JORNALISTAMINI

Presos gravam agente corrupto e ‘esclarecem’ fuga

delegacia1Agente prisional foi gravado quando pedia suborno aos presos - ele é suspeito de facilitar a fuga de 8 presos da carceragem da cidade de Castro

A fuga de oito presos da carceragem de Castro, cidade na região dos Campos Gerais, foi esclarecida pela Polícia Civil com a ajuda dos próprios detentos. Os presos apontaram a participação de um agente penitenciário na facilitação da entrada de objetos e, consequentemente, na fuga dos detentos. O delegado Emmanoel David, responsável pela unidade prisional, deteve o agente na manhã de hoje (10).

O delegado descobriu o esquema de corrupção dentro da carceragem através dos próprios detentos. “Logo após a fuga passamos a conversar com os presos para saber qual era a situação e como a fuga tinha acontecido. Eles logo apontaram a participação do agente no esquema de corrupção e na facilitação na entrada de objetos”, explicou o delegado.

O agente não teve o nome divulgado pelas autoridades – a Polícia Civil teme que a família do suspeito seja ameaçada. O rapaz foi preso e deve ser transferido para Curitiba já que os próprios presos da Carceragem de Castro fizeram ameaças de morte contra ele.

O suspeito de corrupção responderá pelos crimes de falsificação de documento público, corrupção passiva, facilitação de fuga e ingresso de celular em estabelecimento prisional.Ele não era concursado e foi contratado através do Processo Seletivo Simplificado (PSS).

Fugitivos são responsáveis por onda de assaltos na região

Três dos oito fugitivos da cadeia de Castro são os responsáveis por uma onda de assaltos na região dos Campos Gerais – dois deles morreram em confronto com a PM em Ponta Grossa. Segundo informações da Polícia Militar,  Diego Rafael dos Santos, conhecido como Dentinho, Edilson da Rosa e Rodrigo Sato Guimarães  teriam roubado três carros em menos de 24 horas.

O primeiro veículo tomado de assalto pelo trio foi um carro roubado na região central de Reserva, cidade na região dos Campos Gerais, por volta das 10h dessa terça-feira (07). Na noite do mesmo dia, o grupo teria roubado outro carro em Telêmaco Borba – eles acabaram capotando o veículo na BR-376. O último carro roubado foi tomado de assalto em Ponta Grossa e deu início a perseguição que acabou com dois mortos e outra pessoa presa.

Celular de ‘luxo’ apontou esquema de corrupção

Diante da informação dos presos sobre a corrupção ativa, Emmanoel passou a procurar circunstâncias e provas da participação do agente no esquema. A primeira pista foi dada pela apreensão de um celular de ‘luxo’ em uma operação conhecida como “bate grade” realizada no interior da cadeia. “Nós apreendemos um celular modelo note, de grande porte e estimado em R$ 3 mil, dentro da cela. Estranhamos a maneira como o aparelho havia entrado na carceragem, tanto pelo tamanho como pelo valor e funcionalidades do aparelho”, disse o delegado.

Áudio comprova negociação de agente

Os presos argumentaram que haviam gravado uma conversa com o agente que comprovaria a participação do profissional na facilitação na entrada de objetos e na fuga. “No próprio celular de luxo que apreendemos, encontramos, escondidos entre os arquivos, um áudio que mostra uma conversa entre o agente e os preços. Assim conseguimos provar a participação dele”, contou Emmanoel.

Presos pediam pizza dentro da cadeia

A negociação entre os detentos e o agente mostra ‘intimidade’. Os presos chegam a negociar a entrada de uma pizza e de bebidas alcoólicas na carceragem. O portal aRede teve acesso ao áudio da conversa.

Presos: “Nós tínhamos pedido a bebida e a pizza. A pizza é meio difícil né? A gente tinha pensado em deixar num pote. Será que fica difícil?.”

