juarezjornalista

“Visita Íntima” é o melhor curta do Festival da Lapa

visita intima"Visita Íntima" é o melhor curta-metragem do festival da Lapa
O documentário “Vistia Íntima”, da diretora Joana Nin, ganhou o prêmio de melhor curta-metragem na mostra competitiva do 2.º Festival de Cinema da Lapa, que teve início na terça-feira (4). O filme reúne depoimentos de mulheres que desenvolvem relacionamentos amorosos com presos da Penitenciária Central do Estado (PCE), em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba.
Já “Balada do Vampiro”, de Beto Carminatti e Estevan Silvera, que havia vencido em Gramado os prêmios de Direção de Arte e Música, recebeu o Troféu Tropeiro de melhor direção. Cerca de mil pessoas acompanharam o encerramento do festival e a premiação no Panteon dos Heroes neste domingo (9).
A cerimônia de premiação também contou com a participação da atriz Letícia Sabatella. Ela foi homenageada durante o evento e recebeu o Troféu Tropeiro – Prêmio Especial Profissionais do Audiovisual Paranaense pelo trabalho que tem desenvolvido no cinema e na TV brasileiros.
O prêmio de melhor ator foi para Ary Fontoura, por seu trabalho em “Terra Incógnita” do diretor Gil Baroni, e o de melhor atriz para Mariana Zanette, pela atuação em “Inferno”, de Geraldo Pioli. O troféu de melhor roteiro ficou com “Pax”, de Paulo Munhoz e Érico Bechschi. O júri concedeu ainda uma Menção Honrosa para “Norte Sul Leste Oeste”, documentário de Danilo Pschera.
Entre os vídeos universitários o grande vencedor foi o carioca “Esconde-Esconde”, de Álvaro Furloni, que levou os troféus de melhor vídeo, atriz, ator e roteiro. A melhor direção foi de Beth Lee, de São Paulo, por seu trabalho em “Grafffiti”. E uma Menção Honrosa foi concedida ao vídeo “O Flautista”, de Matheus Vianna.
Além da exibição dos dois melhores filmes (Mostra de Curtas e de Vídeo Universitário), a noite da premiação teve as apresentações do filme "Os Três Monges da Lapa", do projeto "Casos e Causos" da RPC e que foi filmado na cidade e do curta londrinense "Satori Uso", do diretor Rodrigo Grota, que no último Festival de Gramado ganhou o Prêmio da Crítica, o Prêmio Incentivo e como melhor fotografia. O documentário “Vistia Íntima”, da diretora Joana Nin, ganhou o prêmio de melhor curta-metragem na mostra competitiva do 2.º Festival de Cinema da Lapa, que teve início na terça-feira (4). O filme reúne depoimentos de mulheres que desenvolvem relacionamentos amorosos com presos da Penitenciária Central do Estado (PCE), em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba.
Já “Balada do Vampiro”, de Beto Carminatti e Estevan Silvera, que havia vencido em Gramado os prêmios de Direção de Arte e Música, recebeu o Troféu Tropeiro de melhor direção. Cerca de mil pessoas acompanharam o encerramento do festival e a premiação no Panteon dos Heroes neste domingo (9).
A cerimônia de premiação também contou com a participação da atriz Letícia Sabatella. Ela foi homenageada durante o evento e recebeu o Troféu Tropeiro – Prêmio Especial Profissionais do Audiovisual Paranaense pelo trabalho que tem desenvolvido no cinema e na TV brasileiros.
O prêmio de melhor ator foi para Ary Fontoura, por seu trabalho em “Terra Incógnita” do diretor Gil Baroni, e o de melhor atriz para Mariana Zanette, pela atuação em “Inferno”, de Geraldo Pioli. O troféu de melhor roteiro ficou com “Pax”, de Paulo Munhoz e Érico Bechschi. O júri concedeu ainda uma Menção Honrosa para “Norte Sul Leste Oeste”, documentário de Danilo Pschera.
Entre os vídeos universitários o grande vencedor foi o carioca “Esconde-Esconde”, de Álvaro Furloni, que levou os troféus de melhor vídeo, atriz, ator e roteiro. A melhor direção foi de Beth Lee, de São Paulo, por seu trabalho em “Grafffiti”. E uma Menção Honrosa foi concedida ao vídeo “O Flautista”, de Matheus Vianna.
Além da exibição dos dois melhores filmes (Mostra de Curtas e de Vídeo Universitário), a noite da premiação teve as apresentações do filme "Os Três Monges da Lapa", do projeto "Casos e Causos" da RPC e que foi filmado na cidade e do curta londrinense "Satori Uso", do diretor Rodrigo Grota, que no último Festival de Gramado ganhou o Prêmio da Crítica, o Prêmio Incentivo e como melhor fotografia. 
Fonte: http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/cadernog/conteudo.phtml?id=695356&tit=Visita-ntima-e-o-melhor-curta-no-Festival-da-Lapa

