juarezjornalista

Polícia Federal apura uso de navios em Santos por traficantes

Segundo a PF, "piratas" estariam interessados em "plantar" a 1,3 tonelada de cocaína que foi encontrada em contêineres 

vd1508A Polícia Federal investiga um grupo responsável por manipular toneladas de cocaína no Porto de Santos. Um agente da PF explicou que o grupo armado que supostamente invadiu o navio cargueiro Grande Francia, na madrugada deste domingo (12), a 15 km ao largo do Porto de Santos, é tratado pela corporação como uma quadrilha de traficantes de drogas. 

Diferentemente dos "piratas", que atacam e invadem os navios para roubar ou sequestrar a embarcação, os quatro homens que subiram a bordo, conforme o relato da tripulação, estariam interessados em "plantar" os 1.322 mil quilos de cocaína que foram encontrados em dois contêineres, divididos em 41 bolsas pretas. Até mesmo essa versão - de que a droga foi içada para o convés do navio e colocada nos contêineres - ainda é objeto de investigação. Outra possibilidade é que os homens estivessem ali para recolher o produto.

Conforme o policial federal, a ação se assemelha à do dia 7, quando os traficantes, ajudados por pessoas que estavam a bordo, içaram para o convés do navio Grimaldi Grande Nigéria, também de bandeira italiana, 1,2 tonelada de cocaína. Nesse caso, o navio estava atracado em um terminal de Valongo, no cais de Santos. Os dois navios pertencem à armadora Grimaldi, multinacional de logística marítima com sede em Nápoles, na Itália. De acordo com a agente, os dois casos ainda estão em investigação, por isso as informações são restritas. 

Inicialmente, a tripulação do Grande Francia disse que aguardava liberação para atracar, quando os homens a bordo foram notados. A invasão teria sido notada às 2 horas, quando se acionou o chamado alerta de pânico - no qual os tripulantes devem trancar-se nos locais onde estavam e esperar por auxílio externo. No mesmo momento, houve solicitação de ajuda a embarcações próximas e à polícia.

Como o mar estava agitado, os agentes só conseguiram ir a bordo horas depois. Foi quando o comandante relatou o caso e disse ter encontrado dois contêineres revirados. Após o navio atracar, porém, nada irregular foi encontrado por Polícia Federal ou Receita Federal nos depósitos abertos. Em outros dois contêineres, porém, foi achada a carga de cocaína. Essa droga, segundo a Receita, já teria até destino: Antuérpia. 

Fonte: atribuna

Comentar

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web