WhatsApp Image 2021 12 08 at 13.52.38

Megatraficante de MS foge da PF em helicóptero; autoridades suspeitam de vazamento

Megatraficante de drogas Antônio Joaquim Mota, também conhecido como Motinha ou Dom — Foto: Reprodução Segundo uma fonte ligada à investigação, dois dias antes da ação a informação sobre a operação vazou e chegou a Dom. Ele estava em uma propriedade rural que se estende pelos dois países, entre Ponta Porã, no Brasil, e Pedro Juan Caballero, no Paraguai.

Um dia antes da deflagração da operação, um helicóptero pousou no lado paraguaio da fazenda, e o traficante fugiu do local. O g1 obteve a informação de que autoridades brasileiras suspeitam de que o vazamento sobre a operação tenha partido do lado paraguaio da operação.

Megatraficante de drogas Antônio Joaquim Mota soube da operação da PF dois dias antes da ação, segundo apuração do g1 — Foto: Redes Sociais

No entanto, ao g1, representante da Polícia Nacional do Paraguai alegou apenas a Polícia Federal brasileira tinha acesso as informações sobre a operação. Além disso, afirmaram ainda que os proprietários da fazenda não estavam no local há meses.

Antônio Joaquim Mota é o atual líder do chamado "clã Mota", uma família que começou na criminalidade nos anos 1970, conforme a mesma fonte. Ele é a terceira geração de uma organização criminosa e que já atuou no contrabando de café, de cigarros, de eletrônicos e que agora, se especializou no tráfico internacional de drogas, com grande influência no Paraguai e na região de fronteira com o Brasil.

Antônio Joaquim Mota, inclusive, se autodenominou Dom, segundo a Polícia Federal, em referência a Dom Corleone, o chefe da família criminosa mais poderosa na trilogia “O Poderoso Chefão”.

Seguranças lutaram em guerras internacionais

O megatraficante recrutou para fazer sua segurança pessoal e também a das operações de tráfico de drogas, um grupo paramilitar, formado por brasileiros e estrangeiros (um romeno, um italiano e um grego), com cursos nacionais e internacionais na área de segurança privada e em operações militares. Alguns deles, inclusive, já teriam participado de conflitos internacionais, lutando na Guerra da Ucrânia, no conflito da Palestina e contra os piratas da Somália.

Arsenal apreendido pela Policia Federal na operação Dominus, nesta sexta-feira (1) — Foto: PF/Divulgação

A organização de Mota, segundo informações obtidas pelo g1, se especializou no tráfico de cocaína. A droga, vinda da Bolívia e da Colômbia, chega por via aérea ao Paraguai, na região de fronteira com o Brasil, e de lá segue de helicóptero para os estados de São Paulo e do Paraná, de onde é despachada para os portos de Santos (SP) e Itajaí (SC).

Até mesmo o local onde Motinha estava escondido já havia sido utilizado antes como abrigo para o Fantasma da Fronteira.

A operação

Na operação desta sexta-feira, que envolveu além da Polícia Federal e das autoridades paraguaias, o Ministério Público Federal brasileiro, foram expedidos pela Justiça Federal, 11 mandados de busca e apreensão e 12 mandados de prisão, em quatro estados: Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul.

Dos 12 mandados de prisão, 9 eram para brasileiros e seis foram cumpridos. Todos de integrantes da força paramilitar do grupo de Mota. Foram duas prisões em Minas Gerais, uma em São Paulo, uma no Rio Grande do Sul, e duas em Mato Grosso do Sul, uma em Ponta Porã e outra em Dourados. Entre os presos, um militar da reserva, em Belo Horizonte (MG) e um policial militar da ativa, em Mato Grosso do Sul.

Mota e outros cinco integrantes da força paramilitar, entre eles os três estrangeiros, conseguiram fugir. O megatraficante brasileiro está na lista de Difusão Vermelha da Interpol e agora os outros cinco também vão ser incluídos nesta relação dos mais procurados internacionalmente.