Agente: “Mas como vai entrar? É meio difícil por causa do volume, né? A água [cerveja] eu posso disfarçar, mas a pizza é meio difícil”

Agente pede para que culpem outro profissional

A conversa entre os presos e o agente também mostra a preocupação do suspeito de ser pego no esquema. Durante o diálogo, por várias vezes o agente se mostra desconfiado e pede cautela dos presos, ao mesmo tempo que negocia o valor e a forma de pagamento pelos “serviços”.

Receoso de que o esquema seja descoberto, o agente já aponta para uma solução. “Mas aí se pegarem, digam que foi ‘pescado’ ou entrou de outro jeito. Qualquer coisa coloquem na conta de outro agente aí”, diz o agente aos presos. O próprio profissional fala para os presos fazerem um buraco na tela para ‘disfarçar’ a entrada de objetos.

Fonte: http://arede.info

Militares vão à Justiça e alegam cárcere privado no 3º RCC de PG

carcere

Oito militares tinham licenças médicas para realizar tratamento domiciliar, mas sub-comandante teria dado ordens verbais para que eles não saíssem do local

SINDARSPEN custeia papel para emissão das funcionais do porte de armas

Governo quer restringir porte de armas apenas para o território Estadual, mas Sindicato defende a validade em âmbito nacional

porte de armasO SINDARSPEN realizou nos últimos meses várias diligências para pôr fim ao impasse do porte de armas. A entidade que representa os Agentes Penitenciários procurou diversas vezes as autoridades competentes para averiguar os motivos que estavam dificultando a emissão da funcional que autoriza o porte de armas a estes servidores fora de serviço.

Entre idas e vindas, a diretoria do Sindicato identificou uma questão burocrática que estava inviabilizando o porte. Apesar da compra do material necessário para a confecção das cédulas já sob responsabilidade da SESP, a empresa que forneceria parte dos produtos só aceitou realizar a entrega mediante pagamento, pois havia restrição de vendas ao Estado. Sabendo disso, imediatamente o SINDARSPEN comprou o material para agilizar o trâmite, arcando com os valores e entregou para o DEPEN.

O modelo apresentado pelo Instituto de Identificação imita a cédula da Polícia Civil, porém consta em seu texto a restrição do porte ao Estado do Paraná. Os diretores do SINDARSPEN pleitearam junto ao DEPEN a supressão da restrição, mas o Diretor Geral, Luiz Alberto Cartaxo de Moura, manteve-se irredutível, entendendo estar amparado na Lei 10.826/03, que traz um rol taxativo dos profissionais que tem direito ao porte em todo o território nacional, que são: - os integrantes das Forças Armadas; - os integrantes de órgãos referidos nos incisos do caput do art. 144 da Constituição Federal; - os agentes operacionais da Agência Brasileira de Inteligência e os agentes do Departamento de Segurança do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República; e - os integrantes dos órgãos policiais referidos no art. 51, IV, e no art. 52, XIII, da Constituição Federal.

A assessoria jurídica já está analisando a possibilidade de suprimir a restrição estadual do texto, porém, os Agentes não podem esperar ainda mais para ter o direito ao porte de arma. Assim sendo, o SINDARSPEN, está cobrando agilidade do DEPEN para enviar as informações necessárias para a emissão das cédulas de identidade funcional ainda esta semana (relação de Agentes Penitenciários do Estado e autorização de utilização da assinatura do Diretor Geral do DEPEN), para que o Instituto de Identificação do Paraná dê início às impressões.

O SINDARSPEN também pleiteia que a distribuição das cédulas seja realizada pelo Sindicato, para que cheguem ainda mais rápido à mão dos Agentes Penitenciários. 

Presos da PEL II comemoraram morte de agente, diz delegado

agente pel2Todos os indícios levam a crer que o assassinato de Kevin de Souza, 21 anos, foi encomendado. A afirmação é do delegado chefe da Polícia Civil de Cambé, Jorge Barbosa. "Assim que a morte do agente foi confirmada, houve uma grande movimentação na unidade 2 da Penitenciária Estadual de Londrina (PEL), onde a vítima trabalhava", revelou, em entrevista à CBN Londrina. Os presos começaram a gritar e comemorar a execução, conforme o delegado. 

