JORNALISTAMINI

Cartaxo nega que há "preso de confiança": "Se fosse de confiança, não era preso"

 

Diretor do Depen afirma que a rebelião ocorreu por uma "falha procedimental"    

oc1411Uma nova rebelião de presos na PEC (Penitenciária Estadual de Cascavel) parecia ser apenas uma questão de tempo. Entretanto, ameaças de presos não são uma exclusividade do presídio cascavelense.

Conforme o diretor geral do Depen (Departamento de Execução do Paraná), Luiz Alberto Cartaxo, o órgão recebe ameaças de motim em unidades prisionais do estado de forma frequente.

No entanto, Cartaxo afirma que a rebelião ocorreu por uma "falha procedimental", e não porque a direção a unidade teria desconsiderado as ameaças.

O diretor afirmou ainda que o Depen irá apurar se a falha foi de responsabilidade do primeiro agente a ser feito refém pelos detentos ou da direção da PEC.

Informações extraoficiais é de que a rebelião teria iniciado depois que um "preso de confiança" rendeu um dos agentes.

Questionado sobre a presença de "presos de confiança" na unidade, Cartaxo negou tal fato. "Se fosse de confiança, não era preso", afirmou o diretor.

Segundo ele, o que existe são alguns presos que são escalados para realização de tarefas na unidade.       

Fonte: catve

 

Comentar

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web