juarezjornalista

Detentos conseguem realizar fuga em massa por túnel no CDPM 2 | PM realiza buscas

pc1405

A Secretária de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) iniciou uma operação após 35 presos fugirem por um túnel do Centro de Detenção Provisória de Manaus II (CDPM II), neste sábado (12). Os efetivos da Polícia Militar, Polícia Civil, Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop) e Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai) estão nas ruas para reforçar a segurança e recaptura de detentos foragidos. Até o início da noite deste sábado nenhum tinha sido recapturado.

De acordo com a SSP-AM, desde as primeiras informações sobre a fuga, as forças policiais estão atuando e auxiliando a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) na contagem, identificação e revista dos presos.

O Comando-Geral da Polícia Militar informou que realiza incursões ao redor do complexo prisional na BR-174 (Manaus/Boa Vista) e também tem feito sobrevoos com o helicóptero Águia. Tropas das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam), Companhia de Operações Especiais (COE), Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) e a Força Tática estão reforçando o patrulhamento em missões especiais nas estradas e em toda a cidade.

Já as equipes da Delegacia Geral da Polícia Civil estão fazendo varreduras em diversas áreas da cidade e na zona rural. A ação envolve policiais do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc). Todos os dez Distritos Integrados de Polícia (DIP) de plantão estão empenhados na missão.

“A lista com o nome e as fotos dos foragidos já estão em posse dos agentes de segurança e a missão é recapturar os apenados, reconduzindo-os novamente ao sistema prisional”, informou em nota a SSP-AM.

A SSP-AM pediu ajuda da população para informe de forma sigilosa informações que possam auxiliar localizar os detentos foragidos. As denúncias podem ser feitas pelo telefone de denúncias 181 e do 190 ou ainda pelo WhatsApp da Seap no telefone (92) 99297-3068. 

foragidos 120518

Fuga em massa

Na manhã deste sábado, 35 do CDPM II. O número foi atualizado após contagem e vistoria em todos os pavilhões do local. A fuga ocorreu por meio de um túnel próximo a área externa do pavilhão 5.

Dentre os presos foragidos estão homicidas, estupradores e traficantes de drogas de alta periculosidade.

Essa foi primeira fuga em massa do CDPM II, que é a mais nova unidade prisional do estado. O presídio foi inaugurado no dia 29 de setembro de 2017, construído na BR-174, é a primeira unidade prisional no estado do Amazonas a ter um espaço destinado a tratamento de detentos com dependência química, além de quatro pavilhões para os presos.

A obra do CDPM II recebeu investimentos do Governo Federal e do Governo Estadual, tendo sido orçada em R$ 24 milhões, sendo R$ 12 milhões e 700 mil reais de repasse do Governo Federal e R$ 11 milhões e 500 mil do Estado do Amazonas.

A nova unidade conta com 571 vagas e até o dia 3 de maio deste ano estava com 298 presos, ou seja, 52,2% da capacidade do presídio.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) considera o CDMP II um presídio modelo de gestão, onde seriam adotados procedimentos mais rígidos de triagem dos presos. Além disso, a unidade possui uma estrutura diferente das demais.

Na parte da educação, o CDP II se tornou a unidade com mais salas de aula, tendo sete no total, além de biblioteca e sala de informática. Para a saúde, a unidade tem uma ala com consultório médico e odontológico, posto de enfermagem, sala de coleta para laboratório, sala de procedimentos e celas de observação. A unidade está estruturada, também, com parlatórios, sala para atendimento dos defensores públicos, sala para videoconferência e sala de monitoramento para controle e acompanhamento das atividades da unidade prisional por meio das câmeras.

O CDPM II foi unidade onde o ex-governador do Amazonas José Melo e secretários suspeitos de desviar recursos públicos ficaram presos. A unidade foi construída na gestão do governador cassado por compra de votos.

Fonte G1

Detentos são flagrados quebrando parede de cela na PEC

      Agentes do SOE foram acionado para apoio    

pc0505Detentos foram flagrados na noite de domingo (29) quebrando a parede de uma das celas da PEC (Penitenciária Estadual de Cascavel).

Segundo informações, um agente percebeu os barulhos durante uma ronda pelo Bloco Dois.

Com apoio dos agentes da SOE (Setor de Operações Especiais), eles encontraram quatro detentos monitorados pela Justiça quebrando uma das paredes.