O crime aconteceu no Jardim Silvino, em Cambé, por volta das 18h30 de ontem. Quando chegava em casa, Kevin foi surpreendido pelo atirador. Cerca de quatro horas depois, policiais militares da 4ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) localizaram o suspeito Guilherme Bertha Alves Miranda no Conjunto Aquiles Stenghel, na zona norte

"A princípio, ele negou a autoria mas, no decorrer dos questionamentos, acabou confessando e indicou o local onde havia drogas e armas escondidas. Depois da presença do advogado, ele se reservou no direito de permanecer calado e afirmou que falará apenas em juízo", disse.

Testemunhas e familiares de Kevin prestaram depoimento durante a madrugada. Em estado de choque, a namorada dele reconheceu o atirador e desmaiou em seguida. "Dois primos e o pai da vítima também reconheceram o suspeito", acrescentou o delegado.

Miranda também teria visitado a casa do agente na semana passada e perguntado sobre uma casa para alugar nas redondezas. Esse é outro indício que pesa contra o suspeito. "Isso mostra que ele já tinha a intenção de praticar o crime. Nesse dia, Kevin percebeu a movimentação estranha e não saiu de casa. Depois, ligou para um amigo que também é agente e contou sobre a visita de um estranho à sua casa". 

A Polícia Civil trabalha para coletar o máximo de provas possíveis. O mandante do cripesada e agiu sob o comando de alguém. Hoje, com os celulares, fica difícil fazer o controle da comunicação dentro dos presídios. Ele vai segurar a identidade do mandante até o fim porque, se falar, morrerá", finalizou. (Com informações da CBN Londrina).me pode ser algum detento da própria penitenciária, ainda segundo Barbosa. "Sabemos que Miranda é traficante da pesada e agiu sob o comando de alguém. Hoje, com os celulares, fica difícil fazer o controle da comunicação dentro dos presídios. Ele vai segurar a identidade do mandante até o fim porque, se falar, morrerá", finalizou. (Com informações da CBN Londrina).

Fonte: http://www.folhaweb.com.br

Assembleia exige explicações sobre 'máfia das tornozeleiras'

Assembleia exige explicações sobre ‘máfia das tornozeleiras’

A Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais aprovou nesta terça-feira (9) requerimento convocando o diretor-geral da Unidade Gestora de Monitoramento Eletrônica (UGME), Wadson Timo Abreu, e o diretor-adjunto do mesmo órgão, Santi Clair Sanches, para prestar esclarecimentos sobre a “Máfia das Tornozeleiras”.
Conforme denúncia noticiada na semana passada com exclusividade pelo Hoje em Dia, servidores do órgão e da empresa que fornece os equipamentos, Spacecom, estariam envolvidos num esquema de extravio de lacres de tornozeleiras eletrônicas para venda no “mercado negro”. De posse desses lacres, os detentos poderiam burlar o sistema.
A audiência para ouvir os dirigentes foi marcada para o dia 25 deste mês, às 14h30. O requerimento foi apresentado pelo deputado Cabo Júlio (PMDB). Segundo o parlamentar, representantes da Spacecom não foram listados porque a Assembleia não tem poder para convocar empresa privada.
O subsecretário de Administração Prisional, Antônio de Padova Marchi Júnior, também foi chamado a participar da audiência, mas como convidado. A UGME é vinculada à Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), que, por sua vez, é subordinada à Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).
De acordo com o deputado, os dirigentes devem esclarecer o “sumiço” de cerca de 450 lacres apenas no mês de maio. “A gente espera descobrir por que não foi feito inquérito policial, já que o fato é grave. Ou seja, houve conivência de quem e por quê?”. O parlamentar espera que o sistema seja remodelado.
Dinheiro sujo
Conforme relato de um servidor da segurança pública a que o Hoje em Dia teve acesso, cada lacre extra custaria de R$ 500 a R$ 5 mil, dependendo do poder aquisitivo do “cliente”.
Nesta terça-feira (9), a assessoria de imprensa da Seds informou que o secretário Bernardo Santana não recebeu nenhuma denúncia sobre o tema. A primeira reportagem sobre o esquema foi publicada há cinco dias, na quinta-feira.
O presidente da Spacecom, Savio Bloomfield, afirmou que os lacres são entregues à Seds e ficam de posse do órgão. “O funcionário da empresa é apenas suporte técnico e ele fica na central de monitoramento sem nenhum contato com o preso”, reforçou.
Segundo ele, não é possível burlar o sistema apenas violando o lacre mecânico. “Para retirar o equipamento, é necessário quebrar o lacre e assim remover a cinta de fixação. Quando se retira a cinta, a tornozeleira, através da fibra óptica, detecta e registra o evento no sistema auto

