jornalista1

Parte da área de segurança em Londrina sofre devassa do Gaeco

 ‘Operação Imperium’ atinge delegado, investigadores da Polícia Civil e empresários acusados de corrupção, lavagem de ativos e exploração de jogos ilegais. Na Guarda Municipal, ação do MPPR acusa 11 guardas de tortura, abuso de poder e falsidade ideológica.

Algo de muito podre está ocorrendo em Londrina, é o que se conclui de dois noticiários enviados pelo MPPR – dia 15, e hoje, 16. Os dois relatos, se por um lado mostram a eficiência e a vigilância do Ministério Público do Paraná, MPPR, (por meio do GAECO), por outro expõem a constância com que organismos policiais atuando na segunda mais importante cidade paranaense, estão corrompidos e praticam toda sorte de violência e ilegalidades.

No dia 15, quarta-feira, o GAECO deu conta que havia denunciado 11 (onze) guardas civis de Londrina por toda sorte de barbaridades: desde corrupção, torturas, abuso de poder, falsidade ideológica. Hoje, 16, o mesmo MPPR volta a mostrar que organismos de segurança, pagos pela sociedade para garantir-lhe ajuda, praticam crimes. Em Londrina.

Naquela cidade, o MPPR executou hoje , 16, 17 mandados de busca e apreensões e 3 de imposição de medidas cautelares no âmbito da’ ‘Operação Imperium’, que investiga lavagem de ativos e exploração de jogos ilegais, mediante corrupção ativa e passiva. Nesse caso, os alvos são um delegados de polícia (PC), 10 investigadores da Polícia Civil e seis empresários. Veja texto completo no site: www.mppr.mp.br

Clique aqui e ouça o áudio do promotor de Justiça Leandro Antunes Machado, do Gaeco
de Londrina, sobre o trabalho realizado hoje,16.

Fonte: http://www.aroldomura.com.br/

Mulher é morta a tiro dentro de casa em Jesuítas; suspeito do crime foi preso

1 Uma câmera de segurança registrou o momento em que os dois discutem e, depois, ele dispara contra ela. Caso ocorreu no oeste do Paraná.

Uma mulher foi morta a tiro no bairro São Francisco, em Jesuítas, no oeste do Paraná. O crime, que ocorreu na noite de sexta-feira (10), foi registrado por uma câmera de segurança. Assista ao vídeo acima.

De acordo com a Polícia Militar (PM), o suspeito de ter matado a vítima foi até a Delegacia de Polícia Militar (DPM) da cidade e relatou ter atirado contra uma mulher dentro da casa dele, mas que ela ainda estava respirando.

A equipe foi até o local e encontrou a vítima caída no chão, com uma marca de tiro ao lado esquerdo do peito, segundo a PM. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas ela já estava morta.

Mulher é morta a tiro dentro de casa em Jesuítas — Foto: Divulgação/PM

Mulher é morta a tiro dentro de casa em Jesuítas — Foto: Divulgação/PM

A PM informou que, em conversa com o suspeito, ele disse que havia aproximadamente uma semana que ele tinha encontrado a mulher na beira de uma estrada. Ele contou que deu carona e a levou para a casa dele.

Conforme a polícia, ele disse ainda que na noite do ocorrido, houve uma discussão entre eles e, em determinado momento, ela pegou uma faca e foi em direção a ele. Ainda de acordo com a PM, o suspeito afirmou que, depois disso, ele pegou uma arma e atirou contra ela.

"Foi constatado que o autor dos fatos possuía registro da arma de fogo. O mesmo era agente temporário do sistema prisional de Quedas do Iguaçu. Sobre a vítima, ele só falou o primeiro nome e que tinha 27 anos. A vítima ainda não foi identificada", afirmou o soldado Marcelo Grando.

O homem suspeito do crime está preso, segundo a PM.

De acordo com a Polícia Civil, inicialmente, o caso é tratado como homicídio simples. A delegacia aguarda decisão da Justiça para saber se a morte será tratada como feminicídio.

O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) informou que a corregedoria acompanha o caso.

Fonte: https://g1.globo.com

Vídeo mostra momento em que patroa espanca babá que pulou do 3º andar

babá patroa Espancamento teve início quando a babá segurava bebê da patroa no colo. Imagens foram registradas por câmera de segurança dentro do apartamento e mostram o tamanho da violência sofrida pela vítima

Um vídeo (assista abaixo) divulgado nesta quinta-feira (2) mostra o momento em que a patroa Melina Esteves França agride a ex-babá de seus filhos, Raiana Ribeiro. As imagens foram gravadas por uma câmera de segurança dentro do apartamento no mesmo dia em que a trabalhadora pulou do 3º andar para fugir da agressora.