OPERAÇÃO PENTE FINO NA CADEIA DE BRASÍLIA DE MINAS

Na manhã de sexta-feira por volta das 06:00 horas, foi feita uma operação de varredura contra o trafico de drogas dentro da cadeia publica de Brasília de Minas, onde foi apreendido 8 aparelhos celulares de diversas marcas e modelos, carregadores uma SERRA, varias baterias e uma grande porção de substancia semelhante a maconha, participaram dessa operação Agentes de Segurança Penitenciário e Agentes da Polícia Civil.
A luta contra criminosos presos, que buscam usar da tecnologia para continuar comandando o crime de dentro das cadeia é árdua.
E ainda na manhã de hoje dia 1, foi realizada procedimento de revista, onde foi encontrado alguns objetos para uma fuga em massa, foi encontrado uma serra, um ponteiro para furar a laje, pois a mesma se encontra em péssimo estado e dois carregadores. contamos com o apoio dos Agentes Penitenciários e da Policia Militar, assim dando uma resposta para a sociedade, que evitamos uma fuga em massa.

Desabafo de um Agente Penitenciário Mineiro

Posted:01 Aug 2015 04:42 PM PDT



Sou Agente Penitenciário Efetivo, tenho o porte de armas adquirido por lei. Tive o meu pedido de aquisição indeferido pela PF de BH alegando que não tenho necessidade de possuir arma. Fui hoje levar o meu recurso do indeferimento e a moça do guichê, muito educada, disse que todos os  indeferimentos ocorreram com o consentimento e orientação da SEDS, ou seja, antes do delegado indeferir, a SEDS já sabia.
E nós achando que era perseguição do delegado PF. Se for realmente verdade, "sacanagem" da SEDS!
Preenchemos todos os requisitos, fizemos 02 psicotécnicos e 02 testes de tiros, um por conta do estado e o outro particular, pois a PF não aceitava tais cursos dados pela SEDS.
Em tempo: todos que deram entrada aqui em BH tiveram seus pedidos indeferidos. Mas a galera que entrou no interior tiveram seus pedidos DEFERIDOS.

DECISÃO DO TJMG Agente penitenciário não faz jus ao adicional de local de trabalho

Posted:01 Aug 2015 04:29 PM PDT

A decisão, por unanimidade, é da 1ª Câmara de Uniformização de Jurisprudência Cível do TJMG e foi publicada em 24 de julho último

Da redação
 
O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) uniformizou sua jurisprudência para reconhecer que o servidor público no cargo efetivo de agente de segurança penitenciário não faz jus ao adicional de local de trabalho, previsto na Lei 11.717/94. A decisão, por unanimidade, é da 1ª Câmara de Uniformização de Jurisprudência Cível do TJMG e foi publicada em 24 de julho último.
O incidente de uniformização, recurso por meio do qual se buscou unificar o entendimento do TJMG sobre o assunto, foi suscitado pela 1ª Câmara Cível, em julgamento de apelação de um caso no qual a decisão de Primeira Instância julgou improcedente pedido de recebimento do benefício feito por um agente, em ação contra o Estado de Minas Gerais. A 1ª Câmara Cível julgou por bem suscitar o incidente ante a existência de divergência de interpretação, no TJMG, quanto ao tema.
 
