juarezjornalista

Agressor de Bolsonaro é denunciado pelo Ministério Público Federal

Segundo a Procuradoria, o acusado colocou em risco o regime democrático ao tentar interferir no resultado das eleições .

E0710 O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o agressor do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), Adélio Bispo de Oliveira, por atentado pessoal por inconformismo político. Segundo a Procuradoria, o acusado colocou em risco o regime democrático ao tentar interferir no resultado das eleições ao buscar assassinar um dos concorrentes na disputa presidencial.

O procurador autor da denúncia argumentou que Adélio Bispo planejou o ataque com antecedência de modo a excluir Bolsonaro da disputa. O autor recorreu ao depoimento do acusado e a elementos obtidos na investigação, como rastros da navegação dele na internet, mensagens de celular e histórico de atuação política. A denúncia destacou elementos que indicam uma forte crítica de Adélio a Bolsonaro e a suas posições políticas.

"O propósito do ato foi o de eliminar fisicamente o candidato da disputa pela Presidência da República, excluindo-o do pleito, de modo a impedir que as suas ideias, caso acolhidas pela maioria, passassem a informar as políticas públicas do Governo Federal", afirmou o procurador Marcelo Borges de Mattos Media, autor da denúncia.

E acrescentou, no documento: "O objetivo, em suma, diante da perspectiva da eleição daquele de quem ´discorda radicalmente´ foi o de determinar o resultado das eleições, não por meio do voto, mas mediante violência".

Fonte: .pontaporainforma

Lewandowski, do STF, autoriza Folha a entrevistar Lula na prisão

Jornal argumentou que decisão da 12ª Vara Federal em Curitiba que negou a permissão impôs censura à atividade jornalística 

lulaentrevistaO ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), autorizou a colunista Mônica Bergamo, da Folha, a entrevistar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na prisão. 

Lula está preso em Curitiba desde 7 de abril após ser condenado em segundo grau na Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O despacho é desta sexta-feira (28) em uma reclamação feita pelo jornal, que argumentou ao STF que uma decisão da 12ª Vara Federal em Curitiba que negou a permissão para a entrevista impôs censura à atividade jornalística e mitigou a liberdade de expressão, em afronta a decisão anterior do Supremo.

“Não há como se chegar a outra conclusão, senão a de que a decisão reclamada [da Justiça em Curitiba], ao censurar a imprensa e negar ao preso o direito de contato com o mundo exterior, sob o fundamento de que 'não há previsão constitucional ou legal que embase direito do preso à concessão de entrevistas ou similares', viola frontalmente o que foi decidido na ADPF 130/DF”, escreveu o ministro.

No julgamento da citada ADPF (arguição de descumprimento de preceito fundamental), o Supremo garantiu “a 'plena' liberdade de imprensa como categoria jurídica proibitiva de qualquer tipo de censura prévia”. 

“O STF, em inúmeros precedentes, mesmo antes do julgamento da ADPF 130, já garantiu o direito de pessoas custodiadas pelo Estado, nacionais e estrangeiros, de concederem entrevistas a veículos de imprensa, sendo considerado tal ato como uma das formas do exercício da autodefesa”, afirmou Lewandowski.

“Ressalto, ainda, que não raro, diversos meios de comunicação entrevistam presos por todo o país, sem que isso acarrete problemas maiores ao sistema carcerário [...] Portanto, permitir o acesso de determinada publicação e impedir o de outros veículos de imprensa configura nítida quebra no tratamento isonômico entre eles, de modo a merecer a devida correção de rumos por esta Suprema Corte”, concluiu.

O ministro determinou que a Justiça em Curitiba seja comunicada da decisão e que agende, em acordo com a Folha, a data da entrevista.

A Procuradoria-Geral da República divulgou nota em que afirmou que não vai recorrer da decisão de Lewandowski.