Um bilhete interno sobre ilícitos na cela também foi encontrado no local.

Fonte: catve

Presos se rebelam e ateiam fogo na Penitenciária de Lucélia

Polícia Militar foi acionada por volta das 14h20 e mandou equipes para o local. Três defensores públicos que visitavam a unidade foram feitos reféns.

pc0205Uma rebelião de presos foi iniciada na tarde desta quinta-feira (26) na Penitenciária de Lucélia. Três defensores públicos que realizavam uma visita de rotina ao local foram feitos reféns, o que foi confirmado ao G1 pela Defensoria Pública do Estado de São Paulo. Também foram observados focos de incêndio dentro da unidade. A Polícia Militar foi acionada por volta das 14h20 e mandou equipes para o local. O Grupo de Intervenção Rápida (GIR), que é uma espécie de "tropa de elite" para atuação em situações críticas no sistema prisional paulista, também foi acionado para o atendimento da ocorrência e tentar controlar o motim. 

  O Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo (Sindasp) informou que três diretores da instituição se deslocaram para a unidade prisional para acompanhar o caso. "As primeiras informações deram conta de que não houve agente penitenciário refém", informou o sindicato em seu site oficial. 

  O helicóptero Águia da Polícia Militar está no local auxiliando a ocorrência. O Corpo de Bombeiros de Adamantina informou que todo o efetivo da corporação foi deslocado para a penitenciária, inclusive os que estão de folga. Uma viatura do Resgate e um caminhão auto-tanque dos bombeiros foram deslocados para a unidade. 

 Familiares de presos informaram que os rebelados reivindicam melhores condições para o cumprimento de suas penas na unidade. 

  De acordo com as informações da Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP), a Penitenciária de Lucélia possui capacidade para abrigar 1.440 presos, mas atualmente conta com uma população carcerária de 1.820 homens. 

 A unidade também dispõe de uma ala de progressão penitenciária, que tem capacidade para 110 presos e abriga atualmente 126. 

SAP

  Em nota, a Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo informou que nesta quinta-feira (26), por volta das 9h, cinco defensores públicos chegaram à Penitenciária de Lucélia para realizarem atendimento aos presos da unidade. A direção informou aos defensores que não seria apropriado entrar naquele momento pois os detentos estavam no horário do banho de sol, porém, os defensores insistiram em entrar, conforme a secretaria. 

  Por volta das 14h, ainda durante o banho de sol, os defensores entraram nos pavilhões três e quatro e, após 20 minutos, os presos do local fizeram três defensores reféns e começaram a quebrar as portas dos pavilhões a fim de liberar todos os detentos. A SAP ressaltou que quando foi iniciado o movimento subversivo todos os funcionários da unidade foram retirados do interior da carceragem. 

  “Informamos ainda que o Grupo de Intervenção Rápida, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados e estão nesse momento de prontidão ao lado de fora da unidade”, afirma a nota da secretaria. 

  A SAP salienta que o diretor da penitenciária e o coordenador de unidades prisionais da região estão efetuando as negociações com os presos. 

  “Esclarecemos que defensores públicos e juízes possuem acesso irrestrito às unidades e não podem ser impedidos de entrar em qualquer estabelecimento penal”, finaliza a nota. 

Professora

 Na quarta-feira (25), uma professora da rede estadual de ensino foi flagrada ao tentar entrar com dois microcelulares na Penitenciária de Lucélia. Um dos aparelhos estava escondido na calcinha da mulher e o outro em uma bolsa. 

  De acordo com as informações da Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo, durante procedimento de revista dos servidores, uma professora vinculada à Escola Estadual José Firpo, que prestava trabalho educacional aos presos da unidade, foi submetida ao aparelho de scanner corporal, onde foi identificado um objeto estranho em seu corpo. 

  Ao ser questionada, a professora assumiu estar com um objeto ilícito. Em um lugar reservado e na presença de uma agente de segurança penitenciária feminina, a mulher retirou o invólucro de dentro de sua calcinha, onde foi constatado que se tratava de um microcelular. Ela informou que recebeu o aparelho no último sábado (21), no Terminal Rodoviário de Lucélia, e que o entregaria a dois presos, ambos alunos matriculados no ensino médio, conforme a SAP. 