Além dos suspeitos presos, a PF apreendeu na operação que recebeu o nome de Magnus Dominus – “o todo poderoso” em latim, faz alusão ao líder do grupo criminoso, um verdadeiro arsenal, com cerca de 14 armas, entre elas 4 pistolas, 3 revólveres e 3 fuzis, além de 40 caixas de munição, seis granadas e colete balístico.

Leia a nota da Polícia Nacional Paraguaia na íntegra:

Na verdade, não houve nenhum incidente. Apoiamos a Polícia Federal nessa operação. O local que foi alvo da busca foi verificado previamente pelos investigadores da PF. Infelizmente, descobrimos que os proprietários não estavam lá há muito tempo e as informações fornecidas eram imprecisas ou desatualizadas, já que apenas a PF tinha acesso a essas informações. Portanto, se houve algum vazamento, foi por parte da PF.*

Fonte: https://g1.globo.com/ms/mato-grosso-do-sul/noticia/2023/07/02/megatraficante-do-ms-foge-da-pf-em-helicoptero-mas-segurancas-paramilitares-sao-presos-autoridades-suspeitam-de-vazamento.ghtml

Mato-grossense que instalou bomba em caminhão disse que foi ameaçado: "Eles iriam sumir comigo e me matar"

2 O mato-grossense Alan Diego dos Santos Rodrigues disse em depoimento para a CPI do 8 de Janeiro que foi ameaçado para transportar o artefato explosivo, que foi armado nos arredores do aeroporto de Brasília, em dezembro de 2022.

“Precisava colocar para manter minha família em segurança. Eu levei porque tinha que levar para eu não sofrer represália. Eu tenho medo. Não sei se minha família alguém já morreu, ninguém deixa eu falar com a minha família”, disse aos parlamentares.

Alan contou que no dia do ocorrido, chegou a ligar para a polícia, mas que suas ligações não foram atendidas. Segundo ele, quando voltou ao local, o caminhão onde a bomba foi armada já tinha ido embora.

Questionado pelo presidente do CPI, deputado Chico Vigilante (PT), sobre quem seria o autor das ameaças, Alan preferiu ficar em silêncio. Apesar disso, confirmou que seria um “elemento da extrema-direita”.

"Eu já estava sozinho aqui em Brasília. Se a pessoa mostrou pra mim o material e que ia fazer, como eu ia sair depois de ser ameaçado? Eu poderia não querer levar o artefato, eles iram ‘sumir' comigo e me matar", acrescentou.

Alan se entregou para a Polícia Civil de Mato Grosso no dia 17 de janeiro. Ele confessou ter participado de uma tentativa de ataque no dia 24 de dezembro do ano passado, em meio às manifestações contra a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Por conta disso, ele foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) a cinco anos e quatro meses de prisão.

Fonte: https://www.reportermt.com/policia/mato-grossense-que-instalou-bomba-em-caminhao-disse-que-foi-ameacado-eles-iriam-sumir-comigo-e-me-matar/192586

Tarado tenta estuprar idosa de 78 anos em MT

1 Uma senhora de 78 anos sofreu uma tentativa de estupro, após um bandido invadir a casa dela para roubar. O caso foi registrado no município de Nova Mutum (242 km de Cuiabá), neste sábado (24). A idosa precisou ser encaminhada até uma unidade hospitalar.

De acordo com o registro de ocorrência, era por volta das 05h da manhã quando a idosa começou a ouvir barulhos estranhos em casa. Ao verificar o que estava acontecendo, a vítima se deparou com o criminoso.

O agressor, que aparentava ter 40 anos, segundo relato da idosa, agarrou a vítima e passou a ameaçá-la, dizendo que ela deveria dar dinheiro a ele e os dois iriam para a cama manter relações sexuais.

Neste momento, a idosa revidou o criminoso, entrando em luta corporal. O agressor só deixou a vítima quando ela disse que o neto estava em casa. O bandido fugiu e, até o momento, não foi localizado.

A idosa precisou ser encaminhada pelo Corpo de Bombeiros até o Hospital Regional Hilda Strenger Ribeiro. Ela teve lesões nos braços, pernas e no rosto.

O caso será investigado pela Polícia Civil.

