Servidores recebem treinamento para atuar na fiscalização da alimentação no sistema prisional

treinamentoServidores de unidades prisionais de Curitiba e Região Metropolitana participaram de um treinamento para atuar na fiscalização da alimentação fornecida no sistema prisional. O curso foi realizado na segunda-feira (17), na sede do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), em Curitiba.

O treinamento ministrado pela equipe de Nutrição do Depen tem por objetivo atualizar e aprimorar o controle de qualidade da alimentação que é fornecida por empresas contratadas em todo o sistema prisional. Todo os dias, empresas licitadas fornecem refeição para os cerca de 19 mil presos do sistema prisional em todo o Paraná. São fornecidas três refeições diárias: café da manhã, almoço e jantar.

O diretor do Depen, Luiz Alberto Cartaxo Moura, explica que as empresas precisam cumprir todas as exigências estipuladas no contrato. "Caso sejam detectados problemas ou descumprimento das condições contratuais, as empresas podem ser penalizadas com multas previstas em contrato", esclarece.

COMISSÕES – Cada unidade penal do Paraná possui uma Comissão de Recebimento de Alimentos. Diariamente, as comissões têm como atribuição verificar a qualidade da alimentação do ponto de vista nutricional e higiênico, além de conferir a pesagem, tipo de cardápio e a temperatura da alimentação fornecida.

A responsável pelo setor de Nutrição do Depen, Vanessa Chrisostomo Martins, diz que é fundamental esse controle por parte dos servidores, pois estão presentes no ato, durante o recebimento da alimentação. Além do trabalho diário das comissões nas unidades penais, ela explica também que o Depen supervisiona e acompanha a alimentação em todo o Estado, por meio das informações coletadas e também de forma presencial com vistorias constantes.

"Temos um programa por meio do qual as comissões lançam diariamente as informações aferidas e todos esses dados são acompanhados por um sistema online pelo setor de Nutrição do Depen", acrescenta a nutricionista.

Um dos participantes do curso, Thiago Manrich Rubin, agente penitenciário e vice-diretor da Casa de Custódia de Curitiba (CCC), integra a comissão de recebimento da unidade desde 2013. "Desde que comecei a trabalhar na comissão percebi que a qualidade melhorou bastante, pois conseguimos manter uma proximidade com a empresa e exigir melhorias quando necessário. Esse curso, além de capacitar as pessoas, padroniza o trabalho", opina.

Já para o servidor Eduardo Tatsch, da Casa de Custódia de São José dos Pinhais (CCJP), o trabalho é novidade. "Comecei este ano e achei fundamental esse momento, pois aqui aprendemos o procedimento, todo um ritual que precisa ser seguido", diz.

Ao todo, participaram do curso 14 servidores. Com duração de 8 horas, o curso é acompanhado e certificado pela Escola de Formação e Aperfeiçoamento Penitenciário (Espen). A intenção é que servidores de todo o Estado participem da ação.

Fonte: http://www.seguranca.pr.gov.br