jornalista1

Cadeia Pública de Ponta Grossa inaugura ala feminina

depenA Cadeia Pública Hildebrando de Souza (CPHS), em Ponta Grossa, agora conta com um novo espaço para abrigar mulheres encarceradas. O local possui capacidade para 66 detentas e foi inauguração nesta quarta-feira (5).

OBRA - A obra teve duração de cerca de um ano e meio e contou com recursos do Estado, Conselhos de Segurança e da Comunidade e também de empresários da cidade que fizeram doação de materiais. Todo o projeto foi desenvolvido e supervisionado pelos setores de engenharia da Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp), Paraná Edificações (PRED) e do curso de arquitetura e urbanismo das Faculdades Ponta Grossa.

A nova ala feminina fica em um prédio separado do prédio masculino da Cadeia Pública. Anteriormente, as mulheres ficavam em uma galeria improvisada ao lado de galerias masculinas, em um espaço projetado para abrigar homens.

O diretor do Depen, Luiz Alberto Cartaxo Moura, que esteve presente na cerimônia de inauguração, destacou a qualidade do espaço construído em pouco tempo. "É uma iniciativa bastante significativa, um marco diferencial na história da Hildebrando de Souza que passa a ser modelo no que diz respeito ao trato feminino e a execução penal do público feminino", afirma o diretor.

"A nova ala nos permite atender essas mulheres com muito mais dignidade, o espaço ficou bem amplo e arejado, com alguns detalhes que para as mulheres fazem muita diferença, e ainda nos permite o remanejamento da ala masculina. O espaço que antes era ocupado por mulheres, a partir de agora passa a abrigar homens", explica o diretor da Cadeia Pública, Bruno José Prost.

NOVO ESPAÇO - O espaço foi especialmente projetado para o público feminino. Dispõem de banheiros e chuveiros individuais, espelho com lâmpada e bancada, cozinha, área de convivência, pátio de sol, espaço para visita íntima, além de uma sala de aula. O novo prédio ainda possui uma sala para observação dos servidores, monitoramento por câmeras e duas celas de isolamento com solário individual.

As portas de acesso ao pátio e sala de aula são automatizadas, sem contato das agentes penitenciárias com as detentas, o que garante maior segurança nas movimentações diárias.

D. A. D, 39 anos, presa há dois anos e nove meses por tráfico de drogas, destacou a diferença com o espaço anterior. "Aqui é bem melhor, no outro local não tinha espaço para todas nós, então era bem dificultoso e apertado", contou a detenta.

"O novo espaço é mais amplo, higiênico, ficou muito bonito. Faz muita diferença em nosso dia a dia", comentou L. D. S, 31 anos, presa há seis meses por roubo.

Fonte: DEPEN

Comentar

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                   

www.impactocarcerario.com.br

 

blogimpakto  acervo         jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web