Civil em Belo Horizonte (MG) informou que a prisão do policial será acompanhada pela corregedoria, para que sejam tomadas as medidas necessárias.
Já o advogado do outro homem preso disse que a prisão foi uma surpresa porque o jogo do bicho se enquadraria em uma contravenção penal.

FDN obriga filiados a pagarem mesada e valores ajudam famílias de presos em Manaus, diz MP

Manaus/AM - O promotor de Justiça Flávio Mota, do Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), explicou que a FDN realiza arrecadação mensal de dinheiro dos seus filiados, com os valores sendo revestidos para auxílio das famílias dos presos. A liderança responsável pelo recolhimento da famosa “caixinha da FDN” é de Alan Barbosa Rolim, um dos alvos da operação Asfixia deflagrada nesta quinta-feira (15) pelo MP. 

Rolim era a principal liderança das ruas pela FDN, na cobrança dos valores. "A principal função dessa liderança que opera nas ruas, chamada de ‘Frente', a principal função é arrecadar dinheiro. Centralizar essa arrecadação de dinheiro que os filiados são obrigados a pagar mensalmente. Aquilo que a gente chama de 'caixinha da facção'. Essa liderança é responsável por pagar uma ajuda financeira para todos aqueles familiares de alguns presos que se encontram, presos, reclusos”, explicou o promotor.

O irmão de Alan, Anderson Barbosa Rolim e Márcio José Lopes Carneiro, também foram alvos da operação Asfixia. Alan e Anderson estão foragidos e Márcio foi transferido para um presídio federal. Márcio é apontado como a principal liderança da FDN nos presídios. As investigações do MP em torno da facção Família do Norte começaram em dezembro de 2018, após interceptações de alguns “salves”, que indicavam as ações da facção em tiroteios na capital e também no massacre que ocorreu em maio deste ano em presídios de Manaus. 

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Fonte: portaldoholanda

Mais artigos...

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto  safestore1  smartseg 
universidadedotransito acervo        kennya6      alexandrejose    codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web