JORNALISTAMINI

Haitiano é achado morto e com sinais de asfixia em cela da Papuda, em Brasília

Homem de 29 anos estava sozinho em cela de segurança máxima após agredir detentos, diz administração. Além de 'instabilidade emocional', ele tinha ferimento na perna; Polícia Civil apura.

gradessUm haitiano de 29 anos foi encontrado morto nesta segunda-feira (18) em uma das celas do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. Segundo a administração do presídio, o homem estava sozinho em uma cela de segurança máxima e tinha sinais de "asfixia mecânica", ou enforcamento.

No início da manhã, agentes prisionais que faziam ronda pelas celas encontraram o homem desacordado. Uma equipe do Samu foi acionada, mas não conseguiu reanimar a vítima. A 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião) e o Instituto Médico Legal (IML) investigam a causa da morte – o laudo deve ser divulgado em até um mês.

Segundo a Subsecretaria do Sistema Penitenciário, o haitiano chegou à Papuda na última sexta (15) e seguiu para atendimento médico, "pois estava bem agressivo". Enquanto era mantido em observação, de acordo com a pasta, ele agrediu outros pacientes e membros do corpo clínico que estavam no local.

Após o episódio de violência, ele foi transferido para o Pavilhão de Segurança e, no fim de semana, ficou em isolamento total. Segundo os gestores da Papuda, além da "instabilidade emocional", o detento apresentava um ferimento na perna e, por isso, também estava sendo medicado com antibióticos, analgésicos e anti-inflamatórios.

O imigrante tinha sido preso na última quarta-feira (13), em Samambaia, por suspeita de esfaquear um colega de trabalho, reagir à ordem de prisão e também atacar um policial civil com golpes de faca. O ferimento na perna teria sido causado por um disparo do policial, durante a confusão. As duas vítimas passam bem.

Fonte: G1

Operação “Luau” prende agente de cadeia que facilitou fugas

Mandado de busca e apreensão e outro de prisão é contra um agente de cadeia de 40 anos

Por Polícia Civil em 19 de setembro, 2017 as 09h32.

 

A Polícia Civil, através da 13ª Subdivisão Policial (SDP) de Ponta Grossa e as Delegacias de Jaguariaíva e Senges deflagraram, na manhã desta segunda-feira (18), uma operação policial denominada “Luau”, com o objetivo de cumprir um mandado de busca e apreensão e outro de prisão, contra um agente de cadeia de 40 anos.

A ação aconteceu na residência do suspeito, no bairro Uvaranas, em Ponta Grossa. O suspeito não esboçou reação e acabou confessando o crime. As investigações iniciaram no dia 13/09, depois que a Polícia Civil foi notificada sobre um suposto arrebatamento de quatro presos na Delegacia de Sengés.

Na época dos fatos, o agente de cadeia disse à polícia que quatro homens – com armas e facas – teriam invadido a delegacia. O suspeito relatou também que havia sido rendido e que entrou em luta corporal com os suspeitos.

Após uma sequência de investigações, a polícia apurou que as alegações do agente não procediam devido a análises realizadas no local. “A Cadeia Pública conta com um duplo sistema de travas e quatro portas de aço para acesso externo. Não havia nenhum indício que apontasse alguma violação”, conta o delegado responsável pelo caso, Derick Moura Jorge.

Ainda em diligências, equipes policiais apontaram que não havia marcas de entrada no muro da Cadeia e que as lesões do agente foram realizadas somente em suas mãos.

Depois de uma sequência de interrogatórios a Polícia Civil constatou que o agente teria combinado a facilitação das fugas com os próprios detentos – retirando um deles para uma conversa reservada por pelo menos duas vezes.

Horas antes da fuga, o agente teria contado aos demais presos a chegada de um detento de Curitiba. Durante a noite, o suspeito teria retirado o preso da cela de triagem, o levando para a cela junto com os demais presos, mediante a condição de que retornaria a sua cela antes do amanhecer para evitar que alguém visse a irregularidade.

Investigações apuraram ainda, que o agente tinha a intenção de realizar luau na cadeia durante a madrugada. No momento da fuga, o suspeito abriu as trancas de segurança, as portas para acesso ao andar superior, bem como as trancas inferiores. “Houve uma simulação de um confronto com o agente, que foi trancado em uma das celas. O agente também teria esmurrou as portas da cadeia após a fuga dos presos.”, disse o delegado.

O agente foi preso e responderá pelos crimes de facilitação à fuga qualificado (reclusão de um a quatro anos, denunciação caluniosa (dois a oito anos), falso testemunho (dois a quatro anos) e fraude processual em processo criminal (seis meses a quatro anos). Ele foi encaminhado para a Penitenciária Estadual de Ponta Grossa.