A desembargadora Áurea Brasil, relatora, ressaltou que a Lei 11.717/94, embora não fizesse qualquer restrição em relação ao vínculo funcional mantido entre a administração pública e o servidor, em seu artigo 6º “já dispunha que a vantagem não era devida ao servidor pertencente a quadro de carreira estabelecido ou previsto em lei orgânica específica, ainda que este servidor exercesse suas atividades nas unidades penais relacionadas na lei”.
 
De acordo com a relatora, atualmente, mesmo após a alteração promovida pela Lei 21.333/2014, o referido artigo 6º continua a impedir o recebimento do adicional de local de trabalho pelos agentes de segurança penitenciário, considerando-o indevido “ao servidor que receba outro adicional que seja da mesma natureza ou que tenha como pressuposto para a sua concessão as condições do local de trabalho”.
 
Nesse sentido, a desembargadora observou que a Lei 14.695/2003, que regulamenta a carreira de agente de segurança penitenciário, criou, em seu artigo 7º, a Gratificação de Agente de Segurança Penitenciário em Estabelecimento Penal (Gapep), “a qual era inacumulável com qualquer outra vantagem da mesma natureza ou que tivesse como pressupostos para a sua concessão as condições do local de trabalho”, destacou.
 
Em seu voto, a desembargadora Áurea Brasil citou também a Lei 15.788/05, indicando que, embora a referida norma tenha extinguido o Gapep, “o respectivo valor foi incorporado ao vencimento básico dos Agentes de Segurança Penitenciários”, conforme previsto expressamente no artigo 12 da lei. Ressaltou também que a mesma legislação consolidou a interpretação que se fazia do tema em lei anterior e conferiu nova redação ao artigo 20 da Lei 14.695/2003, que teve sua constitucionalidade confirmada, por unanimidade, pelo Órgão Especial do TJMG.
 
Assim, a desembargadora declarou que, “considerando que a norma que veda diretamente a concessão do adicional de local de trabalho aos Agentes de Segurança Penitenciários efetivos (artigo 20 da Lei 14.695/2003) foi reconhecida constitucional pelo TJMG, por unanimidade de votos, e tendo em vista os apontamentos acima feitos, inarredável concluir que o servidor público, detentor de cargo efetivo de Agente de Segurança Penitenciário, não faz jus à vantagem em questão”.
 
Acompanharam o voto da relatora os desembargadores Ana Paula Caixeta, Luiz Carlos Corrêa Júnior, Teresa Cristina da Cunha Peixoto, Alberto Vilas Boas, Albergaria Costa e Raimundo Messias Júnior.

 


Com assessoria de imprensa doTJMG 
 

FUNERAL - Descanse em Paz Vivian

Posted:01 Aug 2015 04:21 PM PDT

Descanse em paz companheira,
O mínimo que exigimos é RESPEITO, isso sim é ser unido, parabéns aos irmãos, polícia militar, corpo de bombeiros.
Deus abençoe as pessoas que nos ajudam com sua atenção....
Isso eu chamo de UNIÃO

 
MENSAGEM DA FILHA DE VIVIAM PARA TODOS!
 
 
 

Bravura de Agentes Prisionais apreendem criminosos tentando arremessar ilícitos para dentro de unidade prisional de MG

material interceptado

Apreensão: 36 APARELHOS CELULARES, 78 CHIP's, 27 CARREGADORES, 01SERRA e 01 BROCA.

Dois indivíduos foram surpreendidos pelos Agentes da Muralha, da Penitenciária Jason Soares Albergaria, arremessando todo o material supracitado para o interior da Penitenciária. Um dos indivíduos foi preso. O material foi interceptado antes que os presos pudessem acessa-lo. A modalidade de arremesso cresceu muito nos últimos 12 meses, principalmente nas unidades onde a fiscalização interna foi redobrada através do uso de equipamentos de RAIO X e Bloqueadores.

