juarezjornalista

Presos fogem da Central de Recaptura de Condenados em Belém

De acordo com a Superintendência do Sistema Penitenciário, 25 detentos fugiram na madrugada desta terça-feira (10). PM recapturou 8 fugitivos; 17 seguem foragidos.

pc1207Vinte e cinco presos fugiram na madrugada desta terça-feira (10) da Central de Recaptura de Condenados (CRCO), no bairro de São Brás, em Belém. De acordo com a Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe), 8 foram recapturados pela Polícia Militar e 17 seguem foragidos.

A fuga aconteceu por volta de 1h30. Os detentos cavaram um túnel na cela 5, que dava acesso a um terreno baldio atrás da unidade prisional.

Uma revista geral e recontagem de presos foi realizada na Central de Recaptura de Condenados e a segurança do local foi reforçada. A cela onde a escavação foi feita está interditada para reparos.

A CRCO custodia 208 presos recapturados. A capacidade é para 120.

Um inquérito policial foi aberto para apurar o caso. A Corregedoria Geral Penitenciária da Susipe também irá abrir uma sindicância administrativa para investigar a fuga.

Na noite de domingo (8), um grupo de presos fugiu do Presídio Estadual Metropolitano de Marituba (PEM I), na região metropolitana de Belém. De acordo com a Susipe, os detentos fugiram por volta de 21h por um túnel em uma das celas. O número de fugitivos ainda não foi divulgado.

Detentos cavaram um túnel com saída no terreno de um cemitério próximo do PEM I, em Marituba. (Foto: Reprodução/ TV Liberal)

A Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) registrou também a fuga de 46 presos do Centro de Recuperação Penitenciário do Pará I (CRPP I), no Complexo de Santa Izabel do Pará, na região metropolitana de Belém, na madrugada do dia 24 de junho. Durante a fuga, dois detentos foram recapturados e 44 seguem foragidos.

De acordo com a Susipe, policiais militares faziam ronda durante a madrugada quando identificaram uma movimentação suspeita em uma área de mata perto do presídio e perceberam que se tratava de mais uma fuga. Os detentos conseguiram fugir por um túnel que interligava uma cela do pavilhão 3, na ala B, até o muro de segurança que dava acesso à área de mata.

Dois dias depois, no dia 26 de junho, presos fugiram do Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (Crama), em Marabá, sudeste do estado. A fuga ocorreu com apoio externo de um grupo armado.

A ação ocorreu por volta das 17h, durante o procedimento de tranca dos detentos. Um grupo de presos armados rendeu dois agentes prisionais que foram obrigados a abrir várias celas do pavilhão carcerário. Houve troca tiros com policiais militares que faziam a segurança da unidade prisional. Atualmente, o Crama custodia 629 presos e a capacidade é para 180.

No dia 10 de abril, uma tentativa de fuga em massa de presos terminou com 22 pessoas mortas no Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III (CRPP III), no Complexo Prisional de Santa Izabel. Um grupo armado tentou invadir o local para dar cobertura à ação.

A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) divulgou que das 22 mortes do confronto, 21 são de detentos, sendo cinco deles custodiados da Colônia Penal Agrícola de Santa Izabel (CPASI), que faz parte do mesmo complexo. Eles participaram da ação que ajudaria a dar fuga aos detentos. Um agente prisional morreu na ação.

Quem tiver qualquer informação sobre os foragidos pode ajudar a polícia através do Disque Denuncia, no telefone 181.

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do G1 Pará no (91) 98814-3326.

Segundo a revista People, o cardiologista envolvido na morte do astro pop informou que o cantor passou pelo procedimento para manter a voz aguda.
Patrícia Aguilar fugiu, em 2017, de sua casa em Alicante, na Espanha, e cortou todo tipo de contato com a família; na semana passada, foi encontrada na floresta amazônica, desnutrida e com bebê de menos de um mês.
Últimos mergulhadores tiveram que se apressar para passar por lugar estreito e deixar a caverna.
Apesar do susto, a jovem sofreu apenas ferimentos leves. Sogro da modelo fotografou o momento exato do ataque.
Acidente foi na tarde de sábado (7). Piloto da moto e duas vítimas continuam internados.
Caso aconteceu em Aparecidinha, interior de Santa Teresa. Pais foram levados para delegacia, mas foram liberados, e crianças foram para um abrigo. 
 
Fonte: G1

Oito presos fogem de cela modular da Casa de Custódia de Piraquara

Na última quarta-feira, a Polícia Militar foi chamada para conter um tumulto no local

pc0807Oito presos da Casa de Custódia de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, fugiram na madrugada deste sábado (7). De acordo com o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), eles estavam em uma cela modular da unidade.

“O Depen abriu um procedimento interno para apurar como os detentos conseguiram fugir. Paralelamente a Delegacia de Polícia Civil de Piraquara abriu um inquérito policial”, informou a Secretaria de Segurança Pública.

Na última quarta-feira, a Polícia Militar foi chamada para conter um tumulto no local. A confusão aconteceu justamente na área das celas modulares. Na ocasião, o conflito já havia acontecido por uma tentativa de fuga.

Durante a tarde deste sábado, as forças de segurança realizavam buscas pelos suspeitos que fugiram.

