jornalista1

Detento é flagrado com drogas no estômago ao voltar para presídio de Itapema

Homem de 32 anos, que não teve a identidade revelada, engoliu 14 embalagens com maconha, segundo o Deap. 

pc06032 Detento tentava entrar em UPA de Itapema com 14 embalagens com maconha no estômago — Foto: Deap/Divulgação

Um detento foi flagrado ao tentar voltar para a Unidade Prisional Avançada (UPA) de Itapema, no Litoral Norte, com drogas escondidas no estômago. O caso foi registrado na segunda-feira (28), segundo o Departamento de Administração Prisional (Deap).

O homem de 32 anos, que não teve a identidade revelada, engoliu 14 embalagens com maconha. Esse é quarto caso registrado no Estado, em menos de um mês, envolvendo presos que pretendiam entrar na cadeia após ingerir drogas. No entanto, segundo o Deap, o número de ocorrências pode ser superior já que o balanço do período ainda não foi fechado.

De acordo com Deap, o detento trabalha fora da unidade e ao voltar da atividade teria demonstrado nervosismo durante a revista. Os agentes prisionais suspeitaram da atitude e o submeteram ao exame com escâner corporal na penitenciária de Itajaí, que identificou os invólucros.

O detento não precisou de intervenção cirúrgica para expelir os pacotes com a droga. Ele é natural de Cascavel (PR) e cumpre pena por tráfico de drogas.

Ainda de acordo com o Deap, o preso informou que vai responder criminalmente pelo caso.

No dia 21 deste mês, um detento que voltava de uma saída temporária foi flagrado com droga, pendrive, fumo e papel de seda no estômago também na Unidade Prisional Avançada de Itapema.

No dia 16, na Colônia Penal Agrícola de Palhoça, na Grande Florianópolis, um preso teve um objeto encontrado no estômago. Edson Jhonas Pagini de Oliveira, de 24 anos, estava em observação em um hospital para expelir o material, que não foi identificado, e conseguiu fugir.

No mesmo local, outro flagrante ocorreu no dia 15, quando um preso de 24 anos precisou passar por cirurgia após retornar de uma saída temporária de sete dias. Ele foi flagrado com 62 objetos dentro do estômago. 

Fonte: G1

Usando escada, 10 detentos fogem de Complexo Penitenciário de Pedrinhas, no MA

oc06033

Dez detentos fugiram do Centro de Detenção Provisória, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís (MA), na madrugada deste domingo (03). De acordo com a Polícia Militar, os detentos, que ainda não foram recapturados, pularam o muro por volta das 03h.

Segundo a Polícia, os 10 detentos eram da mesma cela. Eles serraram o cadeado e grades da cela e saíram para a área externa. Lá utilizaram uma escada que estava em uma obra no local e escalaram o restante do muro, que tinha proteção por cerca elétrica.

Apesar da estimativa de que os detentos fugiram por volta das 3h30, o BPM só foi acionado por volta das 06h.

Os fugitivos são:

Felipe Menezes Câmara

Robson César Saraiva Gonçalves

Wanderson Ferreira Cruz

Teófilo Carlos Mendes Ferreira

Wigleny Marques Ramos

Yan Henrique Trindade Rodrigues

Gerson Deivison Chaves Pereira

Natanael Moraes Viana

Clemerson Silva Ribeiro

David Carvalho de Sousa

Fonte: UOL

 

Presídio de SP onde estava cúpula do PCC mantém 782 "soldados" da facção

pc2702Entre 2007 e 2019, a penitenciária 2 de Presidente Venceslau (SP) foi a principal moradia de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado como líder do PCC (Primeiro Comando da Capital). Ele costumava deixar a prisão nos últimos anos só para prestar depoimentos ou para ir ao regime de isolamento, que fica próximo, em Presidente Bernardes (SP).

O governo de São Paulo transferiu, na manhã do dia 13 último, 22 líderes da facção. Entre eles, Marcola, outros 14 integrantes do primeiro escalão e mais sete do segundo escalão da liderança do PCC. A ação surpreendeu os transferidos. Eles foram levados a presídios federais de Brasília, Porto Velho e Mossoró (RN).

Apesar da transferência da cúpula, muitos outros integrantes da facção continuam em São Paulo. Considerado presídio de segurança máxima, a rotina em Presidente Venceslau é mais rígida que as demais penitenciárias do estado. Lá, os presos supostamente são vigiados 24 horas por dia, através de agentes penitenciários, e existe um trabalho policial no local para apreensão de recados normalmente enviados pelos presos, através de visitas, para integrantes da facção em liberdade.

