JORNALISTAMINI

Presos se aproveitam de protesto de moradores para fazer rebelião em cadeia de Umuarama, diz polícia

Moradores tentaram invadir a delegacia, que fica ao lado da cadeia, após a prisão de um suspeito de matar uma menina de seis anos na cidade. Homem já responde por outro homicídio contra uma adolescente de 15 anos, segundo a polícia.

c2909Presos que estão detidos na cadeia pública de Umuarama, no noroeste do Paraná, estão rebelados desde o final da noite de quarta-feira (27). O local fica anexo ao prédio da delegacia da cidade, abriga 260 presos e tem capacidade para 64.

Segundo a polícia, os detentos se aproveitaram de um protesto de moradores em frente à delegacia para sair aos poucos das celas. Eles começaram com um pequeno motim e depois se rebelaram, ainda de acordo com a polícia.

O protesto ocorreu após a prisão de um suspeito de ter matado a menina Tabata Fabiana Crespilho da Rosa, que tinha seis anos.

Durante a manifestação, que encerrou por volta das 4h desta quinta (28), os moradores tentaram invadir a delegacia.

Segundo um balanço divulgado pela Polícia Civil por volta das 10h, a revolta terminou com 12 veículos destruídos, sendo seis carros policiais, quatro de imprensa local, e dois veículos particulares. Desses, oito foram incendiados. Veja a nota divulgada pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) no final da reportagem.

Em nota, a Polícia Civil informou que paralelamente ao inquérito policial referente a prisão do suspeito autuado pela morte da menina Tábata, outro inquérito policial será aberto para apurar rigorosamente os danos causados ao patrimônio público. Confira a íntegra do texto no final da reportagem.

O homem confessou o crime e foi transferido da delegacia por questões de segurança. O local para onde ele foi levado não foi divulgado.

O delegado-chefe da Polícia Civil de Umuarama, Osnildo Lemes, disse que o suspeito de matar Tábata já responde por outro homicídio contra uma adolescente de 15 anos, em Chopinzinho, em 2010. Ele responde em liberdade por este crime.

Na manhã desta quinta (28), a Polícia Militar (PM) informou que o interior da cadeia foi destruído pelos detentos. Até a publicação da reportagem, uma equipe do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) de Curitiba está a caminho do local para ajudar a Polícia Civil nas negociações.

As ruas que ficam no entorno da delegacia estão interditadas. Prédios do Instituto de Criminalística e do Instituto Médico-Legal, que funcionam anexos à delegacia, também estão interditados.

O crime que chocou a cidade

A criança desapareceu perto da Escola Municipal Rui Barbosa em que estuda, em Umuarama, na tarde de terça-feira (26). Segundo a polícia, o irmão da garota, um adolescente de 13 anos, a deixou em uma padaria que fica na esquina colégio – como fazia todos os dias. Porém, a menina não entrou na escola. O desaparecimento foi percebido no fim da tarde de terça, quando a mãe foi buscá-la na escola.

A instituição de ensino relatou que, após saber do ocorrido, entrou em contato com os pais dos colegas de sala da garota, mas, ninguém tinha informações sobre a criança.

Os pais chegaram a registrar um Boletim de Ocorrência, e a foto da menina foi colocada no Sistema de Pessoas Desaparecidas da Secretaria da Segurança Pública, mas o corpo da criança foi encontrado na tarde de quarta-feira (27) em uma área rural entre Umuarama e Xambrê.

O homem levou os policiais até o local do crime e disse que matou a criança asfixiada e depois enterrou.

Confira a nota divulgada pela Polícia Civil

A Polícia Civil informa que paralelamente ao inquérito policial referente a prisão do suspeito autuado pela morte da menina Tabata Fabiana Crespilho da Rosa, de 6 anos, outro inquérito policial será aberto para apurar rigorosamente os danos causados ao patrimônio público, como também bens de terceiros que foram afetados por atitudes incompreensíveis e inaceitáveis de vândalos que causaram enormes prejuízos à população em geral.

Assim que a Polícia Civil tomou conhecimento do desaparecimento da criança, as diligências se iniciaram com o apoio do Serviço de Investigações de Crianças Desaparecidas (Sicride). Após alguns procedimentos de investigação , a polícia identificou e prendeu o homem suspeito pelo crime, Eduardo Leonildo da Silva, de 30 anos, que confessou o fato, sem dar detalhes.

De acordo com a polícia, o suspeito matou uma adolescente, de 15 anos, há sete anos. Ele cumpria pena em regime semiaberto.

Veja a nota divulgada pelo Sindijor

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) exige que a Secretaria de Segurança Pública, bem como a Polícia Civil investiguem o ocorrido em Umuarama na noite de quarta-feira. Um protesto de moradores que tentaram invadir a delegacia, onde estava preso um suspeito de ter matado uma menina de seis anos, resultou em uma quebradeira geral pela cidade.

Segundo informações apuradas pelo Sindijor, a revolta acabou em pelo menos sete carros queimados, entre veículos particulares e da imprensa local. Outras dezenas de carros foram danificadas, tombadas e apedrejadas.

O SindijorPR lamenta o ocorrido e exige a apuração dos fatos com rigorosa punição dos envolvidos.

Fonte: G1


 

Comentar

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web