Fonte: bandaB

Presos fogem de penitenciária no interior do Pará

pc30061Quarenta e seis presos fugiram do Centro de Recuperação Penitenciário Pará I (CRPP I) em Santa Isabel, a 40 quilômetros de Belém. A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) confirmou a fuga e informou que os detentos escaparam por um túnel ligando uma cela do pavilhão 3 ao muro que dá acesso à área de mata em volta do complexo.

A fuga ocorreu na madrugada de domingo, 24. Policiais que fazem a ronda no entorno do complexo penitenciário chegaram a perceber a movimentação. Dois presos foram recapturados, mas até a tarde desta segunda-feira, 25, os outros 44 continuavam foragidos.

Na manhã desta segunda, a Susipe cancelou a visita aos presos. Em protesto, um grupo de mulheres bloqueou duas pistas da BR 316, via que liga o Pará aos Estados do Nordeste e Centro-Oeste. Policiais da Polícia Rodoviária Federal conseguiram desobstruir a pista e o tráfego foi normalizado no meio da manhã.

O CRPP I faz parte do Complexo Penitenciário de Santa Izabel que é formado por nove unidades, todas superlotadas. A capacidade total do complexo é para 2.828 presos, mas hoje, abriga 5.155 presos. A unidade onde houve a fuga tem 685 vagas, mas está ocupada por 1.181 presos.

A Secretaria de Segurança Pública do Pará informou por meio de nota que a segurança no complexo foi reforçada e as revistas de presos, intensificadas. A Corregedoria Geral Penitenciária abriu sindicância administrativa para apurar a fuga.

Em abril deste ano, 21 pessoas morreram durante uma tentativa de invasão do complexo, sendo um agente penitenciário, cinco detentos, e 15 suspeitos de invasão.

Fonte: massaNEWS

Quarenta e seis presos fugiram do Centro de Recuperação Penitenciário Pará I (CRPP I) em Santa Isabel, a 40 quilômetros de Belém. A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) confirmou a fuga e informou que os detentos escaparam por um túnel ligando uma cela do pavilhão 3 ao muro que dá acesso à área de mata em volta do complexo.

A fuga ocorreu na madrugada de domingo, 24. Policiais que fazem a ronda no entorno do complexo penitenciário chegaram a perceber a movimentação. Dois presos foram recapturados, mas até a tarde desta segunda-feira, 25, os outros 44 continuavam foragidos.

Na manhã desta segunda, a Susipe cancelou a visita aos presos. Em protesto, um grupo de mulheres bloqueou duas pistas da BR 316, via que liga o Pará aos Estados do Nordeste e Centro-Oeste. Policiais da Polícia Rodoviária Federal conseguiram desobstruir a pista e o tráfego foi normalizado no meio da manhã.

Muro de 10m tenta conter disputa entre facções em presídio do Acre

Construção separa pavilhões ocupados pela quadrilha paulista dos integrantes de facção carioca. Acre é o estado em que a violência mais cresce no país.

pc3006O Fantástico entrou no maior presídio do Acre, um espaço dividido por bandidos em guerra. Um muro de dez metros tenta conter uma disputa entre quadrilhas que espalham violência para todo o país.

Complexo penitenciário Francisco D'oliveira Conde, Rio Branco, Acre. No local, cabem 1,4 mil presos, mas tem 3,5 mil. Uma prisão sem programa de educação e atendimento de saúde para os presos. Um território dividido e sufocado pelas facções criminosas, num estado em guerra. Uma disputa violenta pelo controle do tráfico de drogas na fronteira com Peru e Bolívia. Para manter o controle no maior presídio do Acre, foi preciso isolar as facções criminosas em pavilhões bem distantes um do outro, separados por essa muralha com dez metros de altura. O muro separa os pavilhões ocupados pela quadrilha paulista dos integrantes de uma facção carioca.

Quem trabalha em presídios vive sob ameaça. Foram 85 agentes penitenciários que tiveram que deixar suas casas.  O Acre é o estado em que a violência mais cresce no país.

Veja a reportagem aqui

Fonte: G1.

Agente é preso por entrar com celulares em penitenciária a pedido de detentos em MT

Quatro aparelhos foram encontrados no banco da motocicleta do agente. Ele foi detido nesta segunda-feira (18) durante o expediente na cadeia.

pc21061Um agente penitenciário foi preso, nesta segunda-feira (18) suspeito de entrar com aparelhos de celular a pedido de detentos na Penitenciária Major Eldo Sá, em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá. Em novembro do ano passado, 26 presos atiraram contra os agentes, explodiram parte de um muro e fugiram.

 

De acordo com a polícia, o agente teve o mandado de prisão temporária cumprido e foi detido com quatro aparelhos de celular escondidos no banco da motocicleta dele.

 

Durante as investigações sobre a fuga, foi descoberto que o agente - que não teve a identidade divulgada, entrava com os aparelhos dentro da penitenciária.

 

O agente foi preso dentro da unidade enquanto trabalhava.

 

Fuga

Os detentos fugiram no dia 10 de novembro. Eles tiveram ajuda de bandidos que atiraram contra agentes que estavam nas torres de segurança da penitenciária, jogaram explosivos no muro da unidade.

 

Antes da explosão, os presos serraram a grade de uma das celas do raio 3 e o alambrado que divide o local perto do muro. A explosão foi causada por artefatos presos em uma bicicleta, que foi encostada na muralha e acionada a distância.

 
Fonte: G1

Mais artigos...

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    ricardo    EAD  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web