De acordo com a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), a penitenciária 2 de Presidente Venceslau abriga, após as transferências, 782 presos. Autoridades entrevistadas pela reportagem apontam que todos colaboraram, pelo menos de alguma maneira, com o PCC, mas a maioria presente ali é "soldado", ou seja, integrante de baixo escalão da facção criminosa paulista.

Além dos presos que continuam na ex-sede da cúpula do PCC em São Paulo, outros 93 presos estão no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado) de Presidente Bernardes, onde Marcola também esteve nos últimos anos.

Segundo o promotor de Justiça Lincoln Gakiya, que foi o responsável por solicitar a transferência dos 22 líderes do PCC para presídios federais, "ainda há muitos integrantes do PCC em presídios do estado, mas não tenho conhecimento de que algum deles ocupa posição na cúpula".

Ainda de acordo com Gakiya, a situação em Venceslau é considerada "tranquila". "Não detectamos nenhuma movimentação ou transmissão de ordens, mas os 'negócios' do PCC na rua continuam normalmente. Pode ser que [Marcola] consiga continuar liderando, sim, mas acho que não vai participar ativamente de todas as decisões, pois estará isolado."

Para o procurador de Justiça Márcio Sérgio Christino, que investigou a facção no seu início, "o simples isolamento dos líderes não extingue a organização. A droga continua vindo e abastecendo a distribuição. Haverá quem gerencie esta estrutura. Creio que, apesar disto, não haverá uma substituição imediata e, se ocorrer, será uma mudança muito gradual". 

Dados obtidos via LAI (Lei de Acesso à Informação) pelo UOL apontam que o estado gasta R$ 2,2 milhões por mês no presídio de Presidente Venceslau. A reportagem pediu entrevista com a direção do presídio, mas não obteve retorno. Como base de comparação, o presídio federal de Porto Velho, onde está Marcola, custa, por mês, R$ 6 milhões. O Ministério da Justiça não informou quantos presos estão no local. O diretor do presídio de Venceslau não quis conceder entrevista, segundo a SAP, "por motivos de segurança".

Fonte: uol

Homens são presos tentando arremessar objetos para dentro de presídio em CG

pc2502Quatro homens foram presos nesta quarta-feira (20) tentando arremessar objetos para dentro do presídio do Serrotão, em Campina Grande.

Policiais estavam fazendo rondas pelos arredores do presídio, quando encontraram os suspeitos em um matagal.

 

 

 

Com eles foram encontrados sete pacotes de maconha, oito carregadores de celular, nove fones de ouvido, seis baterias, três celulares, uma garrafa de bebida alcoólica, 49 agulhas para tatuagem, quantidade de “loló” e uma moto.

Todo material apreendido e os acusados foram encaminhados à Central de Polícia.

Fonte: paraibaonline

Prisão onde El Chapo pode passar o resto da vida é considerada a mais segura dos EUA; FOTOS

Como El Chapo tem histórico de fugas de presídios, especialistas recomendam que o traficante fique detido na Supermax, prisão que abriga terroristas e criminosos perigosos.

pc2002 Caso a Justiça dos Estados Unidos confirme, em 25 de junho, a pena de prisão perpétua ao narcotraficante mexicano Joaquín "El Chapo" Guzmán, provavelmente ele passará o resto da vida no Supermax, presídio federal de segurança máxima no estado do Colorado.

Lá, segundo a agência Associated Press, de acordo com o regime aplicado aos prisioneiros, o narcotraficante ficaria isolado em uma cela com menos de oito metros quadrados, permanecendo 23 das 24 horas do dia confinado. Até as refeições são feitas na solitária, sem contato com os outros presos.

Cela no presídio Supermax, no estado norte-americano do Colorado, em foto de 1994. — Foto: Mark Reis/The Gazette via AP, File

Cela no presídio Supermax, no estado norte-americano do Colorado, em foto de 1994. — Foto: Mark Reis/The Gazette via AP, File

Os outros detentos da Supermax, que abriga 400 presidiários, cometeram crimes gravíssimos e são considerados perigosos para a Justiça norte-americana. Entre eles, estão Zacarias Moussaoui, uma das cabeças por trás dos ataques de 11 de Setembro, em 2001, e Dzokhar Tsarnaev, autor do atentado a bomba na maratona de Boston, em 2013.

Dificilmente, porém, El Chapo vai se encontrar com eles. Aliás, o único contato que o narcotraficante terá com o lado de fora da prisão será uma janelinha com pouco mais de 10 centímetros de largura. – além de uma televisão, a única regalia a que terá direito.