Fonte: www.bandab.com.br

Rebelião em presídio de Luziânia (GO) acaba com três mortos

Confusão começou na madrugada desta segunda-feira (11/9). Um agente mantido refém pelos detentos morreu baleado. Dois presos também morreram

rebeliaoabre1Presos da Casa de Prisão Provisória (CPP) de Luziânia (GO), no Entorno do Distrito Federal, fizeram uma rebelião nesta segunda-feira (11/9). A situação ficou tensa no local. Segundo a Secretaria de Segurança de Goiás, um agente penitenciário, que era refém dos presos, morreu após ser baleado. Dois internos foram mortos, sendo um deles queimado.

Outros dois agentes foram mantidos reféns por quase 11 horas. De acordo com a pasta, o motim teve início com uma briga entre facções. Por volta das 10h30, a situação estava controlada. O local tem espaço para 140 presos e abriga mais de 340 detentos.

A confusão teria começado quando presos de uma cela simularam que um dos detentos estava passando mal. Quando os agentes foram atender ao chamado, viraram reféns. O grupo queria matar internos acusados de estupro.

O agente Valdilson Cardoso de Oliveira foi baleado dentro do CPP e morreu ao chegar ao hospital. A mulher dele está grávida. Os presos mortos são William Rosa da Silva, 26 anos, detido em 2016; e Sílvio de Jesus Silva, 39 anos, interno desde junho deste ano.

A Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap) chegou a confirmar que três presos haviam morrido, mas depois corrigiu a informação ao identificar que pedaços de um corpo encontrados queimados pertenciam a um mesmo interno. Nove detentos foram transferidos para Goiânia.

Fonte: metropoles

FIM DE SEMANA 09 E 10/09/2017, APÓS INÍCIO DA INSTALAÇÃO DE SCANNERS CORPORAIS É MARCADO POR APREENSÕES

A Secretaria da Administração Penitenciária informa o balanço das apreensões com visitantes no último fim de semana em todo o Estado, que marcou o início da operação de scanners corporais em vários presídios.

fimdesemanaNo CDP de Hortolândia, uma visitante foi flagrada tentando entrar com uma moeda escondida nas partes íntimas. Na Penitenciária II de Avaré, foram localizados perto da área do scanner invólucros contendo entorpecentes que foram dispensados por visitantes.

Em todos os casos, quando determinada a autoria, os presos que receberiam os ilícitos foram isolados e responderão a procedimento apuratório disciplinar. Todo visitante flagrado tentando entrar com ilícito em unidade prisional é suspenso do rol de visitas.

Penitenciária Feminina de Sant´Ana

No domingo, 10, foi a vez da mãe de uma sentenciada da Penitenciária Feminina de Sant´Ana ser flagrada com 49,6 gramas de maconha e 89,5 gramas de cocaína escondidas em dois invólucros nos genitais. A visitante foi encaminhada ao 20º DP Água Fria, onde lhe foi dada voz de prisão por tráfico de entorpecentes.

CDP de São Bernardo

Companheira de detento do Centro de detenção Provisória "Dr. Calixto Antonio" de São Bernardo do Campo foi surpreendida tentando entrar na unidade portando dois comprimidos de coloração azul análogos a estimulante sexual e aproximadamente 5 m de fio elétrico no último sábado, 9.

Ao passar pelo portal detector de metal da unidade, a visitante acionou o aparelho. Após ser questionada sobre a ocorrência, acabou retirando em local reservado um invólucro introduzido na genitália, contendo os ilícitos.

A visitante foi conduzida até o 3° DP de São Bernardo do Campo, para registro de Boletim de Ocorrência.

CDP de Suzano

No último sábado, 9, uma visitante, companheira de detento do Centro de Detenção Provisória de Suzano, acionou o portal detector de metais da unidade. Indagada, ela acabou confessando portar um micro aparelho nos genitais nos genitais, que seria entregue ao seu companheiro.

A visitante foi conduzida a Delegacia de Polícia Central de Suzano. O preso que receberia o ilícito foi isolado e responderá a procedimento apuratório disciplinar. Todo visitante flagrado tentando entrar com ilícito em unidade prisional é suspenso do rol de visitas.

CDP de Praia Grande

No último sábado, 9, uma visitante, companheira de detento do Centro de Detenção Provisória "ASP Charles Demitre Teixeira" de Praia Grande, acionou o banco detector de metais durante revista para entrada na unidade. Questionada, ela retirou espontaneamente um invólucro, que continha um micro celular e um fone de ouvido.