Polícia prende suspeitos de envolvimento em morte de agente penitenciário Wesley Fabrício Ribeiro, de 25 anos, foi assassinado a tiros, em 20 de abril, quando seguia para o trabalho no presídio regional

Posted: 10 Jun 2015 05:58 PM PDT

 
 
A Polícia Civil prendeu, na manhã desta quarta-feira, dois suspeitos de envolvimento na morte do agente penitenciário Wesley Fabrício Ribeiro, de 25 anos, assassinado a tiros quando seguia para o trabalho em Montes Claros, no Norte de Minas Gerais. O crime foi no dia 20 de abril. Wesley era servidor da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) há apenas cinco meses e foi morto a caminho do presídio regional. 
 
De acordo com a Delegacia de Homicídios de Montes Claros, os suspeitos foram presos em Araxá, no Alto Paranaíba. Além deles, foram presos outros três homens envolvidos em outros homicídios. A polícia montou uma operação, denominada Cavalo de Tróia, para buscar esses suspeitos na manhã de hoje.
Os nomes dos suspeitos de matar o agente penitenciário não foram divulgados porque o caso segue em segredo de Justiça. A Vara do Tribunal do Júri de Montes Claros decretou a prisão temporária de 30 dias para os dois. 
 
A polícia apurou que os envolvidos na morte de Wesley estavam articulados para atrapalhar as apurações e se eximir da responsabilidade penal sobre os fatos. Há indícios de participação de outras pessoas no caso, mas que ainda não tiveram prisão decretada.
 
O CRIME O assassinato ocorreu por volta das 6h. Os suspeitos armados atacaram Wesley bem próximo ao presídio e fugiram em uma motocicleta. Na época, o delegado Bruno Rezende Silveira, responsável pelo caso, levantou a possibilidade de a ordem para o crime ter partido de dentro da unidade prisional.
 
FONTE: EM.COM.BR

Maestro José Henrique Martins (ZECA) é nomeado para dar continuidade ao Coral de Presos do Sistema Prisional de Minas

Posted: 10 Jun 2015 01:44 PM PDT

Parabéns Maestro Zeca!
 
 
TUDO O QUE EU SONHEI UM DIA....COMO DEUS É BOM!!!!
SAIU HOJE NO IOF, 09/06

AGORA TEREI UMA GRANDE MISSÃO PELA FRENTE....COORDENAR EM TODAS AS UNIDADES PRISIONAIS DO ESTADO, PROJETOS E IMPLANTAÇÕES DA ÁREA DE MÚSICA COMO FORMA DE RESSOCIALIZAÇÃO E HUMANIZAÇÃO.
OBRIGADO A TODOS QUE TORCERAM E SE DOARAM POR MIM!!!
 
 

Mais artigos...

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto.        sicride      CONTASABERTAS       horasc    acervo        kennya6    IMG 20170821 WA0024  codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web