“Em respeito à liberdade de imprensa, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, não recorrerá de decisão judicial que autorizou a entrevista do ex-presidente Lula a um veículo de comunicação”, diz o texto da Secretaria de Comunicação do Ministério Público Federal.

Fonte: www1.folha.uol.com.br

Mais juízes, mais prisões e... Mais violência

e27 09 2018De acordo com os levantamentos realizados pelo , (publicado no ), em 2009 o Brasil investiu R$ 45,5 bilhões em Segurança Pública, sendo mais de R$ 10 bilhões só em São Paulo. Em 2010, houve um aumento de 4,4% nesse investimento, alcançando-se a marca dos R$ 47,5 bilhões.

O número total de presos (provisórios e definitivos) nos sistemas penitenciários que era de 90 mil presos em 1990, aumentou para 500 mil em 2010. Um crescimento de 450% e uma taxa de 258 presos por 100 mil habitantes (veja-se que a população brasileira neste mesmo período teve um crescimento de somente 26,7%).

Se consideramos apenas os presos definitivos, a situação é ainda mais alarmante. De acordo com o Anuário 2011, em 1938 o Brasil contava com uma taxa de 19,1 presos condenados para cada grupo de 100 mil habitantes. Já em 2009, essa taxa havia saltado para 242,5 presos por 100 mil habitantes, significando um crescimento de 1.169% em 71 anos.

Entre 1994 e 2009 o número de presídios construídos no país cresceu 253%, chegando a 1.806 estabelecimentos prisionais em 2009 (enquanto o número de escolas caiu 19,3%, ).

Ainda entre 2009 e 2010 houve um aumento no número de juízes de 3,2%, totalizando 16.804 magistrados em 2010, bem como de servidores da justiça, chegando a 321.963 também em 2010, . Com uma despesa total de R$ 41 bilhões em 2010, houve .

Investimentos no Judiciário, na Segurança Pública e no Sistema Penitenciário não faltaram no Brasil (nos últimos anos) e mesmo assim a violência não parou de crescer. É que estamos gastando muito dinheiro com os efeitos e não estamos prestando atenção nas causas. Estamos enxugando gelo com toalha quente.

Ninguém matou mais em 2009 que o Brasil em números absolutos, alcançando 51.434 homicídios dolosos (de acordo com os dados do ). Com esse montante (26,6 pessoas a cada 100 mil habitantes), o Brasil conquistou o Em 1979 tínhamos 9,6 mortes para cada 100 mil habitantes. Em 2009 pulamos para 26,6.

Os números acima são, por si sós, conclusivos: o simples “investir” em Segurança Pública, policiamento, sistema processual e prisional não basta. É necessário o desenvolvimento de uma Política criminal que tenha por escopo fins não apenas repressivos, mas especialmente preventivos, envolvendo medidas socioeducativas, conscientização da população e principalmente dos operadores do direito. O Brasil é um país socialmente, moralmente e eticamente doente. Enquanto não cuidarmos das suas mazelas seculares (das suas doenças), não há remédio que lhe dê jeito. A Política de Segurança Pública brasileira continua, em razão da sua extensa banda podre, servil à prata (corrupção) e ao chumbo (violência).

Fonte: professorlfg

Veja quantos visitantes foram apreendidos tentando entrar com ilícitos em presídios paulistas no último final de semana

Agentes encontram drogas em carne recheada e roupas - essas e outras apreensões em presídios de todo o estado - 15 e 16/09

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa sobre as apreensões do último fim de semana, 15 e 16 de setembro, em presídios em todo estado. Todos os casos foram registrados por meio de boletim de ocorrência e os visitantes flagrados foram automaticamente suspensos do rol de visitas.
Em cada uma das apreensões, os presos foram isolados e respondem a Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade daqueles que receberiam os materiais ilícitos.
Num dos casos, no último domingo, 16, agentes de segurança da Penitenciária “Valentim Alves da Silva” de Álvaro de Carvalho, encontraram maconha em pedaços de carne levados pela mãe do sentenciado.
O alimento recheado estava dentro de um compartimento e foi flagrado pelos funcionários no momento da revista nos pertences da mulher.
 
