jornalista1

Ministério dos Direitos Humanos apaga nota lamentando mortes no Jacarezinho

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves RIO — O Ministério da Família, Mulher e Direitos Humanos retirou do ar uma nota oficial lamentando as mortes durante operação realizada na quinta-feira na comunidade do Jacarezinho, Zona Norte do Rio de Janeiro. A publicação feita na última sexta-feira, ressaltava que ações de combate ao crime eram necessárias, mas que deveriam zelar pela proteção a vida.

Nas redes sociais, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro criticaram o posicionamento da pasta comandada por Damares Alves, alegando que as vítimas da operação eram todos criminosos, com exceção do policial.

Em sua conta do Twitter, Bolsonaro também ressaltou que "ao tratar como vítimas traficantes que roubam, matam e destroem familías, a mídia e a esquerda os iguala ao cidadão comum, honesto, que respeita as leis e o próximo."

A operação da Polícia Civil foi montada após a Justiça determinar a prisão de 21 pessoas acusadas de tráfico de drogas. Dos mandados de prisão, três foram cumpridos e outros três procurados acabaram mortos. Outros três suspeitos foram presos, totalizado seis detenções.

Fonte: https://extra.globo.com

Comentar

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                  Saiba os benefícios de usar o LinkedIn para a sua vida profissional - IFS -  Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe 

blogimpakto  acervo    csp   jornalismoinvestigativo   fundobrasil   Monitor da Violência – NEV USP   Capa do livro: Prova e o Ônus da Prova - No Direito Processual Constitucional Civil, no Direito do Consumidor, na Responsabilidade Médica, no Direito Empresarial e Direitos Reflexos, com apoio da Análise Econômica do Direito (AED) - 3ª Edição - Revista, Atualizada e Ampliada, João Carlos Adalberto Zolandeck   tpnews   naofoiacidente

procurados

Desenvolvido por: ClauBarros Web