Penitenciária II de São Vicente

Já no domingo, 10, companheira de preso da Penitenciária II de São Vicente levantou suspeita das agentes penitenciárias da unidade durante revista. A mulher de 20 anos foi encaminhada ao Pronto Socorro do Humaitá onde o raio-x comprovou que ela guardava objeto estranho no genitais. Retirado, verificou-se que se tratava de invólucro contendo 95 gramas de crack, conforme exame da autoridade policial.

Em todos os casos, as visitantes foram conduzidas à Delegacia de Polícia para elaboração de Boletim de Ocorrência. Os presos que receberiam os ilícitos foram isolados e responderão a procedimento apuratório disciplinar. Todo visitante flagrado tentando entrar com ilícito em unidade prisional é suspenso do rol de visitas.

Penitenciária I “Dr. Tarcizo Leonce Pinheiro Cintra” de Tremembé

No último domingo, 10, irmã de sentenciado da Penitenciária I “Dr. Tarcizo Leonce Pinheiro Cintra” de Tremembé, ao passar pela revista de praxe foi informada de que havia uma denúncia de que estaria portando entorpecentes escondidos em seu corpo para tentar entrar na unidade, motivo pelo qual foi solicitado que fosse conduzida ao Pronto Socorro Municipal para ser submetida a exames de imagem. A visitante acabou retirando espontaneamente em uma sala reservada um invólucro contendo 17,9 gramas de maconha e 91,22 gramas de cocaína.

A visitante foi conduzida à Delegacia de Polícia de Taubaté, permanecendo recolhida em virtude de Prisão em Flagrante tendo sido lavrado Boletim de Ocorrências. O preso que receberia o ilícito foi isolado e responderá a procedimento apuratório disciplinar. Todo visitante flagrado tentando entrar com ilícito em unidade prisional é suspenso do rol de visitas.

CDP de Hortolândia

No sábado, 9, com o início da operação do scanner corporal no Centro de Detenção Provisória de Hortolândia, uma visitante foi flagrada pelo aparelho com uma moeda escondida nas partes íntimas. A irmã de preso da unidade foi flagrada tentando entrar com uma moeda de 10 centavos escondida entre a calcinha e o órgão genital.

A tentativa foi detectada pelo scanner corporal, como mostram as imagens anexas.

Penitenciária II “Nelson Marcondes ” de Avaré

Funcionárias da Penitenciária II de Avaré evitaram a entrada de entorpecentes no presídio. O fato ocorreu no último sábado, 9, por volta das 9h45 da manhã, quando as servidoras notaram nervosismo de uma visitante que aguardava para ser revistada. Quando questionada, ela acabou confessando que carregava invólucros de maconha e cocaína.

No mesmo dia, agentes foi localizado um involucro contendo droga em local onde as visitas aguardam para entrar na unidade, porém, como a droga foi dispensada em local de comum acesso, não foi possível determinar a autoria.

Penitenciária “Gilmar Monteiro de Souza” de Balbinos

No domingo, 10, por volta das 10h, uma mulher, mãe de sentenciado, foi frustrada ao tentar entrar com 95 gramas de maconha na unidade prisional. O material, envolto de fita adesiva, estava escondido na genitália da visitante e seria supostamente entregue ao filho recluso na penitenciária.

Penitenciária “Luiz Gonzaga Vieira” de Pirajuí

Ainda no domingo, por volta das 11h, uma mulher tentou entrar com um celular na Penitenciária II de Pirajuí. O detector de metais sinalizou a presença de material ilícito escondido no corpo da visitante. Quando indagada, ela confessou que portava um aparelho celular em sua vagina.

Em todos os casos, a polícia de plantão foi acionada para lavrar boletim de ocorrência. Também foi aberto Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade dos presos que receberiam os ilícitos. A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa que visitantes flagrados tentando entrar com objetos proibidos em unidades prisionais são automaticamente excluídos do rol de visitas.

Sábado (09 de setembro)

Penitenciária “ASP Anísio Aparecido de Oliveira” de Andradina

Por volta das 07h30 deste sábado, uma viatura da Polícia Militar chegou na unidade prisional à procura da visitante B.O.M.K, esposa de um sentenciado do local, em virtude de uma denúncia anônima de que a mulher trazia drogas para o marido. Nesse sentido, a visita foi revistada e retirou do sutiã um pacote com uma substância semelhante à maconha, um preservativo e lubrificante, sendo em seguida conduzida pela Polícia Militar. O sentenciado que receberia o entorpecente foi isolado preventivamente para averiguação dos fatos e a mulher suspensa do rol de visitas.


