JORNALISTAMINI

A história da polícia que mata no Paraná

tiros

Daniel concordava com Jazadji e com a política agressiva da Rota. E morreu justamente pelas mãos dessa polícia. Estava num bar e a Rota soube que ali havia um suspeito de cometer crimes. Entrou no local atirando: além do suspeito, morreu também Daniel. No outro dia, Afanásio vituperava no seu programa: “Mataram o bandidão de Jaraguá!”

Pena e ressocialização

tornozeleiras1 Sete meses depois da implantação do monitoramento eletrônico para presos provisórios e detentos que cumprem pena no regime semiaberto do Paraná, os resultados podem ser considerados positivos. Reportagem da FOLHA relatou essa semana que dos 498 presos que tiveram acesso às tornozeleiras, 110 descumpriram as regras impostas pela Justiça. O número inclui presos que se desolocaram fora do horário ou do perímetro permitidos, que tentaram violar o equipamento ou que cometeram novos crimes. Dos 22% dos presos que descumpriram as normas estabelecidas, apenas 2,4% (12 presos) cometeram novos crimes.

É consenso entre a opinião pública que o atual modelo prisional praticamente não atua na ressocialização do preso. Cadeias e penitenciárias superlotadas em condições precárias e tempo ocioso contribuem para que os presos se "tornem PhD em criminalidade". O ideal seria a implantação de atividades laborais, o que nem sempre é possível. E, por isso, as tornozeleiras são uma opção viável. Além de poucos presos voltarem a praticar crimes, o equipamento tem custo bem inferior: enquanto cada tornozeleira custa R$ 241 mensais ao governo, o custo médio mensal para a manutenção de cada detento no sistema é de R$ 2 mil. 

O mecanismo ainda contribui para esvaziar as prisões. O Brasil detém uma das maiores populações carcerárias do mundo e o número vem crescendo anualmente. Não há condições de abrigar todas essas pessoas dignamente em presídios até porque o orçamento para novas obras é limitado. E, por isso, é preciso implantar alternativas que desafoguem o sistema. As defensorias públicas, que poderiam fazer o trabalho de acompanhamento do cumprimento das penas, funcionam precariamente em vários Estados. A partir da sua correta implantação e da realização mais frequente de mutirões carcerários, o sistema funcionaria melhor. O País precisa investir em soluções modernas que atuem na ressocialização dos presos.

Fonte: http://www.folhaweb.com.br

Denúncia: Depen persegue Agentes que participaram do dia 29 de abril

Agente foi retirado do grupo de ações táticas e colocado à disposição do DEPEN, depois que seu chefe imediato viu sua foto na manifestação

manifAgentes Penitenciários que participaram da manifestação democrática do dia 29 de abril começam a sentir o peso das mãos tendenciosas do Estado, neste caso, representado pelo Departamento Penitenciário do Paraná. Essa tem sido uma das inúmeras reclamações de Agentes sobre perseguições sofridas pelos trabalhadores que participaram do ato cívico dos servidores públicos em defesa da Paraná Previdência, no último dia 29, em frente à Assembleia Legislativa do Estado.

Em um dos casos denunciados AO SINDICATO, um Agente Penitenciário do DOS (Divisão de Operações de Segurança), foi retirado do grupo de ações táticas e colocado à disposição do DEPEN, depois que seu chefe imediato viu sua foto na manifestação. Segundo esse Agente que não quis se identificar, o comandante do grupo teria lhe dito que ele não apresentava perfil adequado para compor o grupo de operações especiais, e ainda o teria alertado para outras providências do DEPEN em relação à participação dos servidores nas atividades classistas do seu sindicato.

Outra denúncia feita por servidores penitenciários é sobre uma suposta orientação que o DEPEN teria dado aos diretores das unidades penais, para que intensificassem comunicados de acusações aos Agentes representantes de base do SINDARSPEN, a fim de intimidá-los para cessar as críticas que fazem em relação à administração dos presídios. Em algumas unidades, como a PECO, em que práticas de assédio moral já estão sendo denunciadas ao Ministério Público e demais órgãos fiscalizadores do Sistema, a perseguição velada também está ocorrendo. Alguns diretores de unidades já atribuíram a culpa ao DEPEN, alegando que a orientação é de que os Agentes que aderirem às atividades sindicais sejam comunicados constantemente, na tentativa de intimidar e acabar com a representatividade.