  A direção da unidade prisional comunicou a Polícia Militar, que foi até o local e realizou a vistoria no veículo em que a professora chegou à penitenciária. O carro era de outra professora, que deu carona à mulher que foi flagrada com o aparelho. Segundo a secretaria, nada de irregular foi encontrado no automóvel, porém, na bolsa da educadora flagrada no scanner, foi encontrado outro microcelular. 

  A PM levou a mulher, junto com dois agentes penitenciários, até sua residência e realizou buscas no imóvel. Em seguida, ela foi encaminhada para a Delegacia da Polícia Civil. 

  De acordo com a SAP, os presos que receberiam o microcelular foram encaminhados, previamente, ao pavilhão disciplinar e responderão a procedimento de apuração preliminar. A unidade também instaurou procedimento de apuração preliminar para averiguar possível envolvimento funcional no fato ocorrido, segundo a pasta estadual. 

  Em nota, a Diretoria Regional de Ensino de Adamantina comunicou que, em relação à professora temporária detida na unidade prisional de Lucélia, foi aberto processo administrativo e o contrato da mesma será rescindido. A Polícia Civil investigará o caso, informou a diretoria. 

Fonte: G1

Inspeção constata situação insalubre em unidade prisional

Membros do Conselho Penitenciário (Copen) visitaram presídio a pedido de agentes penitenciários. Segundo a avaliação, profissionais vivem sob constante ameaça, estresse e precisam seguir ordens dos internos

pc2304Representantes de entidades de defesa dos direitos humanos fizeram inspeção na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL II), em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza. Sob escolta, permaneceram no local durante a manhã desta quarta-feira, 31, representantes dos ministérios públicos estadual e federal, pesquisadores da Universidade Federal do Ceará (UFC) e integrantes da Pastoral Carcerária.

A visita ocorre após agentes penitenciários apresentarem, na segunda quinzena deste mês, Boletim de Ocorrência (B.O) denunciando ameaças e condições insalubres de trabalho. Na próxima semana, o relatório do que foi constatado no prédio será apresentado na reunião do Conselho Penitenciário (Copen), que articulou o encontro.

“Há insuficiência, a começar pela quantidade de agentes. São, em média, dez para atender 1.200 detentos. O espaço está destruído desde maio de 2016, quando houve rebeliões. Eles estão soltos, sem grades, ninguém pode trancar. Os agentes soldam durante o dia. À noite, os internos serram novamente”, relatou Ruth Leite, presidente da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) de Fortaleza. 

Agentes penitenciários

Segundo ela, como o pedido da inspeção foi feito pelos agentes, após serem alvo de artefato explosivo caseiro produzido pelos internos, a prioridade da visita nesta quarta-feira, 31, foi ouvi-los “Eles estão exaustos e estressados. Ainda conseguem fazer muitas coisas, mas tudo sob muito risco lá dentro”, reconheceu. 

No espaço, estão presos de uma das facções do Estado. Atualmente, os integrantes de cada grupo são separados nas unidades prisionais de acordo com as organizações que pertencem. Conforme imagens as quais O POVO Online teve acesso, nas paredes da CPPL II há inscrições da organização e “toque de recolhimento” proibindo agentes em espaços do presídio após determinados horários.

O POVO Online entrou em contato com a Secretaria Estadual da Justiça (Sejus) e aguarda posicionamento da pasta sobre a situação da unidade. 

Fonte: gazetadopovo

 

Presos fogem de Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão

Eles usaram uma Teresa, corda fabricada por pedaços de tecidos, para fugirem
penfranbelEra madrugada de segunda-feira (16), quando agentes penitenciários estaduais da Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão (PFB), perceberam a fuga de quatro presos. Dos sete presos de uma das celas da penitenciária, quatro foram flagrados fugindo. Segundo informações, eles serrarem os palitos da entrada de ar da cela e utilizarem uma Teresa, (corda fabricada por pedaços de tecidos).

Os agentes perceberam a ação, porque o alarme anti-fuga foi acionado. Tiros foram disparados para conter os presos e que eles fossem recapturados. Dois conseguiram pular o muro, já os outros foram encaminhados para outra cela da unidade.

Os fugitivos foram identificado como J.F.S conhecido como "Seco", 20 anos e J.J, 22 anos conhecido como "Bacardi", os dois condenados por homicídio.

A penitenciária está com 1.125 presos e possui capacidade para até 1.160.

Apoio PP News

Mais artigos...

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    ricardo    EAD  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web