jornalista1

Preso é pego no flagra tentando fugir de presídio da Grande Curitiba

d0404Um preso da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP), na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), foi encaminhado para o isolamento no final da manhã desta quarta-feira (27), após ser flagrado no telhado da unidade. Com ele, os agentes encontraram um colete, um rádio comunicador e um relógio de pulso. O material foi fabricado dentro da unidade e a intenção era fugir da prisão se passando por um agente penitenciário.

No flagra!

De acordo com os agentes, o preso foi flagrado por câmeras de segurança no momento em que andava pelo telhado, fingindo estar trabalhando em um conserto de telhas. O “fujão” ainda teria fabricado o colete com um pano azul escuro e feito as letras com a embalagem de uma marmita. Já o rádio comunicador, teria sido feito com a frente de um rádio AM/FM e o relógio com as tiras de um chinelo de borracha.

O plano de fuga não deu certo e ele foi encaminhado para o isolamento, onde ficará a disposição do Conselho Disciplinar, segundo o Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen).

Fonte: TRIBUNAPR

Um agente penitenciário é preso ao tentar entrar com maconha dentro de sapato na RMC.

O agente, de 38 anos, é ocupante efetivo do cargo de agente penitenciário desde 2008

d2703Um agente penitenciário foi preso em flagrante na manhã desta terça-feira (26), ao tentar entrar na – Unidade de Segurança (PCE-US), em Piraquara, com cerca de 260 gramas de maconha escondida dentro dos sapatos. O flagrante foi feito na troca de plantão, por volta das 7 horas, durante o procedimento de revista na entrada da penitenciária.

 

A prisão foi feito por agentes penitenciários do Serviço de Operações Especiais do Depen, que utilizaram cães farejadores para localizar a droga. A polícia foi acionada e o agente foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Piraquara, onde foi autuado por tráfico de drogas e parmanece preso.

O agente, de 38 anos, é ocupante efetivo do cargo de agente penitenciário desde 2008. Além da esfera criminal, ele responderá também a um processo administrativo.

Fonte: bandaB

Agente penitenciário é preso ao tentar entrar com maconha dentro de sapato na RMC

O agente, de 38 anos, é ocupante efetivo do cargo de agente penitenciário desde 2008

d2703Um agente penitenciário foi preso em flagrante na manhã desta terça-feira (26), ao tentar entrar na – Unidade de Segurança (PCE-US), em Piraquara, com cerca de 260 gramas de maconha escondida dentro dos sapatos. O flagrante foi feito na troca de plantão, por volta das 7 horas, durante o procedimento de revista na entrada da penitenciária.

A prisão foi feito por agentes penitenciários do Serviço de Operações Especiais do Depen, que utilizaram cães farejadores para localizar a droga. A polícia foi acionada e o agente foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Piraquara, onde foi autuado por tráfico de drogas e parmanece preso.

O agente, de 38 anos, é ocupante efetivo do cargo de agente penitenciário desde 2008. Além da esfera criminal, ele responderá também a um processo administrativo.

Fonte: bandaB

Mulher é agredida por PM em lanchonete por 'pedido errado

d2503Câmeras de segurança de uma lanchonete flagraram o policial militar Augusto César Lima Santana, do 9º BPM (Rocha Miranda) arrastando uma funcionária pelo chão, puxando-a pelos cabelos e agredindo-a com coronhadas na cabeça. Conhecido como Tito, o PM também chutou a jovem na madrugada desta quinta-feira.

Policiais da Corregedoria da Polícia Militar estiveram na manhã desta quinta-feira no Núbia Lanches, na Rua Mandina, em Curicica, Jacarepaguá. Eles convidaram a comerciante agredida, Liz Pacheco, de 24 anos, a comparecer à 2ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM) para prestar depoimento sobre as agressões sofridas. A agressão foi causada após um desentendimento em relação à entrega de um sanduíche.

Segundo Liz, os agentes concordaram com o pedido de não ficar frente a frente com o acusado de agressão na corregedoria, para onde o PM foi levado preso.