Capital
No Centro de Detenção Provisória (CDP) I de Pinheiros, zona oeste de São Paulo, foram apreendidas cinco moedas com uma visitante da unidade. Os objetos foram constatados pelo aparelho scanner corporal durante revista realizada na mulher, que indicou a presença das moedas no bolso da calça.
Santo André
No Centro de Detenção Provisória (CDP) de Santo André, durante todo o final de semana (15 e 16) foram flagradas três visitantes tentando levar entorpecente para dentro da unidade. As mulheres esconderam o ilícito com características à maconha na costura de suas calças e de roupa íntima (top).
Os casos foram encaminhados ao 4° Distrito Policial de Diadema para registro de Boletim de Ocorrência e demais providências cabíveis diante das faltas.
  
São Bernardo do Campo
Com invólucros contendo entorpecentes, três visitantes do Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Bernardo do Campo foram flagradas pelos agentes de segurança. Dentro dos invólucros estavam substâncias análogas à maconha e à cocaína.
Em um dos casos registrado no sábado (15), a mulher confessou que recebeu o ilícito na noite anterior e o entregaria ao seu companheiro. O invólucro, assim como nos outros dois flagrantes, estava introduzido na genitália das visitantes.
   
Diadema
Durante a manhã de domingo (16), no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Diadema, uma anormalidade na região da pélvis de uma visitante foi detectada pelo aparelho de scanner corporal. A mulher passava pelo procedimento de revista quando os agentes identificaram um invólucro introduzido em sua genitália.
No pacote continha substâncias ilícitas características à maconha e à cocaína. O conteúdo foi recolhido pelos agentes de segurança e a visitante foi encaminhada ao 1° Distrito Policial de Diadema para realização de Boletim de Ocorrência.
  
 
Mauá
Com pacotes de entorpecente análogo à maconha, a companheira de um detento foi flagrada no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mauá, no último domingo (16). O material foi visto na barra de sua calça após a mesma passar pelo scanner corporal para procedimento padrão de revista. Dois pacotes da substância estavam costurados junto à calça.
A visitante foi encaminhada ao 1° Distrito Policial de Mauá para registro de Boletim de Ocorrência e demais procedimentos.
 
Guarulhos
Os Centros de Detenção Provisória (CDP) I e II, de Guarulhos, registraram três casos de apreensão com visitantes durante o último final de semana (15 e 16). Em todas as situações as mulheres tentavam levar entorpecente para dentro das unidades prisionais do município de Guarulhos.
No Centro de Detenção Provisória (CDP) I “ASP Giovani Martins Rodrigues”, no domingo (16), a companheira de um preso passava pelo scanner corporal quando foi detectada a presença de um objeto estranho na região de sua pélvis. Ao ser questionada a mesma afirmou estar com um invólucro de ilícito característico à maconha em sua genitália.
 
No CDP II de Guarulhos, as ocorrências foram registradas no sábado (15) e no domingo (16). Em um dos casos, a visitante flagrada aparentava estar muito nervosa ao passar pela revista no scanner corporal. Nas imagens do scanner foi detectada a presença de ilícitos em sua calça e, ao ser encaminhada para revista manual, as agentes de plantão notaram que os pacotes contendo entorpecente análogo à maconha estavam em uma calcinha com enchimento na região das nádegas.
A segunda visitante que tentou entrar com entorpecente no CDP II de Guarulhos escondeu os pacotes de ilícito característico à maconha em sua genitália e na região de seus seios.
  
Na Penitenciária “Adriano Marrey”, a companheira de um sentenciado levava os entorpecentes característicos à maconha e à cocaína na costura de sua blusa. O conteúdo foi encontrado após revista mecânica via scanner corporal. Todos os casos foram encaminhados ao 4° Distrito Policial para registro de Boletim de Ocorrência.
 
