JORNALISTAMINI

Presídio no Recife em que detento foi morto teve 29 armas de fogo apreendidas em 2017

Ao longo de 2016, foram 50 em todos os presídios do estado. Preso foi assassinado na quarta (20), no Presídio Juiz Antônio Luiz Lins de Barros, no Complexo do Curado, na Zona Oeste. Balanço foi divulgado Sindasp-PE

batalhaodeguardasEm 2017, 29 armas de fogo foram encontradas dentro do Presídio Juiz Antônio Luiz Lins de Barros (PJALLB), que integra o Complexo do Curado, na Zona Oeste do Recife. A informação foi divulgada, nesta sexta-feira (22), pelo Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindasp-PE). A unidade é a mesma em que um detento de 35 anos foi assassinado, na noite de quarta-feira (20), e que uma pistola Taurus .380 foi apreendida durante uma revista, no dia seguinte. 

Segundo a Secretaria Executiva de Ressocialização de Pernambuco (Seres), foram encontradas 50 armas de fogo ao longo de todo o ano de 2016, contra 21 achadas no ano anterior, em presídios de todo o estado. 

Em média, de acordo com os números do sindicato, são apreendidas três armas por mês no presídio. De acordo com João Carvalho, presidente do sindicato que representa os agentes penitenciários, o balanço diz respeito ao período entre 1º de janeiro e 21 de setembro. 

Das armas de fogo apreendidas, nove são pistolas e 20 são revólveres, encontrados durante revistas ou mesmo após tentativas ou assassinatos dentro do presídio. Outras duas unidades compõem o Complexo Prisional do Curado. 

“O grande problema é o posicionamento do presídio em relação às casas, com trechos que têm distância pouco maior que três metros. A maioria dos materiais ilícitos é arremessada por cima do muro das unidades. Nas bordas internas, os presos, soltos no complexo, se aproximam e recolhem o que é jogado. Geralmente não se arrisca a tentar em entrar com drogas e armas se existe tamanha facilidade em jogar os produtos”, acredita Carvalho. 

O representante dos agentes aponta que o problema com entrada de armas de fogo é recorrente em todas as unidades do Complexo do Curado. "O PJALLB não é o pior. O Presídio Frei Damião de Bozzano tem apreensões mais recorrentes, tanto de drogas quanto de armas. É necessário haver efetivo na guarda interna para fazer rondas e não permitir que os presos fiquem nas bordas, no entorno dos blocos", defende. 

Em nota, a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) confirmou o número de apreensões e apontou que tem reforçado as revistas nas unidades prisionais em todo o estado. A secretaria aponta ainda que "foram colocados alambrados aumentando a altura do muro em seis metros e telas de proteção. Também houve reforço na segurança prisional do Estado com a instalação de 22 portais detectores de metais, 6 sistemas de inspeção de bagagens por raio-X e 33 banquetas de inspeção". 

Drogas

Na quinta-feira (21), a Polícia Militar prendeu duas pessoas, suspeitas tráfico de drogas, ao redor do Complexo Prisional do Curado. Durante rondas, policiais prenderam em flagrante uma mulher de 27 anos, com cerca de 800 gramas de maconha prensada. A suspeita afirmou que repassaria a droga para outro suspeito de 21 anos, que também foi detido pelos policiais posteriormente, com pequena quantidade de maconha na mesma localidade. 

A mulher, o homem e o material apreendido foram encaminhados para a Central de Flagrantes da Capital, onde foram autuados em flagrante por tráfico de entorpecentes. 

Um homem de 35 anos foi assassinado no PJALLB na noite da quarta.

Homicídio

Segundo informações de agentes penitenciários, o homem levou vários tiros de pistola. O motivo do assassinato seria uma briga entre detentos. Os agentes apontam que a vítima já teria se envolvido em confusões quando esteve preso em outras unidades prisionais. A Seres informou que a polícia já foi acionada para esclarecer o caso. 

Armas

Na segunda-feira (18), agentes penitenciários apreenderam duas armas de fogo e munição, durante uma revista realizada no Presídio Juiz Antônio Luis Lins de Barros (Pjallb). Entre os itens apreendidos estão um revólver calibre 38 e uma pistola 380. Os agentes também encontraram 32 projéteis, sendo 27 de pistola e cinco de revólver. 

A ação ocorreu menos de uma semana depois de agentes terem encontrado um uniforme da Polícia Militar no Presídio Frei Damião de Bozzano, no mesmo complexo prisional. Essa revista ocorreu na terça-feira (12). Durante a vistoria, agentes penitenciários também localizaram uma capa de colete balístico, armas brancas, droga e bebidas alcóolicas. 

Fonte: G1

Comentar

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web