Vista aérea do complexo penitenciário que inclui o Supermax, presídio de segurança máxima onde o traficante El Chapo pode ficar preso o resto da vida — Foto: (Bureau of Prisons via The Gazette via AP, File

Vista aérea do complexo penitenciário que inclui o Supermax, presídio de segurança máxima onde o traficante El Chapo pode ficar preso o resto da vida — Foto: (Bureau of Prisons via The Gazette via AP, File

Funcionários da segurança pública dos Estados Unidos consideram a Supermax a mais intransponível de todos as prisões norte-americanas. Ganhou o apelido de "Alcatraz das Montanhas Rochosas", referência à famosa penitenciária desativada em uma ilha perto de San Francisco, na Califórnia.

Presídio Supermax, considerado o mais seguro dos EUA, pode receber traficante mexicano El Chapo — Foto: Tracy Harmon/The Pueblo Chieftain via AP

Presídio Supermax, considerado o mais seguro dos EUA, pode receber traficante mexicano El Chapo — Foto: Tracy Harmon/The Pueblo Chieftain via AP

Como a maioria das prisões, a Supermax tem guardas armados, cães de guarda, torres de segurança e arame farpado nas cercas. Ainda assim, o isolamento rígido e o mínimo contato com outros detentos dificulta motins ou planos de fuga. Todas as visitas ocorrem atrás de uma grossa camada de vidro para separar o presidiário do visitante.

Torres de vigilância do presídio de segurança máxima Supermax, considerado o mais seguro dos EUA — Foto: Chris McLean/The Pueblo Chieftain via AP

Torres de vigilância do presídio de segurança máxima Supermax, considerado o mais seguro dos EUA — Foto: Chris McLean/The Pueblo Chieftain via AP

É por isso que El Chapo provavelmente ficará preso na Supermax. O narcotraficante escapou de duas prisões de segurança máxima no México. Todo traslado do mexicano exige um enorme aparato de segurança para evitar emboscadas ou resgates de aliados.

Assim, o promotor Richard Donoghue disse, no veredito de terça-feira, que o mexicano deve ganhar uma sentença "sem escapatória e sem volta".

 Joaquín 'El Chapo' Guzmán em foto de 19 de janeiro de 2017 — Foto: United States Drug Enforcement Administration via AP

Joaquín 'El Chapo' Guzmán em foto de 19 de janeiro de 2017 — Foto: United States Drug Enforcement Administration via AP

O júri que analisou as acusações contra o narcotraficante mexicano Joaquín "El Chapo" Guzmán em Nova York o declarou culpado de de todas as dez acusações que havia contra ele, o que deve levá-lo à prisão perpétua – a sentença será lida em 25 de junho.

As acusações pelas quais El Chapo foi condenado são as seguintes:

  • Engajamento em empreendimento criminoso contínuo
  • Conspiração internacional para produzir e distribuir cocaína, heroína, metanfetamina e maconha
  • Conspiração para importar cocaína
  • Conspiração para distribuir cocaína
  • Distribuição internacional de Cocaína (4 acusações diferentes)
  • Uso de armas de fogo
  • Conspiração para lavar dinheiro proveniente de narcóticos
Traficante 'El Chapo' desembarca nos EUA após ser extraditado — Foto: G1

Traficante 'El Chapo' desembarca nos EUA após ser extraditado — Foto: G1

Joaquín Archivaldo Guzmán Loera nasceu em 4 de abril de 1957 em uma família humilde em La Tuna, pequeno povoado rural de Badiraguato, no pobre e violento estado de Sinaloa. O apelido "El Chapo" significa "o baixinho", em português.

Adolescente, El Chapo foi recrutado pelo chefe do cartel de Guadalajara, Miguel Angel Félix Gallardo, e quando este foi preso em 1989, fundou com três sócios o cartel de Sinaloa, que cresceu de forma metórica até se tornar o maior do mundo.

Com o passar do tempo, El Chapo tornou-se o traficante de drogas mais procurado do mundo, acusado de enviar entorpecentes da América Latina para Estados Unidos, Europa e Ásia.

Até a revista "Forbes" reconheceu o seu sucesso e, até 2013, o colocou em sua famosa lista de bilionários, estimando a sua fortuna em US$ 1 bilhão. Ele permaneceu no ranking por vários anos seguidos. 

Fonte: G1

Mais artigos...

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto     safestore1      CONTASABERTAS  universidadedotransito   acervo        kennya6      alexandrejose    codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web