Franco da Rocha
A companheira de um preso da Penitenciária II “Nilton Silva”, de Franco da Rocha, foi pega no último domingo (16) com um pacote contendo ilícito escondido em sua genitália. A visitante passava pela revista via scanner corporal quando o material foi detectado em seu corpo.
Depois de questionada, a mulher confirmou trazer consigo um invólucro com entorpecente característico à cocaína. Após entregar o pacote, os agentes registraram 69 gramas do ilícito. O caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Franco da Rocha.
 
Jundiaí
No sábado (15), duas mulheres foram detidas, durante o procedimento de revista, no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Jundiaí, tentando entrar na unidade com maconha. No primeiro flagrante, agentes encontraram a substância escondida em um papel. Já na segunda ocorrência, a mãe de um detento foi surpreendida com a droga dividida em 25 unidades de cigarros.
As duas mulheres foram encaminhadas ao plantão policial, onde permanecem à disposição da Justiça.
Suzano
Foram apreendidos 185,9 gramas de entorpecentes com visitantes durante o final de semana no Centro de Detenção Provisória de Suzano. Duas mulheres foram flagradas tentando entrar na unidade carregando drogas na vagina.
Na manhã de sábado, dia 15, as agentes de segurança penitenciária perceberam um objeto estranho na região pélvica de uma visitante de 37 anos, pelas imagens geradas pelo aparelho de escaneamento corporal. Ao ser questionada, a suspeita admitiu que trazia drogas dentro do órgão genital e retirou, espontaneamente e em local reservado, um invólucro com 118,3 gramas de cocaína.
No dia seguinte, uma jovem de 23 anos foi frustrada com a mesma estratégia. A visitantes trazia dois invólucros na vagina, um com 56,9 gramas de cocaína e outro com 10,7 gramas de maconha.
Ambas são companheiras de detentos do CDP. As mulheres foram encaminhadas para a Delegacia de Polícia, onde foi lavrado o Boletim de Ocorrência, e tiveram seus nomes suspensos do rol de visitas da SAP.
  
Campinas
No sábado(15), uma mulher foi flagrada, no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Campinas, com 80 gramas de drogas introduzidos no ânus.
Segundo informações da unidade prisional, o flagrante ocorreu durante o procedimento de revista, momento em que a suspeita passou pelo body scanner e o aparelho mostrou alterações nas imagens. Ao ser questionada, a suspeita admitiu que havia colocado em seu corpo um invólucro contendo maconha e cocaína.
Piracicaba
No sábado (15), uma mulher, de 19 anos, foi detida no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Piracicaba, durante o procedimento de revista dos alimentos, ao tentar entrar com aproximadamente três gramas de maconha escondidos em cigarros.
De acordo com informações da unidade prisional, a suspeita apresentou nervosismo durante a revista do jumbo e ao ser questionada sobre as alterações na embalagem do produto disse que o havia comprando exatamente da maneira com ele se encontrava. Diante disso, foi feito uma revista minuciosa e os agentes encontraram a droga. A visitante pretendia visitar o companheiro, mas foi impedida e conduzida ao plantão policial, onde permanece à disposição da Justiça.
Tremembé
Na Penitenciária "Tarcizo Leonce Pinheiro Cintra", a P1 de Tremembé, no sábado, dia 15 de setembro, uma visitante foi frustrada ao tentar entrar com dois invólucros com drogas escondidos em seu absorvente. A jovem, de 23 anos, foi surpreendida ao passar pelo procedimento de revista por meio de escaneamento corporal. Ao ser questionada, a suspeita confessou que trazia os entorpecentes e retirou, espontaneamente e em local reservado, 25 gramas de maconha e 26 gramas de cocaína que trazia na calcinha.
 