— A mulher dele ligou dizendo que havíamos errado de sanduíche. Tentei explicar a ela que o sanduíche levava molho. Tudo que eu dizia, ela repetia para alguém que estava do lado dela no telefone. De repente, o policial pegou o aparelho e começou a me xingar, a me chamar de piranha, de ignorante — relata.

Durante a agressão, o policial manteve a arma em punho. Após a agressão, Liz foi levada ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Ela precisou levar três pontos na cabeça e teve escoriações pelo corpo. Ela contou que o motivo de tanta violência por parte do policial se deu por causa de um sanduíche chamado Barbie Bacon. Segundo ela, o molho barbecue, motivo da reclamação, faz parte do sanduíche.

Na sequência, segundo a vítima, o PM exige um novo sanduíche, que saiu para a entrega, pelo telefone.

— Ele quis um outro sanduíche, mas eu disse que não iria mandar porque ele estava me agredindo verbalmente. Acabei cedendo e mandei um motoboy entregar o hambúrguer na casa dele, no Recreio. Mas o policial chegou aqui antes de o motoboy chegar lá. Ele perguntou "quem é a piranha que falou no telefone?". Eu me identifiquei e levei um tapa na cara. Depois, corri para fechar a porta do balcão e levei mais um tapa na cara. Ele me puxou pelos cabelos, me arrastou pelo salão, me deu coronhadas na cabeça chutou muito minhas costelas. Estou com o corpo todo doído. Levei três pontos na cabeça. Ele é um monstro espero que não saia da prisão tão cedo - contou Liz.

A comerciante disse ainda que o policial percebeu que havia câmeras no estabelecimento e ameaçou dizendo que se imagens suas aparecessem em algum lugar explodiria a cabeça de todos os que estavam ali e que jogaria uma granada na lanchonete.

A preocupação da família foi divulgar as imagens o mais rapidamente possível para que as autoridades prendessem o agressor. Diante das ameaças, no entanto, a família pensa em fechar o comércio que tem 13 anos no bairro de Curicica.

Veja o vídeo AQUI.

Fonte: EXTRA

Diretor do Iapen diz que agente que cometeu suicídio havia terminado tratamento e queria se sentir útil

d1803O diretor do Iapen, Lucas Gomes, rebateu as acusações do ex-presidente do Associação dos Agentes Penitenciários do Acre, José Janes, de que a direção dos presídios estaria pressionando os agentes.

Lucas comentou sobre o caso da morte do agente Marcelo Alves, que teria cometido suicídio durante plantão no complexo penitenciário Francisco de Oliveira Conde, em Rio Branco. Gomes afirma ainda que o agente encontrado morto só voltou ao trabalho por que alegou que estava bem e que queria se sentir útil.

“O servidor e colega de farda Marcelo Alves terminou tratamento no ano passado, após uma luta árdua contra alcoolismo e a depressão, doenças que ele trazia desde antes de entrar no IAPEN. Há cerca de 5 meses solicitou retorno ao serviço operacional para se sentir útil e tirar serviços extras dentro da Unidade – o que vinha fazendo com êxito”, diz Lucas.

O diretor lamenta o ocorrido e garante que o Iapen deu todo o apoio a Marcelo durante o período de tratamento.

“Marcelo alegava que estava bem e estava frequentando a igreja. Apesar de ter sido liberado do tratamento, ainda vinha sendo acompanhado pelo Núcleo de Apoio ao Servido Penitenciário, do IAPEN. Os profissionais e os colegas de farda observavam com alegria a melhora. Na tarde de ontem foi morto pela doença silenciosa. Uma tragédia que infelizmente não pudemos evitar. É um momento de dor para todos nós. Demos todo o apoio ao colega, como damos agora aos familiares. Lamento profundamente que ainda tentem fazer palco político em cima de uma tragédia. O IAPEN está em luto”, concluiu.

Fonte: UOL

Mais artigos...

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto     safestore1      CONTASABERTAS  universidadedotransito   acervo        kennya6      alexandrejose    codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web