Nas imagens, Raiana aparece sentada no sofá da sala de estar enquanto Melina, em pé, desfere socos e tapas na funcionária, que pede desculpas à mulher. A patroa não deixa claro o motivo da agressão, repetindo apenas que “uma criança é um anjo” e afirmando que a babá “é horrorosa”.

“Eu vou lhe derrubar. (…) Reze mesmo, reze mesmo. Veio na minha casa pra quê? Veio na casa dos outros pra quê? Responda. Vagabunda”, fala a investigada em outro trecho do vídeo, já sentada no sofá, mas sem cessar os golpes, direcionados principalmente à cabeça da babá. Em um momento do vídeo, a investigada fala para a babá: “Você só sai daqui em um caixão”.

Segundo o delegado Tiago Pinto, responsável pelas investigações, as imagens foram encaminhadas para pericia. O inquérito tem 30 dias para ser concluído e mais informações não podem ser passadas, porque o caso está sob sigilo. Na quarta (1), o advogado de empresária anunciou que deixou o caso.

ENTENDA O CASO: Babá presa em banheiro pula do 3º andar para escapar da patroa

Após a denúncia feita por Raiana, outras 12 babás que prestaram serviços na casa de Melina também abriram boletins de ocorrência contra a antiga contratante, por agressões e ameaças nos mesmos moldes da alegação da última funcionária.

Fonte: https://www.pragmatismopolitico.com.br

“Bando de pau no c*, não podem mexer com militar”, diz sargento do Exército ao ser preso

Hasteamento da bandeira _ dia de aniversario do golpe militar - Militar do exercito De acordo com o boletim registrado, policiais militares foram acionados para atender a ocorrência de aglomeração de pessoas

Dois sargentos do Exército Brasileiro, que não tiveram seus nomes divulgados, foram presos na noite de quinta-feira (2/9), após agredirem policiais militares durante abordagem no bairro Coophalis, em Rondonópolis (a 218 km de Cuiabá).

De acordo com o boletim de ocorrência, os agentes foram acionados para atender a chamado em um local onde estaria ocorrendo aglomeração de pessoas, o que vai contra as regras de segurança locais adotadas como prevenção à Covid-19.

Segundo informações do portal RD News, inicialmente, o sargento começou a desacatar os PMs, dizendo: “Você não pode dar ordem a um militar do Exército”. Depois disso, o sargento recebeu voz de prisão.

Ao ser colocado na viatura, o homem começou a dar chutes nos policiais e tentou fugir, mas foi algemado. Durante a cena, outro soldado do Exército se aproximou e começou a xingar os militares. “Bando de pau no c*, não podem mexer com militar do Exército Brasileiro”, disse. Ele também foi preso.

Os dois, então, foram encaminhados à delegacia da Polícia Civil para prestar depoimento.

Fonte: https://www.metropoles.com

Policial da reserva é preso suspeito de cometer crimes contra alunos de colégio cívico-militar, no Paraná

1

 Segundo a Polícia Militar, mandados de prisão e de apreensão foram cumpridos na casa do suspeito, em Francisco Beltrão. Detalhes não foram divulgados por envolver menores.

Um policial militar da reserva foi preso suspeito de cometer crimes contra alunos de um colégio estadual cívico-militar, em Francisco Beltrão, no sudoeste do Paraná, segundo a Polícia Militar (PM).

A PM informou que cumpriu mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão na casa do suspeito, na sexta-feira (27).

Durante a busca, foram apreendidos celulares, notebook, um colete balístico e 265 munições de vários calibres.

Conforme a PM, o policial da reserva remunerada é investigado por crimes contra estudantes do colégio onde trabalhava.

A Polícia Militar não divulgou qual o colégio, a função do policial e por quais crimes ele é investigado.

Conforme o comando da PM, detalhes não podem ser repassados porque os crimes envolvem adolescentes e, por isso, o caso segue em segredo de Justiça.

Além disso, informou que o sigilo é importante para não atrapalhar a investigação.

A Secretaria da Educação e do Esporte do Paraná (SEED) informou que o militar envolvido no caso foi afastado das funções em 23 de agosto de 2021.

O caso está sendo investigado pela Justiça Militar.

Fonte: https://g1.globo.com

Mais artigos...

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                  Saiba os benefícios de usar o LinkedIn para a sua vida profissional - IFS -  Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe 

blogimpakto  acervo    csp   jornalismoinvestigativo   fundobrasil   Monitor da Violência – NEV USP   Capa do livro: Prova e o Ônus da Prova - No Direito Processual Constitucional Civil, no Direito do Consumidor, na Responsabilidade Médica, no Direito Empresarial e Direitos Reflexos, com apoio da Análise Econômica do Direito (AED) - 3ª Edição - Revista, Atualizada e Ampliada, João Carlos Adalberto Zolandeck

procurados

Desenvolvido por: ClauBarros Web