São José dos Campos
No sábado, 15, no Centro de Detenção Provisória de São José dos Campos, a avó de um detento foi flagrada com um celular escondido em seu top. O objeto também foi identificado pelo bodyscanner, quando as agentes de segurança notaram um volume estranho no corpo da idosa, de 65 anos.
São Vicente
No domingo, dia 16 de setembro, na Penitenciária 2 de São Vicente, duas jovens foram barradas ao serem submetidas ao procedimento de revista por meio de escaneamento corporal. As imagens geradas pelo aparelho indicaram objetos estranhos na região pélvica das suspeitas. Uma das visitantes, de 23 anos, foi flagrada com um invólucro com 40 gramas de maconha e 96 gramas de cocaína introduzido na vagina. A segunda visitante, de 24 anos, carregava 30 gramas de maconha envoltos em fita adesiva dentro de seu órgão genital.
 
Praia Grande
No Centro de Detenção Provisória "ASP Charles Demitre Teixeira", o CDP de Praia Grande, uma mulher foi surpreendida quando as agentes de segurança penitenciária observaram que havia material ilícito em sua meia. Com as imagens do bodyscanner, foi possível encontrar dois comprimidos de estimulantes sexual e uma pequena porção de maconha que a visitante, de 45 anos, tentava inserir na unidade.. O fato ocorreu no domingo, dia 16.
Casa Branca
No sábado (15), a companheira de um preso foi detida na penitenciária “Joaquim de Sylos Cintra”, de Casa Branca, durante o procedimento de revista, com 194 gramas de maconha na vagina.
Quando a suspeita passou pelo body scanner as imagens produzidas pelo aparelho mostraram alterações e ao ser questionada, admitiu que havia introduzido droga no seu corpo com o objetivo de entregar ao companheiro. Em seguida ela foi encaminhada ao plantão policial, onde permanece à disposição da Justiça.
Sorocaba
No sábado (15), duas mulheres foram detidas no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Sorocaba, durante o procedimento de revista.
O primeiro flagrante ocorreu quando a companheira de um detento, de 24 anos, tentou entrar com maconha escondida em maços de cigarros. O cheiro do entorpecente chamou a atenção dos agentes, que ao verificarem minuciosamente os produtos, encontraram 123 gramas da droga. A mulher disse que havia recebido os maços de cigarros da dona de uma barraca que fica em frente à unidade prisional. Na segunda apreensão agentes encontraram na sacola de alimentos da avó de um detento, um cabo metálico com entrada USB. Questionada sobre o ocorrido, a mulher alegou que poderia ter sido um de seus netos que colocou o equipamento dentro da sacola sem que ela percebesse.
As duas visitantes foram encaminhadas para o plantão policial. No caso da primeira apreensão, a mulher permanece à disposição da justiça, já no segundo flagrante a suspeita foi ouvida e liberada.
  
Capela do Alto
No domingo (16), a mãe de um detento foi surpreendida durante o procedimento de revista, no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Capela do Alto, com três invólucros de maconha escondidos na manga da blusa. De acordo com informações da unidade prisional, a suspeita tirou a blusa e colocou dentro da sacola no momento em que esta seria entregue ao detento, logo após o momento de revista. Em seguida, os agentes fizeram uma nova revista nos pertences da suspeita e encontraram o entorpecente na roupa da visitante. A mulher foi encaminhada para o plantão policial, onde permanece à disposição da Justiça.
Ribeirão Preto
No sábado, 15, às 11h50 da manhã, uma mulher foi barrada de entrar na Penitenciária de Ribeirão Preto. O body scanner da penitenciária apontou a existência de um objeto não identificado na região pélvica da visitante. A mulher foi questionada e encaminhada pelas agentes de segurança até um local separado, e acabou retirando de forma voluntária um invólucro do ânus contendo maconha.
Bernardino de Campos
Três casos com visitantes carregando ilícitos foram registrados na Penitenciária de Bernardino de Campos.
Às 9h30, uma mulher foi flagrada tentando entrar na unidade prisional com aproximadamente 26 gramas de maconha escondidas no cós do top e da calcinha.
Outro caso parecido ocorreu às 10h10, quando a visitante foi flagrada com 0,5 gramas de maconha inseridas no top.Por volta das 10h50, outra mulher foi frustrada ao tentar ingressar no presídio com 0,3 gramas de maconha escondidas na blusa. O flagrante ocorreu no momento da revista.A descoberta dos ilícitos ocorreu devido a eficiência do aparelho de scanner corporal.
 