Esses casos parecem ser uma retaliação interna aos servidores, já que nada se conseguiu provar contra os Agentes Penitenciários e outros servidores, que manifestaram democraticamente no exercício da sua liberdade de opinião. “As denúncias que estamos recebendo, nos leva a crer que essas retaliações pós-manifestação, é uma tentativa de reprimir e intimidar o trabalhador, fora dos holofotes da opinião pública”, comenta Petruska Niclevisk Sviercoski, presidente do SINDARSPEN.

Para o SINDARSPEN, tentativas de intimidação como essas denunciadas, expõem ainda mais as vísceras da crise administrativa que atravessa o Departamento Penitenciário do Paraná, agravada agora com a crise política do governo do Estado e Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária.

O SINDARSPEN está denunciando essa prática e perseguição para o Ministério Público, que já abriu um canal para depoimento e exposição de situações como essa. “Daremos encaminhamentos e formalizaremos as denúncias que chegarem ao nosso conhecimento. Nosso interesse é que isso seja investigado e, se provado, que os autores dessas práticas de assédio sejam notificados e processados pelos órgãos de controle externo”, explica Petruska.

Funcionária "burra", ré "fofinha" e outros mimos. Em 10 anos, 300 juízes tiveram processos

INSULTO

Polêmica.
Os insultos feitos por juízes nas salas de audiência têm sido punidos pelo Conselho Superior da Magistratura

Gravações podem expor corrupção na Câmara de PG

camara

Vereador "repartiria" com assessores parte do salário dos empregados - prática tida como ilegal e considerada corrupção

Circula pelos gabinetes da Câmara de Ponta Grossa, de celular em celular, via Whatsapp, e também via CDs, algumas gravações que ainda devem dar muito o que falar no meio político local. As primeiras informações dão conta de que trata-se de conversas, gravadas por um ex-chefe de gabinete de um certo parlamentar, em que o assunto seria uma suposta divisão do salário de um ou mais assessores do tal gabinete. Trocando em miúdos, parte do salário dos assessores iria parar no bolso do vereador gravado, que alegaria se tratar de um “fundo do gabinete”. Prática que é considerada corrupção e pode levar à cassação do mandato. As informações são do Blog do Doc.com.

MP e Corregedoria

Na ocasião, o autor da gravação era o chefe de gabinete, que agora, já exonerado, ‘jogou tudo no ventilador’. As gravações estão sendo transcritas antes de serem levadas ao Ministério Público e Corregedoria Geral da Câmara. Pelo que consta, o próprio ex-chefe de gabinete estaria disposto a testemunhar contra o dito parlamentar, assim como outras pessoas que já passaram pelo gabinete e pela mesma situação a ser denunciada.

Próximas semanas

A acusação é séria e o nome do vereador em questão não será exposto pelo Blog do Doc.com até que uma denúncia seja formalizada, o que deverá ocorrer nas próximas semanas, junto ao MP e à Corregedoria. Segundo informações obtidas, um grupo de vereadores já teve acesso ao conteúdo da gravação, considerado de extrema gravidade.

Comissão Processante

O suposto esquema de corrupção, se comprovado, pode acarretar em processo na Corregedoria, com a instalação de Comissão Processante, nos mesmos moldes do processo que avaliou o caso do falso sequestro da ex-vereadora Ana Maria de Holleben (ex-PT), quando ela renunciou para não ser cassada. As sanções vão desde advertência até a cassação.

Prática reprovável

Blog do Doc.com não pretende colocar os 23 vereadores em saia justa ao não divulgar a identidade do vereador flagrado na conversa neste momento. Porém, diante da gravidade da denúncia a ser levada a público em breve, resolvemos expor o fato aos leitores, pois se trata de uma prática reprovável de ilegalidade dentro do Poder Legislativo Municipal, em um momento em que toda a sociedade clama pelo fim da corrupção. Pelas informações obtidas, é certo que o caso virá à tona e a identidade do dito vereador revelada.

Fonte: http://arede.info

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web