Fonte: https://www.reportermt.com/policia/tarado-tenta-estuprar-idosa-de-78-anos-em-mt/192379

Sete viram réus por cavar túnel para fuga de presidiários na PCE

1 O juiz da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Jean Garcia de Freitas Bezerra, tornou rés sete pessoas pela suspeita de planejar e financiar a escavação de um túnel na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá, para favorecer a fuga de criminosos do Comando Vermelho. A decisão foi publicada nesta terça-feira (20) no Diário da Justiça.

Responderão por organização criminosa Jéssica Pereira de Jesus, Anderson Ramos da Cruz, Cleiton dos Santos Gonçalves, Luíza Vieira da Costa, Conrado Rego Ribeiro, Felipe Michael Passos Correlo e Oziel Jorge do Nascimento, vulgo "Negão".

As investigações do GCCO (Gerência de Combate ao Crime Organizado) começaram após a localização de um túnel de 30 metros, em uma casa no bairro Pascoal Ramos, em Cuiabá, no dia 13 de setembro do ano passado. Na época, 12 pessoas foram presas, entre elas menores de idade e uma mulher. Em continuidade às investigações, a Polícia Civil identificou outras oito pessoas envolvidas no planejamento e execução do plano de fuga frustrado.

De acordo com o delegado Frederico Murta, responsável pelo inquérito, nesta segunda fase foram presos integrantes da organização responsáveis por toda a logística do plano de escavação do túnel, desde o recrutamento dos trabalhadores (presos anteriormente) à execução da obra.

O grupo tinha objetivo de cavar um túnel com 200 metros de extensão, para que conseguissem acessar a PCE, onde estão presos de alta periculosidade. A casa estava localizada próxima à PCE. Lá, estavam armazenados dezenas de sacos de areia e outros materiais retirados do túnel que já tinha aproximadamente 30 metros escavados, conforme os próprios envolvidos informaram. Foram apreendidos materiais usados na escavação, como pás, picaretas, entre outras ferramentas, além de cestas básicas, reservatórios de água.

Fonte: https://www.reportermt.com/geral/sete-viram-reus-por-cavar-tunel-para-fuga-de-presidiarios-na-pce/192160

Mais de 300 pessoas foram assassinadas em MT nos primeiros quatro meses de 2023

1 Dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) mostram que Mato Grosso registrou, de janeiro até abril de 2023, 301 homicídios em todo o estado. A média é de 2,5 mortos por dia.

De acordo com o levantamento, em todo o ano de 2022 no estado, foram 923 homicídios dolosos (quando há intenção de matar). Os dados mostraram ainda que MT teve um aumento nas mortes. Em 2021, o número vinha em queda, com 749 homicídios registrados.

A cidade que mais registrou homicídios durante 2022 foi Sinop. O município no norte do estado teve 126 homicídios dolosos no ano. Em seguida, vêm Juína e Nova Mutum, ambos com 93, Rondonópolis, com 88, Tangará da Serra, com 79 e Cáceres com 71 homicídios.

Cuiabá e Várzea Grande, ambos tiveram 67 homicídios durante o ano passado. O número é maior do que o registrado em 2021, quando as cidades tiveram 55 e 52, respectivamente.

A Sesp também divulgou o número de latrocínios (roubo seguido de morte) em Mato Grosso. Nos primeiros quatro meses de 2023, três crimes dessa natureza foram registrados. Durante todo o ano passado, foram 29.

Fonte: https://www.reportermt.com/policia/mais-de-300-pessoas-foram-assassinadas-em-mt-nos-primeiros-quatro-meses-de-2023/191639

Mais artigos...

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                  Saiba os benefícios de usar o LinkedIn para a sua vida profissional - IFS -  Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe 

blogimpakto  acervo       jornalismoinvestigativo      Capa do livro: Prova e o Ônus da Prova - No Direito Processual Constitucional Civil, no Direito do Consumidor, na Responsabilidade Médica, no Direito Empresarial e Direitos Reflexos, com apoio da Análise Econômica do Direito (AED) - 3ª Edição - Revista, Atualizada e Ampliada, João Carlos Adalberto Zolandeck   observadh

procurados

Desenvolvido por: ClauBarros Web