JORNALISTAMINI

Denarc prende dez traficantes e desarticula quadrilha no Litoral

d3010O tráfico de drogas no litoral do Paraná sofreu um forte golpe nesta sexta-feira (27). Integrantes da principal quadrilha responsável por abastecer a região foram alvos de uma operação coordenada pela Divisão de Narcóticos (Denarc), da Polícia Civil. Dez pessoas foram presas, além de drogas, armas, munição, cerca de R$ 5 mil em dinheiro e balanças de precisão foram apreendidos. Três pessoas estão foragidas.

Ao longo das investigações, outras nove pessoas haviam sido presas – totalizando 19 criminosos – e cerca de 100 quilos de drogas entre maconha, cocaína e crack saíram de circulação.

Sessenta policiais participaram da ação para cumprir 52 mandados judiciais – sendo 22 de prisão, 24 de busca e apreensão e outros seis de sequestro de veículos utilizados pela organização criminosa. Os alvos estavam em Curitiba, Paranaguá, Matinhos, Pontal do Paraná e na cidade de Pato Bragado, região Oeste do Paraná.

“Mais uma vez a Denarc age com extremo profissionalismo, aplicando os princípios de ação controlada, identificaram as lideranças, descobriram as rotas, efetuaram flagrantes, identificaram o patrimônio da quadrilha, ou seja, uma operação completa que de fato vai interromper a ação”, avaliou o secretário estadual da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita.

“Em relação a essas facções que atuam no Brasil inteiro e no Paraná também, é importante manter ações como essa. Além do acompanhamento das comunicações e das ações da facção, é importante identificar e interromper a atividade do tráfico. Só assim vamos acabar com o financiamento das atividades das facções. E foi exatamente esse o objetivo da ação deflagrada hoje”, acrescentou o secretário.

Três dos mandados foram cumpridos dentro do sistema penitenciário. Um dos alvos foi apontado pela Denarc como chefe da quadrilha. Preso na Penitenciária Estadual de Piraquara, ele já foi condenado pelos crimes de roubo, latrocínio, porte de armas e tráfico de drogas. Ele teria função de liderança dentro de uma organização criminosa que atua dentro e fora dos presídios.

Toda a negociação para a compra da droga e o comando e coordenação dos pontos de venda no Litoral passava por ele. Na mesma cela de dele, estava um sócio, que foi condenado pelos crimes de
falsificação de documento público, homicídio e tráfico de drogas.

“De dentro da penitenciária toda a logística era organizada. Essa droga vinha de Foz, comprada de outro preso, chegava a Curitiba e era transportada por outro integrante que a levava para ser distribuída no Litoral. Era uma quadrilha muito ativa. O líder se intitulava o rei de Pontal do Paraná, em relação ao comércio de drogas”, explicou a delegada Camila Cecconello.

O Rei de Pontal era detido na Penitenciária de Foz do Iguaçu e com condenações pelos crimes de homicídio e tráfico de drogas, que enviava drogas para diversos traficantes dos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

No Litoral, o encarregado de atender as ordens do chefe da quadrilha e coordenar o tráfico de drogas tem passagem pela polícia por tráfico de drogas, e tinha como função dentro da quadrilha articular toda rede criminosa de distribuição de entorpecentes no Litoral.

Ele recebia quinzenalmente a droga enviada de Curitiba para o Litoral. As pessoas responsáveis por este transporte também roram alvos de mandados de prisão.

Participaram da operação policiais civis da Denarc de Curitiba, de Ponta Grossa e de Cascavel, do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e da Delegacia de Paranaguá.

Fonte: aen

Comentar

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web