Reginópolis
Agentes de segurança da Penitenciária “Sargento PM Antônio Luiz de Souza”, a PII de Reginópolis, encontraram maconha e LSD nos pertences de uma mulher, visita de sentenciado. Ela foi surpreendida pelo body scanner da unidade prisional. A droga seria entregue ao seu marido.
 
Lavínia
Na Penitenciária II "Luis Aparecido Fernandes" de Lavínia, no sábado, 15, às 10h50, companheira de sentenciado foi surpreendida ao passar pelo procedimento de revista no scanner corporal, com a presença de um corpo estranho em seu órgão genital. Questionada, a visitante de livre e espontânea vontade retirou de seu órgão genital um invólucro contendo em seu interior um aparelho celular. No domingo, 16, às 11h15, quando outra companheira de outro sentenciado foi passar pelo procedimento de revista no aparelho scanner corporal, foi detectado a presença de um material estranho em seu órgão genital. Questionada, a visitante alegou que se tratava de seu absorvente, porém, ao ser solicitado que a mesma trocasse seu absorvente, foi verificado que nele continha duas folhas de material aparentemente droga K4.
 
Também no sábado, 15, foram quatro apreensões na Penitenciária III "ASP Paulo Guimarães" de Lavínia. Às 8h15, companheira de sentenciado foi surpreendida tentando ingressar no ambiente carcerário com uma porção de maconha. A apreensão ocorreu depois que a visitante passou pelo equipamento de detecção body scanner. O objeto estava acondicionado num invólucro confeccionado com papel carbono, fita de alta fusão, grafite em pó e papel filme, introduzido na genitália. Mais tarde, às 8h40, agentes constataram um objeto estranho na imagem do scanner na revista de companheira de outro reeducando da unidade.
Em sala reservada, ela confessou que portava um invólucro introduzindo em sua partes íntimas, em seguida retirando-o. Ele continha certa quantidade de maconha e cocaína, além de um comprovante de depósito bancário. A polícia militar fora acionada e a visitante, juntamente com as substâncias apreendidas fora encaminhada ao Plantão Policial para as providências cabíveis.
Por volta das 09h15 outra companheira de outro sentenciado também foi surpreendida tentando ingressar na penitenciária com um invólucro contendo um aparelho de telefonia celular. A apreensão também ocorreu depois que a visitante passou pelo equipamento de detecção body scanner e estava introduzido nas partes íntimas.
Às 10h40, companheira de sentenciado foi surpreendida com uma porção de maconha introduzida nos genitais. A apreensão ocorreu depois que a visitante passou pelo equipamento de detecção body scanner. O objeto estava acondicionado num invólucro introduzido nos genitais.
 
No domingo, 16, na Penitenciária I "Vereador Frederico Geometti" de Lavinia, ao passar pelo aparelho de body scanner, companheira de sentenciado, ficou constatado que havia algo estranho no corpo dela. Ao ser questionada pelas funcionárias que efetuavam a revista, a visitante confessou que portava algo consigo, sendo encaminhada a um local reservado, onde retirou da genitália um invólucro contendo um mini aparelho de telefonia celular.
 
Pacaembu
Agentes da Penitenciária de Pacaembu encontraram em dois rolos de barbante trazidos por visitante de sentenciado da unidade dois invólucros contendo cocaína. A apreensão se deu durante revista no sábado, 15. No domingo, 16, às 12h40, agentes encontraram imagem suspeita em companheira de preso durante inspeção no aparelho de scanner corporal da unidade. Questionada, ela retirou voluntariamente um invólucro contendo maconha pesando aproximadamente 74 gramas.
  
