JORNALISTAMINI

Ex-presidiário, advogando?

expresidiarioPor uma década eu passei minha vida cumprindo pena no sistema carcerário do estado de São Paulo, por erros cometidos em minha pré-juventude.

Durante todos estes anos milhares de coisas aconteceram e muito se aprende, quando verdadeiramente se quer aprender.

Em um determinado período decidi explorar as bibliotecas das penitenciárias, claro que com certas dificuldades, e descobri um mundo interior só meu que superava a ação do tempo e todas as outras maldades vindas da opressão do sistema e limites dos convívios, abrindo em mim um leque de novas visões, até que decidi escrever em minha defesa, através de petições e mais petições às instâncias. Essa atitude despertou em outros companheiros a necessidade de meus "serviços" e assim fui me empenhando ao direito.

Hoje cumpro condicional, estou no último ano do ensino médio, aos 35 anos de idade, cheio de amor pelo direito penal e quero prestar vestibular no final do ano.

Sou também pintor de obras e vivo disso, é assim que pretendo bancar meus estudos...

Agora gostaria de gerar aqui um assunto polêmico e encontrar diversas opiniões e pontos de vistas:

Assim como nossa amiga doutora publicou o artigo questionando se "Advogado tatuado... Pode?". Vou, respeitosamente, mais além:

Advogado tatuado e ex-presidiário, pode?

  

Christian Calsolari

Christian Calsolari

35 anos de idade. ex presidiário. estudante de direito.

Detentos ameaçam agentes da PEPG com estoques

Tropa de Choque da PM precisou intervir para controlar a situação na penitenciária; Sete 'estoques' foram encontrados dentro das celas

pepgA Penitenciária Estadual de Ponta Grossa (PEPG) registrou momentos de tensão durante a manhã desta quarta-feira (22). Alguns detentos do sistema prisional se recusaram a voltar para as celas após uma saída diária até o pátio de uma das galerias e chegaram a ameaçar funcionários. A Tropa de Choque da Polícia Militar precisou ser acionada para amenizar a situação.

Por volta das 11h, três detentos voltavam para uma das celas da galeria B quando se revoltaram e ameaçaram funcionários com estoques – uma espécie de faca improvisada, feita a partir de vidros de uma luminária quebrada.

Os presos pediram, inclusive, transferência para outras penitenciárias do estado. A Polícia Militar foi acionada para reforçar a operação e a Tropa de Choque precisou agir no local. Após quase meia hora, a situação foi normalizada e os detentos voltaram para as celas. As informações foram repassadas pela Secretaria de Segurança Pública do Paraná.

Durante a tarde desta quarta-feira (22), logo após o incidente, os agentes penitenciários realizaram uma operação ‘bate-grade’ e apreenderam sete estoques. O Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná (Sindarspen) afirmou que o procedimento é uma operação padrão, realizada em todos os presídios do estado para encontrar objetos como serras, carregadores de celular, facas e outras armas.

Fonte: http://arede.info

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web