Penitenciária de Flórida Paulista

Durante o procedimento padrão de revista para entrada na unidade, a visitante S.K.B.L foi surpreendida com o apito do detector de metais do tipo “banqueta”. Questionada, retirou voluntariamente um invólucro do órgão genital. Ao ser aberto, o embrulho continha em seu interior um microcelular, sem chip e sem bateria. A mulher foi excluída do rol de visitas e encaminhada com o aparelho telefônico à Delegacia de Polícia.

Penitenciária de Junqueirópolis

Funcionários da unidade realizavam a revista nos alimentos trazidos pelas visitantes aos sentenciados quando se depararam com uma garrafa pet de lacre violado. Ao abrir o recipiente, notaram um forte odor etílico, indicando que se tratava de bebida alcoólica, possivelmente Vodka. Ao indagar a visita que trouxe a bebida, esta disse não saber do conteúdo e que tinha comprado a garrafa de refrigerante em frente ao presídio. A mulher foi suspensa do rol de visitas e o sentenciado encaminhado ao pavilhão disciplinar.

Penitenciária de Lucélia

Duas mulheres foram impedidas de entrar na unidade prisional por portar invólucros introduzidos nos órgãos genitais, cada qual contendo um celular. O primeiro caso ocorreu no sábado e o segundo no domingo sendo que, neste último, também foram encontrados 200 comprimidos azuis aparentando estimulantes sexuais. As visitantes foram surpreendidas durante os procedimentos de revista, suspensas do rol de visitas e encaminhadas para a Delegacia de Polícia Civil. Os sentenciados envolvidos foram encaminhados ao Pavilhão Disciplinar.


Penitenciária “João Batista de Santana” de Riolândia

O aparelho detector de metais impediu a entrada de 02 (dois) celulares neste final de semana na penitenciária. O primeiro caso ocorreu no sábado quando uma mulher, visitante do sentenciado A.A.S., foi surpreendida com um apito ao passar pelo detector e confessou estar na posse do telefone oculto no órgão sexual. Nos mesmos moldes, outra visitante atuou no domingo, também sendo flagrada pelo detector de metais. Ambas foram encaminhadas a Delegacia de Polícia Civil.

Domingo (10 de setembro)

Centro de Detenção Provisória “ASP Valdecir Fabiano” de Riolândia”

Durante a entrada de visitantes no CDP, a companheira de um detento demonstrou nervosismo. Ao ser questionada do motivo, a mulher declarou que trazia maconha escondida nas partes íntimas e, em seguida, se dirigiu a sala reservada para retirada do invólucro com o entorpecente. A Polícia Militar foi acionada e conduziu a visitante ao plantão policial, onde foi lavrado Boletim de Ocorrência (B.O). A unidade prisional instaurou Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade do detento que receberia o material e suspendeu a mulher do rol de visitas.

Penitenciária “Nestor Canoa” de Mirandópolis

Agentes de Segurança Penitenciária apreenderam três bilhetes e uma carta de duas folhas de caderno com anotações relacionadas a ações criminosas que estavam escondidos na roupa íntima da visitante A.P.A.C. A mulher havia visitado o companheiro que cumpre pena no local e tentava sair da unidade levando os papéis escondidos quando foi surpreendida pelos servidores.

Penitenciária “Luiz Aparecido Fernandes” de Lavínia

Em situações idênticas, três visitantes foram flagradas no mesmo dia tentando entrar na unidade prisional portando objetos proibidos. Filha, mãe e companheira de sentenciados do local, cada mulher trazia consigo um aparelho celular introduzido no órgão genital, os quais foram identificados durante o procedimento de revista quando convidadas a sentar no “banco” detector de metais. As visitas e os materiais foram encaminhados para autoridades policiais e suspensas do rol de visitas, enquanto os sentenciados envolvidos responderão a Procedimentos Disciplinares.

Penitenciária “ASP Paulo Guimarães” de Lavínia

Ao sentar no “banco” detector de metais, durante o procedimento de revista, três mulheres foram barradas após o acionamento do aparelho. Indagadas, uma negou trazer consigo qualquer material ilícito e, por este motivo, foi convidada a se dirigir até o Hospital Estadual de Mirandópolis e passar por exame de Raio-X, o qual constatou um invólucro com 01 (um) aparelho celular oculto na genitália da visita, envolto a papel carbono, massa plástica e epóxi, além de fitas adesivas. Já as outras duas mulheres, de pronto, confessaram estar escondendo cada qual 01 (um) celular nos mesmos moldes da primeira.

Todas foram suspensas do rol de visitas e encaminhadas para a Delegacia da Polícia Civil de Lavínia, enquanto os sentenciados envolvidos foram isolados preventivamente em celas disciplinares.

Fonte: leandroleandro2018

Mais artigos...

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web