Presidente Bernardes
No sábado, 15, às 10h50, ao passar pela revista no aparelho de scanner corporal da Penitenciária "Silvio Yoshihiko Hinohara" de Presidente Bernardes, foi constatado que havia um corpo estranho nos genitais de companheira de sentenciado da unidade. Questionada, ela retirou espontaneamente um invólucro contendo um micro celular.
No domingo, 16, às 10h35, agentes constataram a presença de um corpo estranho na genitália de companheira de sentenciado da unidade. Questionada, a visitante, espontaneamente, retirou um invólucro contendo um micro celular.
 
Flórida Paulista
No sábado, 15, durante procedimentos de revista nos pertences dos visitantes, agentes encontraram dentro de um maço de papel de enrolar fumo 12 papéis cartão onde estavam escritos k4 e três papéis alaranjados, também contendo entorpecente sintético k4. Os ilícitos foram trazidos por companheira de reeducando da Penitenciária "AEVP Cristiano de Oliveira"de Flórida Paulista. No mesmo dia, outra visitante, filha de reeducando da Penitenciária de Flórida Paulista, foi flagrada durante procedimentos de revista com o uso de aparelho de scanner corporal com algo irregular nos genitais. Questionada, a visitante retirou o ilícito em sala reservada e entregou um invólucro, que após aberto, confirmou tratar-se de um micro aparelho de telefonia celular.
No domingo, 16, durante procedimentos de revista nos visitantes, após acionamento do aparelho detector de metais, foi encontrada uma placa de telefonia celular sem o chip que estava introduzido no ânus de companheira de sentenciado da unidade.
 
Riolândia
Agentes da Penitenciária "João Batista de Santana" de Riolândia encontraram dentro das folhas de seda para confecção de cigarros, 11 pedaços de papéis quadriculados aparentando ser droga sintética conhecida como K4.
Martinópolis
Na Penitenciária "Tacyan Menezes de Lucena" de Martinópolis, no domingo, às 11h15, companheira de sentenciado, ao passar pelo scanner corporal da unidade, foi surpreendida com um invólucro contendo cocaína.
Mirandópolis
No domingo, 16, na Penitenciária II "ASP Lindolfo Terçariol Filho" de Mirandópolis, às 12h20 houve a apreensão de uma camiseta durante revista mecânica com uma mensagem aos presos escrita no lado avesso, trazida por visitante, companheira de sentenciado da unidade.
 
Junqueirópolis
Na Penitenciária de Junqueirópolis, companheira de preso foi flagrada no domingo, 16, às 8h20, durante ao procedimento de revista, agentes encontraram imagens suspeitas de um objeto estranho nas partes íntimas de visitante, companheira de sentenciado da unidade, após realizar revista com o uso do aparelho de scannercorporal da unidade.
Como ela negou estar com algo ilícito, ela foi conduzida para fazer exame de raio X na Santa Casa local, onde foi ratificada a presença do objeto. Já com a presença da Polícia Civil, às 12h20 ela resolveu fazer a retirada do objeto e entregar à servidora que a acompanhava. Foi constatado que tratava-se de um invólucro que continha em seu interior maconha.
 

Veículos de comunicação noticiam ligação de servidor com PCC sem base probatória suficiente e que resultam na direta desqualificação da categoria.

Eu, Jenis de Andrade, trabalhei com o Senhor José Reinaldo, na época que era conhecido apenas como o "tenentinho", foi meu chefe de plantão na carceragem, no início da década de 90 (século passado).
Esse tem o meu respeito, é admirado por todos na unidade que trabalhamos no "fundão da cadeia" e conheço seu caráter e dignidade.
 veiculosnoticiam
Fonte da matéria abaixo:

Mais artigos...

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web