ALERTA PARA O SISTEMA PRISIONAL

portao

Criminosos efetuaram 14 tiros no portão do Presídio de Lagoa Santa, tiros de calibre 9 mm, no momento uma equipe do COPE no local para apoio e resposta.

Mutirão do judiciário esvazia carceragens em Curitiba

O mutirão carcerário realizado pelo Poder Judiciário no Complexo Penitenciário de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), finalizado nesta sexta-feira (3), permitiu que a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária elaborasse um projeto para nos próximos dias esvaziar as celas de todas as delegacias de Polícia Civil de Curitiba. Nas próximas semanas acontecerão outros mutirões abrindo ainda mais vagas. Somente no mutirão desta semana, foram abertas 231 vagas no sistema penitenciário.

Nesta sexta-feira, 43 detentos foram transferidos, sendo 23 mulheres que estavam no 12º DP e todos os 20 do 1º DP. A partir de segunda-feira (6) começam as transferências de até 45 presos diariamente até que todas as vagas abertas com o mutirão sejam ocupadas.

O secretário da Segurança Pública, Wagner Mesquita, considerou extremamente positiva a realização do mutirão em parceria com o Poder Judiciário. “É uma atitude necessária e corajosa, que teve o apoio do Tribunal de Justiça e do Departamento de Execução Penal (Depen). A primeira consequência mais imediata é o esvaziamento das cadeias de Curitiba”, comentou. Mesquita falou também da necessidade do uso das tornozeleiras eletrônicas para esvaziar as carceragens. “ Nós temos presos todos os dias, cerca de 20 presos só em Curitiba e região metropolitana, então não é uma medida sozinha que resolve o problema, nós temos um conjunto de medidas, ou seja, audiência de custódia é uma medida importantíssima. A aplicação das tornozeleiras também e o controle dessas tornozeleiras será feito no Centro de Comando de Controle (CICCR) é outra medida”, avaliou.

Todos os 231 presos foram beneficiados pelas decisões dos quatro juízes das Varas de Execução Penal (VEP). O juiz Eduardo Lino Bueno Fagundes Júnior, da 1ª Vara de Execução Penal e Coordenador de um grupo de monitoramento do sistema carcerário do Tribunal de Justiça, explicou a intenção do mutirão. “Nesse mutirão estão sendo verificados todos os benefícios previstos em lei”, disse o magistrado. “A pessoa que está presa, ela está só cerceada da sua liberdade, mas ela não perde seus outros direitos e o TJ tem demonstrado preocupação para averiguar a situação das pessoas que estão presas”, completou.

Ao todo os juízes da VEP analisaram 850 processos resultando na concessão de benefícios para 447 apenados, sendo que 216 receberam alvarás de soltura. Isso não significa, no entanto, a imediata abertura de vagas já que um mesmo preso pode responder por mais de um crime e a maior parte destas decisões dizem respeito a detentos do regime semiaberto.

“É fundamental do ponto de vista da execução penal esta rotatividade de presos. O detento deveria entrar, progredir no regime de pena e sair, acontece que muitos presos não têm assistência jurídica”, avaliou o diretor do Depen, delegado Luiz Alberto Cartaxo.

Além do mutirão, Mesquita elenca o avanço na retomada das obras de construção e ampliação das unidades prisionais. “A previsão é que pelo menos 10 obras sejam retomadas até o final do ano e o restante no início de 2016 a liberação de aproximadamente 7 mil vagas”, disse. “As obras destas 20 unidades prisionais constam em contratos de parceria do Governo Federal com o do Paraná que envolve R$ 150 milhões, sendo R$ 35 milhões de contrapartida do Estado, e o restante através do financiamento da Caixa Econômica Federal”, completou.

Fonte: http://www.bemparana.com.br/

Mais artigos...

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web